10 anos sem Dan Osman!

0

Para a garotada nova que esta iniciando a escalada em rocha, talvez este nome não seja tão conhecido, mas para quem iniciou os primeiros passos inspirados pelos vídeos “Masters of Stone” essa lenda levou muita gente a se arriscar! Quando solei pela primeira vez um terceiro grau na Urca, a primeira pessoa que pensei ao iniciar a via foi esse cara, claro que nem se comprara com as peripécias desse monstro da escalada, mas inspira e muito quando o assunto é se lançar no desafio.


Dan Osman foi um esportista americano praticante de esportes de montanha que levou ao extremo o conceito adrenalina e o termo “se joga”. Seu nome ficou conhecido depois da seqüência de filmes produzidos por Dean Potter, mas é no filme “Masters of Stone 5” que se consagra mundialmente e finaliza sua carreira. Inconseqüente em suas escaladas e atitudes, Dan era uma apaixonado pela adrenalina, estava muito longe de ser uma pessoa normal, capaz de subir um paredão inclinado em 90 graus como o Lover´s Leap, na Califórnia, em apenas 4 minutos e 25 segundos, enquanto escaladores normais levam mais de 4 horas para fazer o percurso.

Nos filmes que lotam a internet pode-se ver Dan ousando em grandes escaladas sem equipamento de proteção, saltando entre fendas e agarras impossíveis em botes que colocariam qualquer escalador em sérios apuros mesmo com todo equipamento disponível.

Dan foi o criador do “se joga” mais perigoso do mundo da escalada o “Rope Freefalling”, também conhecido como “controlled free-falling”, este levava Dan a realizar saltos de grandes desfiladeiros seguro apenas por corda dinâmica. Os Cânions ficaram pequenos para ele. Dan Osman realizava quedas propositais avaliando o equipamento de escalada que utilizava. Em algumas destas quedas, ele experimentava o efeito pêndulo, termo conhecido entre os escaladores, que significa o movimento lateral que acontece quando o escalador cai e não está alinhado com as ancoragens abaixo dele. A partir daí, Dan começou a fazer pêndulos cada vez maiores, em pontes e em formações rochosas nos Estados Unidos. Fazia pêndulos de 50, 100, 200 metros.
 
Diferente do Bungee jumping, que consiste em saltar para o vazio amarrado pelos pés a uma corda elástica, o Rope Freefalling se diferencia na queda e na sensação de liberdade que a nova modalidade poderia proporcionar, dizia Dan quando questionado sobre a comparação de suas técnicas de salto e a segurança do equipamento utilizado.

Algumas pessoas desaprovavam as experiências de Osman, mas outros acompanhavam seu trabalho e estavam ansiosos para experimentar a nova experiência do salto livre com corda dinâmica. Dan realizou mais de 2000 saltos em nove anos para aperfeiçoar sua técnica.
Em meados de 1998, Dan resolveu quebrar o recorde, que já era dele, e fazer um salto de 342 metros na Pedra Inclinada, no parque Yosemite, nos EUA. Ele demorou quatro dias preparando o salto, que foi feito com sucesso em 22 de novembro. Um amigo de Dan, o pára-quedista e escalador Miles Daisher também saltou e tudo Ok. Não satisfeito Dan resolveu dar um pouco mais de corda, e saltar de 365 metros. Já era quase noite quando ele resolver forçar o salto. Miles ainda tentou frear o amigo mas Dan estava decidido a saltar, Ele mesmo sabia que era muita corda, e que ele podia bater no topo da floresta, pinheiros com mais de 45 metros de altura, já que ele passaria abaixo da copa das árvores, ele precisaria de luz para desviar sua rota por entre as arvores. Dan Osman morreu aos 35 anos no Parque Nacional de Yosemite nos EUA, durante o salto. A corda que sustentava o escalador se rompeu e Dan Osman foi projetado sobre as arvores e depois ao solo, o impacto com ambos veio a matar o escalador.  Dan deixou a esposa Nikki Warren e a filha Ema.

Para muitos a causa morte foi o excesso de confiança de Dan no seu sistema de segurança, o tempo de exposição da corda ao tempo e a mesma sendo forçada a seu limite levou o escalador a morte. Mais uma vez a imprudência ou a falta de bom censo matou outro grande escalador. Fica o exemplo de dedicação ao esporte e a marca de uma lenda para inspirar novas gerações de escaladores em todo o mundo!

Tive a oportunidade de experimentar saltar de uma ponte em Arequipa, Peru, usando a técnica do Rope Freefalling, te falar; é bem melhor que Bungee jumping, o cara tava certo!

Dan Osman (assista o vídeo no youtube)

11 de fevereiro,1963 a 23 de novembro, 1998.

Força sempre e boas escaladas!
Atila Barros

Compartilhar

Sobre o autor

Atila Barros - Colunista

Atila Barros nasceu no Rio de Janeiro, e vive em Minas Gerais, cidade que adotou como sua casa. Escalador (Montanhista) há 12 anos, é apaixonado pelo esporte outdoor. Ele mantem o portal Rocha e Gelo (www.montanha.bio.br)

Comments are closed.