Avaliação da jaqueta Kailash Andes Pro II - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Teste de equipamentos

Avaliação da jaqueta Kailash Andes Pro II


Categoria: Review de equipamentos

A jaqueta Andes da Kailash é uma jaqueta impermeável leve com um preço bastante acessível. Nosso colunista Pedro Hauck realizou um teste e o resultado é a avaliação que se segue.

A jaqueta Andes é um anorak leve e impermeável, para um clima extremo, acaba não sendo robusta o suficiente, mas para ser usada no Brasil acaba sendo de grande validade.
 
Isso porque é uma jaqueta bastante resistente à chuva e a umidade de nossas serras. Por ser de um tecido meio “emborrachado”, ele não retém água e por ser leve e bastante compactável, pode ser levado em qualquer mochila, sendo uma boa parceira para um pé d’água imprevisto. 
 
Utilizei estas jaqueta em várias montanhas da Serra do Mar paranaense, muitas vezes debaixo de chuva pesada e com vegetação encharcada. Também utilizei como um “corta vento” durante escaladas em rocha. Vamos à avaliação:
 
O QUE EU ACHEI? (Notas de 0 a 10)
 
Da impermeabilidade? (nota 9) 
Por quê? Usei as duas vezes em ambientes sem muita vegetação, onde o que molhava era o chuvisco e a umidade do ar somente. Neste ambiente a jaqueta Kailash protegeu bastante e ainda secou muito rápido. Como fiz caminhadas, não senti muita umidade de meu suor embaixo da jaqueta, isso porque usei os zíperes embaixo das axilas para ajudar na transpiração. O tecido emborrachado não retém água e isso é muito bom. No entanto, após horas de uso na Mata Atlântica em dois dias de chuvas intensas, no Marumbi e no Morro do Camapuã, ela ficou muito molhada e o tecido grudou no meu corpo, fazendo que minha camiseta também molhasse. Entendo que isso é comum e o único tecido que não passaria umidade nesta situação seria lona de caminhão, no entanto deixo esta experiência, pois não existe milagre nas roupas impermeáveis, sobretudo quando andamos em trilhas molhadas e “enxugamos” a vegetação.
 
Da respirabilidade? (nota 8) 
Por quê? É uma jaqueta bem grossa e isso dificulta a respirabilidade. No entanto, isso é contornado. Caminhando pesado, a gente sua muito e a jaqueta ficou apenas um pouco úmida nas costas. A ventilação das axilas ajuda bastante na deficiência do material em respirar. O beneficio do material mais robusto da jaqueta sendo compensado pela abertura na axila, no entanto, faz que ele desempenhe bem esta função e traga conforto térmico.
 
Da modelagem? (nota 8) 
Por quê? Percebi mudanças que melhoraram a modelagem em comparação com o modelo anterior. Primeiramente os zíperes, que antes era simples e protegido com uma aba para não molhar, agora tem tratamento de impermeabilidade. É uma jaqueta bonita, simples, mas que nunca ficará feia entrando moda e saindo moda. No modelo anterior havia um problema com a manga, que era muito larga, agora ela é normal.
 
Do quesito conforto em geral? (nota 8) 
Por quê? É uma jaqueta que não impede movimentos, tem um tecido que protege bem do vento e da umidade, mas em um uso técnico ela não é perfeita. Os bolsos, por exemplo, ficam impossibilitados de serem usados se formos colocar uma cadeirinha, por exemplo. Claro que esta crítica acaba sendo muito específica para quem escala.
 
Do peso? (nota 10) 
Por quê? Contando como ela te protege das intempéries, cerca de 400 gramas é bem leve.
 
Dos detalhes e acabamentos? (nota 7.5)
Por quê? Tem ótimo acabamento, ainda mais agora com os "upgrades" da versão anterior. Ficou uma jaqueta melhor. No entanto faltaria alguns detalhes para diferenciar de uma boa jaqueta para algo excepcional. Ou seja, é uma jaqueta boa, mas não excelente...
 
Nota pelo conjunto: (nota 8.5) 
Por quê? Ótima jaqueta, bom custo. Ela será durável, irá te proteger em todas as condições intempéricas de nosso país.  Uma evolução do modelo anterior, Jaqueta honesta e valente ótima para as condições de nossas montanhas, como Serra do Mar e Mantiqueira.
 
Kailash é na Loja AltaMontanha! 
 



Publicidade:


Serviços Especializados


Aventurista

Publicidade

Publicidade