Andes Xtremo a caminho do Chimborazo - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Andinismo

Andes Xtremo a caminho do Chimborazo

Santiago Quintero completou 44 dias de ascensões, dos 60 previamente estimados. Andes Xtremo, 35 montanhas equatorianas em 60 dias, o ambicioso projeto com o qual o jovem andinista Santiago Quintero iniciou o ano de 2009, chega a sua etapa final, na província de Chimborazo.

Fonte: Diario Los Andes - Riobamba - Equador

Sua meta é chegar ao cume de 35 montanhas dos Andes equatorianos em 60 dias, um desafio que se propôs a fazer para levar uma mensagem de esforço, superação e trabalho aos equatorianos.

Em 18 de janeiro, Santiago iniciou seu grande projeto em Ruco e Guagua Pichincha, os guardiães de Quito, com uma cerimônia de saída especial no Jardim Botânico de Quito.

O andinista e sua equipe passaram já por seis províncias: Pichincha, Carchi, Imbabura, Cotopaxi, Tungurahua, Morona Santiago e já culminou 29 montanhas. A partir desta semana, a província de Chimborazo, mais precisamente Riobamba, será o centro de operações do andinista e da equipe que o acompanha, para desde então seguir para as montanhas que faltam nesta última etapa do Andes Xtremo.

Quintero escolheu Chimborazo, por sua geografia especial e por sua localização estratégica para os deslocamentos para os pontos estabelecidos em seu itinerário.

Nas últimas semanas Santiago subiu os cumes do Sincholagua, Rumiñahui, Iliniza Sul e Iliniza Norte, os quais Santiago descreve como "o quarteto perfeito", além do Morurco, o Quilindaña, o Predicador, Saguatoa, Altar e Sangay, um vulcão ativo onde a ascensão se tornou difícil, devido às constantes erupções. Santiago inicia a última etapa de seu projeto, onde lhe esperam oito difíceis montanhas, entre elas o Chimborazo, a mais alta do Equador, a montanha que Santiago escolheu para finalizar com chave de ouro seu projeto Andes Xtremo.

Andes Xtremo é uma prova de resistência, um desafio, uma façanha que nunca antes se realizou na história do andinismo equatoriano.

A antesala do K2
Este projeto será para Santiago o caminho para seu próximo grande desafio deste ano, o K2, no Himalaya, conhecida como "a montanha das montanhas", pois a carga e o esforço diário que terá que suportar aqui serão muito parecidos ao que viverá no K2, em junho deste ano. Os kilômetros percorridos durante os 60 dias equivalem a correr meia maratona diária.

Santiago dividiu a rota a seguir por províncias, oito no total, aonde estão 35 picos das 39 montanhas de mais de 4.000 metros que existem nos Andes equatorianos.
O projeto pretende mostrar os rincões escondidos do país, ver mais além das montanhas, e demonstrar que todos podem realizar seus sonhos.

Santiago Quintero tem um amor indescritível pelas montanhas. É sua paixão e sue forma de vida tem uma trajetória de 17 anos de escaladas em todos os países andinos da América do Sul: Peru, Argentina, Bolívia, Colômbia e Equador, com um total de 18 rotas extremas em solitário e um total de 9 novas rotas. Além disso Santiago subiu mais de 50 montanhas na América do Sul e um total de 12 seis mil. Sua mais destacada escalada foi a Parede Sul do Aconcagua no ano 2002 pela rota Messner em 30 horas.

"Este amor pelas montanhas me faz feliz e boa pessoa, menos interessado em alcançar posições, e luxos, o que quero é oferecer esperança, exemplo de luta e um espírito que não se dobra, que sempre se esforça para alcançar e compreender a si próprio", disse.

O escalador equatoriano conta com o melhor dos equipamentos que o acompanharão nesta aventura, além do suporte de patrocinadores de empresas privadas. Mas o mais importante, conta com sua perseverança e a vontade de seguir fazendo o que mais ama, descobrir os segredos e os mistérios do que foi seu segundo lar durante 17 anos: a montanha.
No final de semana anterior Santiago e sua equipe estiveram descansando na Hostería Abraspungo, a cinco minutos de Riobamba.

"Mais importante que ter dinheiro, é a satisfação pessoal"
O montanhista Santiago Quintero considera este esporte extremo como sua grande paixão. "Mais importante que ter dinheiro, é a satisfação pessoal. Estar na montanha é uma realização, é uma felicidade. Não tenho problema em estar 60 dias na montanha", expressou.

Para Santiago Quintero esta experiência lhe permitiu conhecer todos os rincões de seu país. "Pude ver onde há veados, lobos, a grande variedade de aves, os recursos hídricos. Aqui se poderia fazer maravilhas realmente, pelos lugares que existem, simplesmente falta organização", comentou.

A expedição completou a ascensão do Carihuairazo de 5.020 metros no dia 31 do mês passado, e na quinta-feira seguiram para Triunfo, para ingressar na região do Cerro Hermoso de Los llanganates, que é uma elevação de 4.639 metros e está localizado em Morona Santiago, oriente equatoriano. Quintero planejou subir o Cerro Hermoso neste último sábado. Depois, irão irão focar nos , cumes restantes: o , Quilimas, de 4.670 metros, o Cubillin, de 4.711 metros, e o Achipungo, de 4.630 metros. No dia 19 de março, se houver bons ventos e São Pedro colaborar, espera chegar ao cume do Chimborazo, com 6.310 metros.

Fonte: Diario Los Andes - Riobamba - Equador

Publicidade:


Publicidade

Publicidade