Telefonia Satelital - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
receber email na montanha?

Telefonia Satelital


Categoria: Tecnologia

Estes aparelhos móveis diferem da telefonia celular tradicional, pois não dependem de antenas, mas sim de um ou mais satélites para funcionar. A cobertura do serviço pode ser em toda a Terra ou numa área limitada. Os aparelhos variam muito em tamanho, mas geralmente são reconhecidos pela grande antena retrátil. Os últimos modelos porém, não tem diferenças visíveis com um celular comum médio. Para nós montanhistas a telefonia satelital está cada vez mais acessível e tem muitas vantagens sobre os demais meios de comunicação usados na montanha.

Texto: Maximo Kausch


A telefonia satelital começou com a Inmarsat em 1979, quando eles faziam sistemas satelitais fixos (e grandes) para uso em barcos. A evolução nesta tecnologia foi breve e em 1998 já era possível fazer uma ligação com um telefone portátil. Hoje em dia apenas 4 companhias dominam este mercado pois o custo de lançar satélites ao espaço e mantê-los ali é extremamente caro.

Telefones satelitais tem uma péssima recepção em lugares fechados. Vales profundos e a proximidade de grandes paredes podem impossibilitar a comunicação. Alguns aparelhos permitem o uso de antenas externas que podem ser colocadas no teto de veículos ou exterior de casas. Outros aparelhos recebem e enviam sinais de antenas repetidoras e você acaba usando os satélites somente quando for necessário. O custo das ligações e dos aparelhos é também uma grande desvantagem ao comparar estes aparelhos com meios de comunicação comuns.

No Brasil porém, eu acabei pagando 2 vezes mais usando um celular pré-pago do que se eu estivesse usando um telefone satelital comum. Aproveitando a oportunidade para criticar as empresas de celular, vou contar o que aconteceu.

Estava escalando rocha no interior de São Paulo (área 12). Antes de subir decidi carregar 25 reais no meu celular (área 11), para o caso se eu precisasse. Recebi uma ligação de 4 (quatro minutos) e fiz uma ligação de 3 (três) minutos para um celular de área 19. Enquanto eu fazia a ligação, esta foi cortada por falta de crédito. Acontece que no Brasil você é cobrado para receber ligações de outra área e isso piora quando a pessoa usa uma rede diferente da sua. Para piorar ainda mais, se você ligar para alguém de outra área que não seja a sua e se esta pessoa tem um celular de empresa diferente da que você usa, você acaba pagando uma fortuna! Isso porque os códigos de área do Brasil mudam em um espaço muito curto, como se precisassem de código área igual a telefone fixo...

Esta combinação de fatores (que não é tão dificill de acontecer) faz da telefonia celular brasileira a mais cara do mundo, mais inclusive do que a satelital, pois, se eu tivesse um telefone destes eu, poderia falar por mais de 10 minutos! Roaming de celular é um absurdo!

Se você viaja bastante e não sabe qual é a empresa que cada amigo seu usa, o telefone satelital pode ser uma boa opção. Companhias de celular brasileira que se cuidem!!!
 

Legislação

Para o uso de telefones satelitais muitos países exigem que usuários se registrem, paguem uma licença para o uso do aparelho ou chegam a proibir o uso em seu território. Em Mianmar ou Bangladesh por exemplo, você irá preso se estiver usando um, pois o seu uso é proibido. Na China você precisa de uma licença que deve ser pedida antecipadamente, além de ter que pagar por isso (mesmo o telefone sendo seu!). No Iraque o uso dos aparelhos só foi liberado recentemente. Na Coréia do Norte a Iridium é bloqueada. Na Austrália em contrapartida, habitantes de zonas remotas podem pedir subsídio ao governo para comprar um aparelho. Se você não sabe a legislação do país para onde estiver viajando pergunte à sua operadora ou SEJA DISCRETO!
 

Sistemas de telefonia satelital: Sistema geossíncrono

Num sistema geossíncrono, a rotação do satélite acompanha exatamente a rotação da Terra fazendo com que o satélite fique num ponto fixo no céu. Com este sistema é possível manter a comunicação em todo o planeta com apenas 3 ou 4 satélites.

Estes satélites porém são muito caros de construir e serem lançandos em órbita. Os aparelho pesam em média 5 toneladas e ficam estacionado a 35km da superfície. Por tanta distância que o sinal deve percorrer, é comum que usuários notem uma pequena demora em conversas.

Uma grande vantagem do sistema geossíncrono sobre o outro sistema (o de órbita terrestre baixa) é a superioridade na largura de banda. Estes conseguem transferir mais dados e com mais velocidade que qualquer outro sistema. Por isso, todos os 3 sistemas geossíncronos fornecem sistemas de internet satelital portátil usando de antenas do tamanho de um laptop médio.

Uma desvantagem deste sistema é a recepção. Às vezes, mesmo com o céu totalmente aberto, uma montanha muito íngreme ou árvores podem atrapalhar o sinal. O usuário deve encontrar um ponto para ter distância óptica entre o aparelho e o satélite. Uma vez que um contato for estabelecido, é bem provável que você não seja interrompido até o fim da ligação. Se isto acontecer, verifique se há presença de antenas ou torres de alta tensão próximas pois estas causam grandes interferências no sistema.

Existem meia dúzia de empresas que trabalham com satélites geossíncronos. Destas, algumas ainda não estão operacionais, outras só prestam serviços às forças armadas e outras são pequenas demais. ICO Global Communications, SkyTerra, Aces e TerreStar são elas.

Há porém, muitos planos ambiciosos vindos destas empresas. A SkyTerra pretende prestar serviços similares aos da Thuraya, só que nas Américas. O lançamento do SkyTerra 1 e 2 é previsto para 2010 e será no Cazaquistão. Os satélites irão usar refletores de 20 metros, os maiores refletores já usados no espaço. Com isto, a tecnologia vai possibilitar que o tamanho dos telefones satelitais seja o mesmo que um celular comum. Exclusivo para comunicação da América do Norte, a TerreStar lançou um satélite de quase 7 toneladas em julho deste ano. Este foi o maior satélite comercial de telecomunicações lançado até hoje! Contudo, ainda estamos em 2009 e somente dois sistemas geossíncronos nos interessam:
 

Inmarsat


A Inmarsat foi a primeira companhia de comunicação satelital e foi fundada em 1979. Porém somente começou a trabalhar com aparelhos portáteis recentemente. A companhia trabalha com 12 satélites geossíncronos. O sistema cobre a maioria da superfície terrestre fora os pólos. A companhia é responsável pela BGAN, o famoso modem satelital.

Para telefonia, esta empresa trabalha com um aparelho chamado iSatPhone. Sua antena é gigante, porém o aparelho recebe e transmite em GSM 900 (sinal de celular), além do sinal satelital. O iSatPhone só funciona na região do Oceano Índico: Ásia, África e Oriente Médio. O custo do aparelho é de, em média, 700 dólares. Além dos minutos pré pagos.

Se você comprar um cartão SIM de 25 minutos, vai custar $44.50 ($1.78/minuto) e o crédito expira em 90 dias se não for usado. Se você comprar 500 minutos, o preço vai cair para $1.38 o minuto, mas você terá 1 ano para usar o crédito. Se você fala muito pelo telefone, pode comprar 83 horas e gastar $0.99 o minuto.

O aparelho pesa 201 gramas e você consegue falar por 2 horas antes da bateria descarregar. O "DDI" do Inmarsat é 870. Você precisa digitar 00+operadora+870+número.
 

Thuraya


O sistema Thuraya tem a sede nos Emirados Árabes Unidos e se tornou operacional em 1997. Trabalha com apenas 3 , satélites geossíncronos e cobre a Europa (excl. Islândia, norte da Escandinávia e norte da Rússia), Ásia (excl. Sibéria e Oeste da Rússia), África (excl. África do Sul, Lesoto, Suazilândia, Madagascar e sul da Namíbia) e Oceania (excl. Fuji, Nova Zelândia e outras ilhas). O sistema é relativamente novo, inovador e barato. Atualmente, a Thuraya conta com mais de 250 mil usuários.

Aparelhos Thuraya contam até com um sistema de oração muçulmana! O usuário pode mandar a sua posição geográfica (fornecida pelo próprio aparelho) para um número especial e o número retornará a hora exata das orações e a direção exata para Meca!

Cartões SIM Thuraya podem ser usados em qualquer aparelho para redes GSM ou GPRS. Usando os telefones Thuraya você tem um "dual-mode" (excluindo o XT e SO-2510), na qual o aparelho seleciona uma rede GSM em vez da rede satelital, se esta estiver disponível. A troca é automática e o "roaming" funciona com mais de 200 redes de celulares pelo mundo.

Os aparelhos Thuraya são atualmente os menores do mercado. Muitos vêm com câmera e vídeo e inclusive permite que imagens sejam enviadas via satélite. Em 2009 um novo modelo de aparelho apareceu no mercado. Este é a prova de choques, água, poeira e tem serviços como SMS e até acesso à internet, o que é perfeito para os montanhistas. O único problema é que o aparelho não funciona nas Américas (por enquanto).

Em 2002, se começou a cogitar o uso massivo de telefones satelitais no caso de catástrofes como tsunamis, terremotos ou ciclones. Surgiram 2 problemas: satélites geossíncronos geralmente dependem de um controle na Terra para operar chamadas. Satélites de Órbita Terrestre Baixa em contrapartida, fazem as ligações sem depender de um controle terrestre. Essa seria uma vantagem do sistema Iridium por exemplo. Por outro lado, os satélites Iridium são velhos e não conseguem "segurar" um grande número de chamadas simultâneas. Em várias catástrofes, como o ciclone Katrina em 2003 ou o tsunami do Oceano Índico em 2003, por exemplo, aconteceu exatamente isso e o sistema Iridium parou de funcionar na hora que todo mundo mais precisava. Isso não aconteceu com a Thuraya, pois o sistema é mais novo e um só de seus satélites consegue "segurar" 13500 ligações simultâneas.

O aparelho mais comum da Thuraya, o SO-2510 custa hoje em média $650. A empresa tem representantes em vários países e oferece várias opções para carga, mas isso depende de cada país. Geralmente são 2 os tipos de planos: No pós-pago você paga uma taxa mensal para o uso de telefone, que é em média de 50 dólares, mais $1.50 por minuto para qualquer ligação que use os satélites. No pré-pago você tem que comprar um SIM de $150 e carregar o telefone com crédito. O custo do minuto varia entre $1.40 e $0.80, dependendo da quantidade de crédito que você optou. A validade do crédito varia de acordo com a quantidade que você colocou. O "DDI" Thuraya é 882. Você precisa digitar 00+operadora+882+número
 

Sistemas de telefonia satelital: Órbita Terrestre Baixa

Neste sistema os satélites orbitam a terra em alta velocidade em altitudes entre 640 e 1120 quilômetros da superfície. As órbitas demoram entre 01:10 a 01:40 horas. Em órbitas de 01:40, um satélite sozinho cobre uma de 5600 quilômetros de diâmetro. Obviamente, são necessários muito mais satélites para este sistema, pois a idéia é que qualquer ponto na terra (incluindo os pólos) seja "coberto" por pelo menos um satélite em qualquer momento. Estes sistemas são chamados de "constelações" devido à grande quantidade de satélites utilizados. Contudo, o custo de lançamento e produção de um satélite destes é bem menor que um geossíncrono. O sistema GPS, Iridium e GlobalStar são exemplos dessa tecnologia. Eis os sistemas de Órbita Terrestre Baixa que nos interessam:



Iridium

O nome Iridium vêm do elemento irídio que tem número atômico 77, o número de satélites que a companhia planejava lançar quando começou em 1998. Hoje no entanto conseguiu colocar 66 satélites no espaço. Estes geralmente podem ser vistos no céu à noite como pontos muito brilhantes que duram poucos segundos.

O sistema Iridium usa sinais de rádio para intercomunicar os satélites quando seja necessário mudar o satélite ativo. A idéia é que qualquer ponto na Terra seja coberto por pelo menos 1 dos 66 satélites a qualquer momento.

A primeira ligação Iridium foi feita pelo político americano Al Gore em 98. Pouco depois de começar a operar, vários usuários comentaram que o sistema não cumpria com o que era vendido. Para conseguir colocar cada um dos satélites no lugar a companhia teve um gasto inicial de bilhões, na qual - dizem as más línguas - teve financiamento militar.

Porém, como a maioria das companhias de comunicação, a Iridium declarou falência em 99 por falta de usuários. Finalmente em 2001 a Iridium foi financiada por um grupo particular e reapareceu como Iridium Satellite LLC.

A grande complexidade da "constelação" Iridium sempre foi o seu principal problema. Em fevereiro de 2009 por exemplo, um satélite russo se chocou com o Iridium 33 a 800 km do solo terrestre. O satélite russo Kosmos 2251 estava fora de serviço desde 1995. Esta colisão afetou a rede e muitos reclamaram que ficaram sem serviço a partir de então.

Até hoje pessoas reclamam que têm suas conversas interrompidas em intervalos de tempo que podem ser regulares ou irregulares. Eu mesmo já tive conversas quebradas a cada 45 segundos usando um Iridium e tinha que escrever tudo o que eu queria falar num papel para conseguir usar os 45 segundos de forma mais eficiente. A Iridium alega que estes problemas não são relacionados com a incidente e que colisões deste tipo já estavam previstas. O sistema é bastante usado pelas forças armadas norte-americanas e atualmente tem 327 mil usuários.

Os aparelhos Iridium evoluíram lentamente e ainda são bem simples e robustos se , comparados aos da Thuraya. O Modelo 9500 da Motorola, fabricado em 2001 pesava quase meio quilo! Hoje em dia o modelo mais novo, o Motorola 9555 pode ser comprado por $1500. Porém o modelo anterior, o 9505 pode ser comprado pela metade disso e um usado por um terço.

O serviço pós-pago Iridium custa geralmente $40 por mês, mais $1.49/minuto (você também paga o mesmo para receber ligações). O serviço pré-pago varia de plano a plano. Se você carregar 75 minutos por exemplo, vai gastar $2.10 o minuto e o crédito vale por 1 mês. Com 1000 minutos vai gastar $1.40 o minuto, mas o crédito vale por 2 anos. Nos EUA ainda há planos pré-pagos mais baratos. No mínimo você vai pagar $30 por mês e o minuto vai custar $0.80

O "DDI" Iridium é 881 6 ou 881 7. Você precisa digitar 00+operadora+881 6 (ou 7)+número. Assim como as outras empresas, a Iridium permite o usuário receber SMSs enviados de contas de email comum. A mensagem deve ter até 250 caracteres e destinatário será: número@msg.iridium.com. O serviço é grátis, mas é uma das únicas coisas grátis na Iridium. Para você ligar a um Iridium de um telefone comum pode chegar a gastar $14 o minuto!
 

GlobalStar


A GlobalStar nasceu em 1994 através de capital adquirido de 8 empresas. O projeto custaria $1.8bi e começaria em 1998. A idéia era lançar 52 satélites, porém uma falha no lançamento resultou na perda de 12 satélites. Finalmente em fevereiro de 2000, 52 satélites foram lançados (48 + 4 reservas). Hoje a empresa tem mais de 70. Entretanto, o sistema só se tornou comercialmente operacional em fevereiro de 2000. Na época, o minuto GlobalStar custava $1.80. Assim como a Iridium, eles também faliram em 2002 por falta de usuários e só foi reconstruída em 2004 ante um grande investimento. Hoje em dia eles tem mais de 315.000 usuários, tornando-se assim a maior companhia de comunicação satelital do mundo.

Os satélites GlobalStar orbitam a mais ou menos 1400 quilômetros de altitude e como tem uma órbita inclinada de 52 graus, não cobrem as regiões polares. A constelação cobre as Américas (sinal deficiente no norte do Alaska e Canadá. Exclui Groelândia e a maioria dos países centro-americanos), Europa (sinal deficiente no norte da Escandinávia e Sibéria), somente 5 países norte Africanos, China, Japão, Austrália, Nova Zelândia parte do Oriente Médio e Oeste asiático. 

Em 2007, a empresa identificou um grave problema com os seus satélites. Aparentemente a exposição à radiação cósmica e ventos solares fez com que uma parte dos satélites se degrade mais rápido que o previsto. A companhia lançou 8 novos satélites ao espaço em 2007 para compensar a perca de satélites defeituosos o que melhorou temporariamente a qualidade dos serviços. Em um comunicado em 2007 a empresa disse que:

"Baseada na mais recente análise, a companhia acredita agora que se a degradação dos amplificadores das antenas de banda S continuar na taxa atual ou acelerar mais tarde, e se a companhia não tiver sucesso em desenvolver soluções técnicas adicionais, a qualidade dos serviços de comunicação bidirecional vão decair e, em algum momento em 2008, todos os satélites da companhia que atualmente estão em órbita, irão cessar a capacidade de suportar serviços de comunicação bidirecional"

Desde 2007 usuários começaram a relatar uma grande deficiência nas comunicações e janelas com apenas alguns minutos ou segundos na sua comunicação. Em julho deste ano, a empresa anunciou que conseguiu fundos suficientes ($ 661 milhões) para lançar 48 novos satélites. Os lançamentos começarão em 2010 e os satélites serão operacionais até 2025.

Com este upgrade, a qualidade dos serviços estão cada vez melhor. Consequentemente, com o aumento no número de usuários, as tarifas abaixaram e assim o serviço consegue competir até mesmo com o das operadoras de celulares. Ligar de um Telefone Globalstar custa meno que ligar de uma operadora a outra no Brasil. As taxas por minuto podem chegar a 14 centavos de dólar, dependendo do plano. Com a carga mínima, de $30 por mês, você vai gastar $1.49 por minuto. Carregando $65 por mês, o minuto cai para $0.43 e carregando $550 por mês, o minuto cai para $0.14! O "DDI" GlobalStar é 881 8 ou 881 9. Você precisa digitar 00+operadora+881 8(ou 9)+número.

No Brasil a GlobalStar está operante e ela tem assistencia e cobertura técnica nacional. O telefone da empresa é vendido como "Spot Global Phone" e seu preço quase não difere do preço praticado no exterior.

 

:: Compre aqui seu telefone satelital




Publicidade:


Publicidade

Publicidade