O Jeep voador de Pedralva - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Caindo morro abaixo!

O Jeep voador de Pedralva


Aventura de:

Estava eu lendo o livro &ldquo,Montanhismo Brasileiro&ldquo,, cujo autor é Antonio Paulo Faria, onde me deparei no capítulo &ldquo,Coisas que vêem de cima e de baixo&ldquo,, página 220 especificamente, com o relato do incidente em Pedralva - MG, envolvendo a queda de um JEEP.

Como fui um dos protagonistas desta inusitada história, resolvi fazer contato com o autor do livro a fim de esclarecer e detalhar melhor o ocorrido. Iniciei a conversa logo dizendo:

Tú pode não acreditar, assim como muitos que ouvem a história, mas eram eu e mais 5 amigos que escalávamos naquele 04 de maio de 1999. Era minha 1ª vez em Pedralva, onde só existia a via Evolução até então. Havia uma cordada de 3 nas primeiras enfiadas e, assim que liberou a parede, eu e mais 2 companheiros iniciávamos a 1ª enfiada quando um forte estrondo, tipo uma explosão, anunciava que um veículo vinha despencando parede à baixo.

Deu para ver que era um carro e logo gritei apavorado: É uma caranga!!!! Na terceira quicada que a caranga deu na rocha, foi como um F1 se chocando contra o muro. O carro desintegrou-se e os detritos, ferragens, motor, rodas e pneus se espalharam no ar e caíram 20 metros a nossa esquerda! Imediatamente abortamos a escalada e fomos ao encontro dos destroços. Todos nós estávamos apreensivos e temendo encontrar corpos dilacerados e sabe-se lá mais o que?

 ,Só soubemos que se tratava de um JEEP devido à placa-tampa traseira estar timbrada WYLLIS. , Graças a Deus não havia ninguém dentro do carro e ninguém foi atingido na "avalanche veicular".

 ,Logo me veio na mente que o dono jogou o carro penhasco abaixo para ser indenizado pelo seguro. Só para esclarecer, esperamos o dono por 2 horas que, chegou sem ainda acreditar no que acontecera, e, nos contou que tudo começou quando o grupo que acampava no alto do Pedrão estava levantando acampamento e o JEEP não tinha partida. Deram o famoso tranco e a caranga funcionou, mas ainda estava com o freio de mão quebrado.

Colocaram o veículo encostado num barranco em declive, com as rodas esterçadas contra o barranco e com o motor funcionando, para então colocarem as mochilas, barracas e tudo mais no veículo. O problema é que com a vibração do motor, o JEEP começou a deslizar e as rodas logo desesterçaram e, quando viram, era tarde. Lá se foi o JEEP parede à baixo.  ,

Logo na segunda-feira liguei para o meu amigo e instrutor na época, Eliseu Frechou e contei a ele o acontecido, dizendo: Cara, tú não me falou durante o curso de escalada que eu poderia morrer atropelado na via!!!!. Para minha surpresa, tanto ele como todos os outros com quem confidenciava tal experiência, ficavam chocados com o relato e assim, a história tomou proporções nacionais.

Escalo há 11 anos e, hoje com 40 anos, sou mais conhecido por ter presenciado o JEEP despencar como uma avalanche da montanha do que por minhas escaladas e conquistas, mesmo tendo algumas vias conquistadas no Sul de Minas e sendo um dos , pioneiros na região. Quando não estou escalando por aqui, fico no circuito Baú - Andradas - Pedralva, que são municípios que se situam num raio de 80 km da minha casa. Temos uma associação e recentemente fundamos a FEMEMG. Em Pouso Alegre temos uma galera bem bacana, todo ano vamos umas duas vezes para o estado do Rio de Janeiro.

Fico satisfeito por dividir esse incidente histórico com a comunidade e torço para nunca mais presenciar tal ocorrência, afinal, achava mais fácil ser atingido por uma aeronave desgovernada do que por um JEEP em plena linha vertical de uma escalada. O JEEP continua até hoje amontoado no local, servindo inclusive de referência para se chegar à base de algumas vias.  ,




Publicidade:


Publicidade

Publicidade