Dossiê Dean Potter - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Dean Potter, escalador ao extremo

Dossiê Dean Potter


Categoria: Personalidades

Dean Potter, o escalador que mostrou ao mundo que tudo é possível quando o psicológico trabalha em conjunto com a técnica e o preparo físico.

Por Atila Barros:

Dean Potter foi considerado um dos melhores escaladores do mundo. Para muitos, ele foi um dos grandes divisores de águas entre o que é possível e o improvável dentro do esporte de montanha.

Nascido em 18 de janeiro de 1972 nos Estados Unidos, montanhista de renome internacional, tinha no seu currículo inúmeros saltos difíceis de BASE jump. Ele foi um pioneiro na realização de BASE line (mescla de base jump com slack line), assim como highline (slack line em grandes alturas) e um dos primeiros a realizar o Free Base ou "base soloing".

Produtor de clássicos como Masters of Stone, Potter ficou conhecido por ser inconseqüente em suas escolhas e irreverente em suas entrevistas, esse monstro do montanhismo mundial não parece estar preocupado com as opiniões das comunidades de escalada espalhadas pelo mundo. Potter assim como seu falecido amigo Dan Osman, compartilhou da frase "se joga", levando a serio esse termo. Escalar grandes paredes em solo em tempo Record aparece ser pouco para esse recordista.

Ainda que tenha inspirado grande admiração, Potter também dividiu a comunidade de escalada pelo mundo. Em 2006, ele escalou o Delicate Arch, a reverenciada estrutura de arenito que fica perto de Moab e cuja silhueta enfeita as placas dos automóveis de Utah.

Dean Potter no Delicate Arch


Tecnicamente, não se trata de uma escalada ilegal, mas ele sofreu críticas ferozes e foi acusado de deixar sulcos na estrutura (algo que ele nega) e de trair o espírito agreste do montanhismo com seu apelo à autopromoção e à atenção da mídia despertando a ira dos mais tradicionalistas.

Por conta disso, ele perdeu seu patrocínio da Patagônia, fabricante de roupas e equipamentos para montanhismo que ostenta uma imagem ecológica. Potter ainda assim disse que não lamentar a escalada do Delicate Arch. "Sei que respeitamos completamente o lugar", disse. Suas escaladas continuaram ambiciosas.

Mas o seu esporte se tornou comum, até mesmo crianças são convidadas a praticar escaladas nas paredes de bufês infantis em dias de festa. Por isso, da mesma forma como os surfistas começaram a praticar skate nos anos 50, Potter começou a dedicar a esportes emergentes como highlining e base jumping.

"Creio que isso seja parte da motivação de Dean, continuar avançando ao desconhecido e ao extremo, enquanto homogeneidade cresce", disse Steph Davis, ex mulher de Dean e uma das montanhistas mais respeitadas do mundo.

A americana Steph Davis, e escaladora, BASE jumper e é considerada uma das melhores esportistas entre os escaladores do mundo, especializada em escaladas em solo. Em 2003, Steph se tornou a segunda mulher a escalar em livre o El Capitan, em um dia. , Steph é também famosa por seus solos em Long´s Peak Diamond, no Colorado, 305 metros de granito, parede situada a 4.267 metros de altitude. No verão de 2007, ela escalou em solo a via Diamond quatro vezes, com o final solo gravado por Peter Mortimer, da Sender Films. Pouco mais tarde, ela escalou em solo e saltou de BASE jump o Castleton Tower, em Moab, Utah.

Não satisfeito em solar vias difíceis e fazer Slack line entre abismos, Dean Potter resolveu inovar mais uma vez, inventando o Base line.

O Slack line é uma fita onde escaladores mais equilibrados e circenses testam suas habilidades. Ela ficou famosa nos acampamentos base de montanhas, onde montanhistas passam longos períodos esperando pelo bom tempo para entrar na rocha, sem nada o que fazer, desse tédio nasceu um esporte que esta virando febre entre novos e antigos esportistas.

Depois de muito treino e ousadia, alguns escaladores acostumados com desafios, resolveram aumentar o nível de dificuldade do Slack line e inventaram o high line, ou seja, a "linha alta" que é nada mais nada menos que um Slack line em altura ligando dois picos com um grande abismo entre eles. Para apimentar a coisa toda, que já não era lá nada fácil, Dean inova com a invenção do Base line.

Depois do High line, Dean Potter inventou o Base line que é um High line sem back up de segurança. Ao invés disso, ele leva um para quedas de base jump, ou seja, se ele cair, a queda será amortecida acionando o pára quedas, o que deixa a travessia muito mais difícil técnica e psicologicamente falando.

Em 14 de março, 2008, Dean Potter aparece na capa do NY Times descalço, em um dia super quente, na foto Potter faz a travessia entre dois canyon de arenito em Moab, Utah, EUA.

Fato em si, já é uma noticia digna dos grandes escaladores mundiais, mais o interessante foi o destaque que o jornal americano NY Times deu ao fato, coisa raro no jornalismo tradicional.

O jornalista Jere Longman abre a matéria com a frase, "Homem atravessa cânion na corda bamba e sem cabos", esquecendo de comentar o pára-quedas.

Potter aprendeu essa versão extrema da corda-bamba treinando com um morador de rua que no passado escreveu livros sobre mecânica quântica. Mas isso foi há muitos anos, enquanto ele brincava usando uma corda de nylon estendida entre uma árvore e o pára-choque de uma perua Chevy, a pouca distância do chão.

Uma das ultimas empreitadas de Dean Potter, foi completamente diferente: caminhar descalço, no entardecer de uma sexta-feira, 7 de março, entre os dois picos que delimitam o Hell Roaring Canyon, cujas encostas formam uma letra "U" delimitada à direita por uma parede de arenito quase vertical de 120 metros de altura e à esquerda por um abismo de 270 metros por sobre o leito rochoso de um rio seco.

Potter não estava usando qualquer fita de segurança, e nada o segurava à corda a não ser a força de seus pés tamanho 45 e a confiança em que, caso necessário, o pára-quedas que trazia preso às costas se abriria rapidamente e sem dificuldades e o levaria ao chão sem antes arremessá-lo contra as paredes rochosas do cânion.

"Com altura de 1,95 metros e peso de 81 quilos, Potter estava vestindo jeans e uma camiseta azul com o desenho de um gavião. Uma faixa larga ajudava a prender seus cabelos, e lhe dava certa semelhança com um Keith Richards menos emaciado e mais amigo do perigo, arriscando a vida nas montanhas". Disse Jere Longman em sua matéria.

Quando Potter subiu à corda de 55 metros de extensão - uma faixa de azul iridescente brilhando contra o tom pálido de adobe e o verde esmaecido das paredes do cânion - ele estava teoricamente se tornando a primeira pessoa do planeta a combinar o High line ao BASE jumping.

Potter estava dando um novo passo rumo à realização de seu desejo de voar, dessa vez não fantasiado de pássaro com um traje de nylon dotado de asas, e nem vestido de esquilo, duas coisas que já tentou no passado, mas sim como solista que saltaria de um penhasco de uma maneira que nem ele mesmo havia ainda compreendido, com uma força e uma concentração que ele ainda não possuía, e simplesmente sairia voando. Os alto-falantes instalados à beira do abismo executavam uma canção de trace music com letra muito apropriada: "Às vezes acho que meus sonhos são loucos".

As caminhadas em corda bamba a uma altitude elevada ganharam o nome de highlining, e representam uma versão ainda mais extrema do slacklining, a prática de caminhar na corda bamba sem a vara que equilibristas do passado costumavam utilizar, e usando uma corda elástica, que permite diversos truques como sentar, deitar, fazer acrobacias ou brincar de bambolê. Já o BASE jumping é um esporte que envolve saltar de pára-quedas de objetos como edifícios, torres, penhascos e pontes.

Potter, há muito vinha despertando admiração como montanhista. Em 2002, no Parque Nacional de Yosemite, ele se tornou a primeira pessoa a escalar os picos El Capitan e Half Dome juntos, e sem uso de equipamento auxiliar, em prazo de menos de 24 horas.

O método significava que ele só poderia usar a força dos braços e pernas para a escalada, sem efeito de alavanca, e que as cordas só poderiam ser usadas para fins de segurança, em uma escalada que, no plano vertical, ultrapassava os 1,5 mil metros.

Trata-se de um esforço que requer grande concentração e velocidade, e que seria impensável para um montanhista amador que pratique escaladas nos seus finais de semana, para uma pessoa como essa, não só seria necessário equipamento auxiliar como férias de duas semanas, para reproduzir o feito.

Em 2001, Potter escalou El Capitan pela via conhecida como "Nose", que ostenta não só um paredão vertical de 900 metros como uma seção reversa de difícil travessia, em apenas três horas e 24 minutos.

O feito é notável em sua economia de tempo, se levarmos em conta que, em 1958, o renomado montanhista Warren Harding precisou de 45 dias para conduzir sua equipe ao topo, por essa mesma via. Potter em diversas ocasiões já realizou escaladas de centenas de metros sem quaisquer cordas, e sem qualquer recurso para lhe oferecer mais estabilidade além de suas sapatilhas e um saquinho de magnésio.

"O esporte depende de momento, depende de atingir aquele estado no qual o tempo e o espaço desaparecem, e tudo mais vai embora. Dean consegue se manter nesse estado por horas a fio, sem deixar que sua mente vagueie, sem deixar que as dúvidas se instalem, mantendo sempre a confiança e a deliberação em todos os movimentos. Imagine na vida real, se pudéssemos ir ao escritório dessa maneira e trabalhar sem distração alguma.", disse Beaver Theodosakis, fundador e presidente da "PRANA", a fabricante de roupas para montanhismo que patrocinava Potter.

Como sempre inovando e se jogando cada vez mas na linha do que parece ser improvável, em agosto de 2008, Potter foi mais ousado: como o mesmo pára-quedas de BASE Jumping.

O "se joga" desta vez aconteceu na Suiça, onde ele usou apenas sapatilhas, magnésio e um pára-quedas de BASE Jumping para escalar a via Deep Blue Sea (Profundo Mar Azul) de 5.12+ localizada nas paredes de calcário do monte Eiger. Modalidade criada e batizada de Free Base pelo monstrinho Dean Potter.

Para concluir a tarefa, Potter fez uma travessia até a via a partir da aresta noroeste do Eiger e solou a formação final da parede, levemente negativa, onde está o crux. Potter optou por não escalar a parte inicial da via por causa de rochas soltas e pela altura, que não proporcionava uma queda com tempo suficiente para abrir o BASE.

Pela sua estratégia, mais "segura", ele teria 15 segundos de vôo a partir das enfiadas mais altas da via, garantindo tempo para abrir o pára-quedas, no caso de uma queda.

Potter conclui a via e saiu caminhando pelo seu cume como toda calma do mundo. Todos os movimentos do cara fora, registrados pelo cineasta outdoor Peter Mortimer e integram o filme The Sharp End, lançado nos Estados Unidos em setembro. O trailer você assiste no youtube.com.

Dean Potter levou seu estilo ousado ao limite e morreu fazendo o que melhor sabia fazer: Abusando dos limites. No dia 17 de Maio de 2015 Dean Potter, acompanhado de Graham Hunt fizeram seu ultimo salto de wingsuit, deixando muitas histórias e um enorme legado de feitos extraordinários.




Publicidade:


Publicidade

Publicidade