Sumário do Montanhismo Brasileiro em 2015 - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Expedições Brasileiras

Sumário do Montanhismo Brasileiro em 2015


Categoria: História

Seguindo a compilação dos anos anteriores, o presente artigo tem o intuito de sumariar as atividades brasileiras mais destacadas em alta montanha e big walls no exterior no ano de 2015, englobando escaladas aos Andes, Patagônia, Yosemite, Europa, Ásia, África, Circuito dos 7 Cumes etc.

por Rodrigo Granzotto Peron
 
Notas iniciais
 
Não tivemos muitas atividades brasileiras nos 8000 asiáticos, até por conta do terremoto e das avalanches, que dificultaram as expedições internacionais em geral. Por outro lado, os Sete Cumes estiveram fervilhando ano passado. As grandes companhias de montanhismo guiado – Morgado Expedições, Grade VI, Gente de Montanha e Marcelo Delvaux Expedições Andinas – realizaram incontáveis incursões bem sucedidas e colocaram nos cumes elevados dezenas de brasileiros.
 
Ano passado igualmente foi época de primorosas primeiras ascensões absolutas de brasileiros a cumes no exterior, incluindo Baintha Artha, Beding Go Peak, Cerro Morado, Cerro Paso Cerrado, Tres Quebradas, Lomas Coloradas, Cerro La Brea, Monte Parofes, P5589 e P5702. Foram dez montanhas nunca antes pisadas por um ser humano que receberam inéditas por alpinistas verde-amarelos, o maior número em um ano em todos os tempos.
 
Vamos, então, à compilação dos principais eventos ocorridos em 2015:
 
Janeiro
 
Expedições da empresa Gente de Montanha (de Maximo Kausch) levaram ao cume do ACONCÁGUA (ARG, 6962m, Andes) quantidade impressionante de pessoas, incluindo Marco Engel, Michele Bastos, Marcio Moreira, Roberto Mendonça, Vinicius Vieira, Úrsula, Pedro Klassen, Bruno, Arno, Biro, Matthias, Rodolfo Lucasin e mais treze pessoas, vindos de todos os cantos do Brasil.
 
Também a conceituada empresa paulista Grade VI realizou expedição exitosa ao ACONCÁGUA (ARG, 6962m, Andes), com cumes de Sabrina Marmirolli Paschoal, Marcos Bogado, Luis Antônio Felber, Ilan Kriger e outros quatro clientes (André, Filipe, Lucas e Mário), sob a batuta do experimentado Carlos Alberto Santalena, em seu sétimo cimo na Sentinela dos Andes.
 
Milton Marques, guia brasileiro que mora na Argentina a trabalho pela Morgado Expedições levou até o cume Luigi Salvatti de 15 anos junto com seu irmão Kevin Salvatti de 20 anos. Luigi foi o mais jovem brasileiro a fazer cume no colosso dos Andes.
 
Outros brasileiros tentaram o Aconcágua em janeiro, mas não atingiram o cume: Thaís Amadei Pegoraro (SP), Fernanda Maciel (tentando um speed ascent) e Diogo Vasconcelos.
 
Marcelo Delvaux conquistou em janeiro o CERRO ADOLFO CALLE (ARG, 4228m, Andes), seu terceiro cume nessa montanha, após os êxitos de 2012 e 2014.
 
Os paranaenses Waldemar Niclevicz e Ermínio Gianatti tentaram o Cerro Arenales (ARG, 3381m, Patagônia) e fizeram cume no CERRO SAN LORENZO (ARG/CHIL, 3706m, Patagônia).
 
Na província argentina de Salta, Pedro Hauck, na companhia de Maria Tereza Ulbrich, escalaram o CERRO MACÓN (ARG, 5460m, Andes) e o NEVADO DE ACAY (ARG, 5700m, Andes). Para arrematar, Pedro adicionou à sua – extensa – coleção de 6000 andinos o QUEWAR (ARG, 6154m, Andes) e o SOCOMPA (ARG, 6058m, Andes), primeiras ascensões brasileiras a ambas as montanhas.
 
O pai Vinícius Maltaro e o filho Caynã Carvalho Maltauro, juntos com Daniela Borges, todos mineiros, fizeram cume no CERRO SAN BERNARDO (ARG, 4142m, Andes). Impressionante conquista, considerando que o jovem Caynã tem apenas 9 anos de idade.
 
Em pleno verão africano, Ana Maria Pluciennik e seu neto Rafael Pluciennik fizeram cume no KILIMANJARO (TANZ, 5895m, Eastern Rift Mountains), em time da Morgado Expedições, sob a liderança do guia Agnaldo Gomes. Com esta façanha, Ana Maria tornou-se a brasileira mais idosa no gigante africano (67 anos de idade). Seu neto, de 14 anos, é um dos mais jovens a pisar no teto daquele continente.
 
Até 2006, a montanha mais alta da Antártida tinha visto apenas dois cumes brasileiros: Waldemar Niclevicz (dez/1996) e Mozart Catão (jan/1997). Desde então, foram mais 15 sucessos verde-amarelos no VINSON (ANTAR, 4892m, Ellsworth Mountains), incluindo, em janeiro de 2015, Rodrigo Raineri, Maurício (“Anchovas”) Almeida e Ana Carolina Chieregati.
 
Fevereiro
 
O brasileiro Marcos Costa, morando na China, foi nominado ao prestigiado prêmio Piolet d’Or pela escalada ao Daogou East (CHIN, 5462m, Qionglai Mountains). Foi a segunda vez que ele foi indicado para o prêmio, repetindo 2014.
 
Segunda leva de expedições da empresa Gente de Montanha conduziu ao cimo do ACONCÁGUA (ARG, 6962m, Andes) outro grupo numeroso: Manoel Padro, Anderson Dias, Francisco Filho, Jorge Spur, Roberto Correa de Mendonça, Michele de Pina Bastos, Marcio Lage, Fernando Schlosser, José Fernando Schlosser, Luciano Sarturi, Darliana Tognete, Arno Iajur Britz, Eduardo Tonetti, Lilian Meissner, Ivy Miranda, Gustavo Ziller e Gabriel Tarso, com direito a filmagens para programa do Canal OFF.
 
Também no ACONCÁGUA (ARG, 6926m, Andes), Marcelo Delvaux fez dois cumes, o primeiro no final de janeiro e o segundo em fevereiro. O mineiro também fez três cumes no BONETE DE ACONCÁGUA (ARG, 5050m, Andes).
 
Vinícius Maltaro, pai, e Caynã Carvalho Maltauro, filho, fizeram cume no CERRO PLATA (ARG, 5950m, Andes) e no CERRO VALLECITOS (ARG, 5500m, Andes). Foi uma grande proeza para o jovem Caynã, de apenas 9 anos de idade, o mais jovem brasileiro a culminar uma montanha de mais de 5000 metros.
 
O catarinense Leo Rodolfo Schmitz, na companhia de sua namorada, tentou escalar o El Plomo (CHIL, 5424m, Andes).
 
No OJOS DEL SALADO (ARG, 6888m, Andes), a empresa Grade VI foi bem sucedida, com cumes de Carlos Eduardo Santalena, Ayesha Zangaro, Arthur Svidzinksi e Carlos Marques.
 
Março
 
Marcelo Delvaux ascendeu o CIÉNEGA GRANDE (ARG, 5147m, Andes).
 
Expedição comercial Gente de Montanha culminou o MERCEDARIO (ARG, 6770m, Andes), colocando no ponto mais alto Eduardo Tonetti, Roseane Formenti, Ana Lícia Sudo, Edson Monreal e Mauro Gelain. O líder da expedição – Pedro Hauck – teve que dar meia volta e conduzir Paulo Perrotti à segurança. 
 
A mesma expedição também foi ao OJOS DEL SALADO (ARG, 6888m, Andes), onde fizeram cume Pedro Hauck (seu terceiro cume no Ojos), Eduardo Tonetti, Joair Bertola, Alexandre Sanfurgo e Márcio Andre Pelloso. Os demais membros – Emiliano Araújo, Ricardo Cordeiro, Bruno Audi Carrara, Manolo Svicero, Paula Kapp e Alexandre Danioti – tiveram que retroceder. Por fim, os expedicionários ascenderam o VICUÑAS (CHIL/ARG, 6067m, Andes), com cumes – novamente – de Pedro Hauck, Eduardo Tonetti, Emiliano Araújo, Joair Bertola, , Paula Kapp e Bruno Audi Carrara. Os demais retornaram de 5500 metros.
 
Para arrematar o mês de março, o time Gente de Montanha também ascendeu o MULAS MUERTAS (CHIL, 5880m, Andes), com cumes de Eduardo Tonetti, Emiliano Araújo, Ricardo Cordeiro, Joair Bertola, Alexandre Sanfurgo, Márcio André Pelloso, Bruno Audi Carrara, Manolo Svicero, Alexandre Danioti e Paula Kapp. Ainda, Pedro Hauck e Eduardo Tonetti deram uma esticada ao TRES CRUCES CENTRAL (CHIL, 6643m, Andes) e adicionaram-no às suas listas e sozinho Eduardo Tonetti também fez cume no TRES CRUCES SUR, a quinta mais alta dos Andes.
 
Manoel Morgado liderou uma de suas – múltiplas – expedições ao campo-base do Everest, com direito a cume no “farol” Kala Pattar (NEP, 5455m, Himalaia) de todos os integrantes, incluindo Suzi Vitoriano e Justino Pereira.
 
Abril
 
Em caminhada até o campo-base do Everest, Daniela Silvestre ascendeu o “farol” Kala Pattar (NEP, 5455m, Himalaia). Ao longo do ano, dezenas de outros brasileiros fizeram esse trekking e também culminaram o Kala Pattar.
 
Maio
 
O top climber Waldemar Niclevicz fez rápida incursão aos Andes, e culminou o PALCAY (PER, 5422m, Andes), primeira ascensão brasileira conhecida a esta montanha. O paulista Fernando Abdalla com amigos americanos escala o  PISCO (PER, 5752m, Andes) e o YANNAPACHA (PER, 5460m).  
 
Junho
 
Em junho, o Brasil fez strike do DENALI (EUA, 6194m, Cadeia do Alasca), com múltiplos cumes por meio da empresa Grade VI, que colocou no cimo Carlos Eduardo Santalena (segundo cume na montanha), Ayesha Zangaro, Thaís Amadei Pegoraro, Alexandre Haigaz, José Eduardo Sartor e Renato. Além deles, fez cume também Ronaldo Franzen (o “Nativo”) e Joel Kriger. Tentaram a montanha, sem sucesso, Cristiano Muller, Agnaldo, Greg, Giovanni e Sabrina Marmirolli Paschoal.
 
No Kilimanjaro, sob a liderança de Maximo Kausch, a equipe Gente de Montanha culminou a montanha pela Rota Machame, com êxitos de Gustavo Ziller e Gabriel Tarso.
 
Julho
 
O conceituado escalador brasileiro radicado na China Marcos Costa realizou expedição classuda em julho, ao lado do top climber escocês Bruce Normand. O objetivo principal era nova rota no Baintha Brakk, apelidado de Ogro (PAQ, 7285m, Karakoram). Os planos mudaram no decorrer da expedição, e a dupla tentou o Ogro II (PAQ, 6960m, Karakoram), mas desistiram a 150 metros do cume pois “o tempo virou”. Não voltaram, contudo, de mãos abanando, e realizaram a primeira ascensão absoluta ao BAINTHA ARTHA (PAQ, 6400m, Karakoram), que o brasileiro apelidou de “Pico do Cavalo”.
 
Em ano altamente movimentado, o mineiro Marcelo Delvaux fez cume no pouco visitado CHACHANI (PER, 6055m, Andes) e tentou o Coropuna (PER, 6425m, Andes). Também perpetrou a primeira ascensão brasileira ao SOREHUIRE (PER, 5131m, Andes).
 
No Karakoram, mais precisamente na cadeia Lupghar Mountains, o piracicabano radicado na Inglaterra Murilo Gimenes Lessa, na companhia de Lee Harrison, realizou primorosa expedição de exploração a grupo montanhoso pouco visitado. Dois cumes foram desvirginados: PEAK 5589 (PAQ, 5589m, Karakoram) e PEAK 5702 (PAQ, 5702m, Karakoram). Além delas, a dupla também escalou o PEAK 5665 (PAQ, 5665m, Karakoram).
 
Agosto
 
Continuando suas perambulações andinas, Marcelo Delvaux conquistou o ACOTANGO (BOL, 6071m, Andes), o CERRO ÁUSTRIA (ARG, 5350m, Andes) e o ZANJA PUNTA (PER, 5217m, Andes).
 
Na Europa, Waldemar Niclevicz fez cume no PIZ BERNINA (SUI, 4094m, Alpes), no GLOSSGLOCKNER (AUT, 3798m, Alpes) e no MONCH (SUI, 4107m, Alpes). Nas Dolomitas, ascendeu, na companhia dos igualmente paranaenses Eiki Higaki e Paulo Andriguetto o POMAGAGNON – SPIGOLO JORI (ITA, 2240m, Dolomitas), o PUEZ – TORRE LIETRES (ITA, 2400m, Dolomitas) e o TOFANE – PRIMO SPIGOLO (ITA, 3225m, Dolomitas).
 
O circuito Sete Cumes tornou-se hot spot de brasileiros. Assim, grande expedição comercial conjunta da Grade VI com a Equipe Refúgio Serra Fina obteve inúmeros sucessos no ELBRUS (RUS, 5642m, Cáucaso), a saber: Carlos Eduardo Santalena (seu terceiro cimo no teto da Europa), Maurício (Anchovas) Almeida, Cássio Doc, Cleberson Milton de Souza, Sabrina Marmirolli Paschoal, Thaís Amadei Pegoraro, Stefan Claus Reinold, Nelson Novaes Neto, Emerson Coelho, Arthur Svidzinski e Alexandre Roque.
 
Em expedição acompanhada em tempo real pela mídia (Canal OFF e Portal Extremos), o alpinista Gustavo Ziller fez cume no ELBRUS (RUS, 5642m, Cáucaso). Ele também lançou o livro “Escalando Sonhos”, sobre suas andanças pelas montanhas do planeta.
 
Um dos picos mais ascendidos por brasileiros no exterior, o HUAYNA POTOSÍ (BOL, 6044m, Andes) foi palco de expedição comercial pela Gente de Montanha, e obteve massivo êxito: Maximo KauschPedro Hauck (terceiro cume na montanha) lideraram a expedição, levando 15 alunos de seu curso de alta montanha: Claudia Bento, Jeni Valentini, Rafael Penna, Marcos Cruz, Tiago Ribeiro, Jonatar Evaristo, Williams Oliveira, Felipe Magazoni, Angela Santos, Antonio Amaral, Billy Souto, Bruno Novarini, Tatiana Batalha, Paula Kapp e Felipe Kreuer. Também fizeram cume no Huayna neste mês Marcelo Delvaux Greissy Caminski que em menos de 10 dias na Bolívia também escalou o Pequeno Alpamayo e o Tarija de forma independente.
 
Acompanhando de Maximo Kausch, Pedro Hauck aproveitou e amealhou outro 6000 andino, fazendo o cume do ILLIMANI pela segunda vez (BOL, 6490m, Andes) e levando junto com ele a gaúcha Paula Kapp. A brasiliense Angela Santos, que também fazia parte do grupo desistiu no ataque.
 
Marcelo Delvaux culminou o TARIJA (BOL, 5200m, Andes).
 
A dupla Victor Carvalho e Fernando Abdalla rumou para os Andes onde escalaram a via francesa do Huayna Potosí (BOL, 6088m, Andes), tentaram o Chopicalqui (PER, 6357m, Andes) e o Cabeza de Condor (BOL, 5648m, Andes).
 
Mlton Marques guiou o Vulcão CAYAMBE (5.790m Equ) pela Atitude Expedições com Minoru Wakabayashi
 
Setembro
 
Pedro Hauck e Suzie Imber realizaram a primeira ascensão brasileira ao FAMATINA (ARG, 6097m, Andes) e com Maximo Kausch a primeira ascensão absoluta ao CERRO LA BREA (ARG, 5250m, Andes).
 
No KILIMANJARO (TANZ, 5895m, Eastern Rift Mountains), vários brasileiros culminaram no segundo semestre. Pela Grade VI, Carlos Eduardo Santalena (sexto cume) guiando Sabrina Marmirolli Paschoal e Thaís Amadei Pegoraro. Roman Romancini e Bernardo Fonseca também culminaram. Pela Morgado Expedições, André Moraes Barros e João Barros obtiveram sucesso guiados por Agnaldo Gomes (segundo cume no Kilimanjaro em 2015); infelizmente, o avô – Jamil Barros – teve que retornar a 130 metros verticais do ápice.
 
Rafael Duarte ascendeu o MONT BLANC (FRA/SUI, 4807m, Alpes).
 
Outubro
 
Integrando expedição internacional composta por Dean Carriere (CAN), Cian O’Brolchain (IRL), Tshering Sherpa (NEP), Nima Gyalzen Sherpa (NEP) e Pasang Sherpa (NEP), o paranaense Dino Camargo realizou a primeira ascensão absoluta ao BEDING GO PEAK (NEP, 6125m, Himalaia).
 
Outra façanha brasileira, Pedro Hauck, Maximo Kausch e Suzie Imber culminaram o CERRO MORADO (CHIL, 5250m, Andes), a primeira subida conhecida a esta montanha, e o COPIAPÓ (CHIL, 6052m, Andes). Na sequência, o montanhista natural de Itatiba-SP, junto com Jovani Blume, também ascendeu o CERRO PASO CERRADO (CHIL, 5079m, Andes) e o TRES QUEBRADAS (CHIL/ARG, 6288m, Andes), outras primeiras ascensões absolutas para o Brasil.
 
Pedro Hauck, Maximo Kausch e Suzie Imber continuaram sua expedição pelos andes chilenos e foram ao topo do LAGUNAS BRAVAS (CHIL, 5304m, Andes) e, ainda, realizaram a primeira absoluta ao LOMAS COLORADAS (CHIL, 5268m, Andes). No final do mês, Pedro Hauck, Maximo Kausch e Jovani Blume executaram a primeira ascensão brasileira ao SIERRA NEVADA (CHIL/ARG, 6137m, Andes), montanha raras vezes visitada nos rincões andinos. Esta foi a segunda ascensão absoluta ao cume mais alto da montanha.
 
Cristiano Muller participou de expedição comercial ao Manaslu (NEP, 8163m, Himalaia) liderada por Guy Cotter (Adventure Consultants). As condições de neve estavam, contudo, muito perigosas, e a expedição foi cancelada (o brasileiro foi até o C2 apenas).
 
Manoel Morgado liderou com êxito mais um trekking ao campo-base do Everest, com direito a cume no “farol” Kala Pattar (NEP, 5455m, Himalaia) de todos os integrantes.
 
Novembro
 
Em bonita homenagem ao jovem alpinista brasileiro que perdeu a luta contra a leucemia, Pedro Hauck e Jovani Blume, na companhia de Maximo Kausch, fizeram a primeira ascensão absoluta a uma montanha inominada e a batizaram de MONTE PAROFES (CHIL, 5845m, Andes), apelido do saudoso Paulo Roberto Schmidt.
 
Milton Marques, guiando para a Atitude Expedições, fez cume no VULCÃO DOMUYO (ARG, 4709m, Patagônia) e no VULCÃO LANÍN (ARG, 3747m, Patagônia).
 
Dezembro
 
A paulista Thaís Amadei Pegoraro, empenhada na conclusão dos Sete Cumes, ascendeu o VINSON (ANTAR, 4892m, Ellsworth Mountains).
 
 
Autor: Rodrigo Granzotto Peron
Finalização do texto: 27-3-2016
 
Observação: Apesar de bastante abrangente o texto, as expedições acima são apenas as mais destacadas e noticiadas, mas podem – e devem – haver inúmeras outras das quais o autor não teve notícia, por não terem sido registradas ou divulgadas. Se alguém ficou de fora da presente compilação, favor entrar em contato: alazaf  AT  terra.com.br.
 
Veja mais: 
 
 



Publicidade:


Serviços Especializados


LOJA ALTAMONTANHA

Publicidade

Publicidade