UIAA chama atenção para acidentes ocasionadoes por chapeletas oxidadas - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Estudo foi feito em ambientes tropicais

UIAA chama atenção para acidentes ocasionadoes por chapeletas oxidadas

A UIAA, União Internacional das Associações de Alpinismo, chamou a atenção de escaladores para que fiquem atentos à proteções fixas em regiões litorâneas tropicais, onde a maresia pode oxidar o material.

Fonte:

Diversos acidentes recentes fizeram a UIAA emitir um comunicado aos escaladores do mundo inteiro para que tenham cuidado ao escalar em zonas litorâneas.

De acordo com eles, a maresia pode reduzir a resistência das chapeletas que podem se romper com uma força de 1 a 5 KN, enquanto que elas deveriam resistir até 22KN. Cada KN é o peso de uma massa de 100 kg.

Um estudo está sendo feito pela UIAA e enquanto ele ainda não é publicado, fica as recomendações da entidade:

  • Antes de escalar, pergunte aos escaladores locais que equiparam a via sobre a qualidade das proteções.
  • Procure saber se a área é regularmente re-equipada. A experiência mostra que com condições de maresia, as proteções duram somente 3 anos antes de se tornarem fracas.
  • Procure por traços de ferrugem nas proteções. Se você ver muitas marcas, não coloque peso nelas, páre sua escalada e alerte os escaladores locais para que possam lidar com a situação ou pergunte a eles se você pode substituir a proteção.
  • Como um princípio de precaução, a UIAA adverte os escaladores a não escalar vias em ambientes tropicais marinhos que mostram proteções enferrujadas, ou para as quais você não sabe quem mantém as vias ou quando elas foram equipadas.
  • Mesmo com o conhecimento sobre as vias de escalada, por último, você deve verificar por conta própria a qualidade das ancoragens locais.

O Brasil é um país que tem uma infinidade de vias nestes ambientes, mas não são todos os locais que tem a merecida manutenção das proteções. Apesar de muitas vias não estarem em condições de escalada, não faça a substituição das chapeletes sem comunicar o conquistador, pois na ética brasileira deve sempre haver um consenso com quem abriu e escalou a via pela primeira vez. Da maneira que as características devem ser mantidas.

A precaução serve tanto para chapeletas quanto para os grampos caseiros. Pois ambos oxidam na maresia, vide as fotos.

Publicidade:


Publicidade

Publicidade