Makalu: cume alcançado por vários alpinistas - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Himalaya

Makalu: cume alcançado por vários alpinistas

Este ano no Makalu o número de alpinistas que chegaram ao cume superou as expectativas, apesar de sua ascensão ser difícil. Uma expedição da Andaluzia perdeu um Sherpa que caiu e morreu.

Fonte:

De acordo com um telefonema de Denis Urubko, Waldemar Niclevicz e Irivan Gustavo Burda chegaram ao cume do Makalu no domingo.

A equipe dos brasileiros aproveitou uma janela de bom tempo e com ventos mais fracos para que seguissem para o cume na madrugada de sábado para domingo. Dos nove membros da equipe internacional, sete conseguiram chegar ao topo, mas apenas os brasileiros tiveram força para retornar ao acampamento base. Os demais membros ainda descansam nos acampamentos superiores da montanha.

O espanhol Carlos Soria, de 69 anos, se torna a pessoa mais velha a chegar ao cume do Makalu. Juan Oiarzabal está de volta ao acampamento base do Makalu após o cume número 22. , ,

Relatos de Lena da RussianClimb.com, informam que Denis Urubko, Eugeny Shutov, Boris Dedeshko e Svetlana Sharipova fizeram o cume no Makalu ontem (segunda-feira).

Do Cazaquistão, Andrey Verkhovod relatou que Maxut está em sua segunda tentativa de cume, muito provavelmente a último desta temporada.

O romeno Alex Gawan escreve em cloudclimbing.ro que um alpinista espanhol teve uma queda de 20 metros, mas estava com auto-segurança e sofreu apenas danos leves. Uma corda fixa, supostamente coreana, rompeu-se com o peso do alpinista espanhol.

Os andaluzes da expedição liderada por Manuel Gonzales relatam que eles perderam um Sherpa em 24 de abril, devido a uma pedra solta, um sherpa escorregou e caiu cem metros ao longo da parede. Ele morreu instantaneamente. Os alpinistas e porteadores levaram várias horas na recuperação e a remoção do corpo em uma maca. A equipe não conseguiu obter um helicóptero para o acampamento base do Makalu para o transporte do sherpa à sua casa, de modo que os porteadores decidiram enterrar o corpo no local.

No dia 11 de maio os alpinistas andaluzes estavam no base do Makalu em último lugar, comparado com o avaço das demais expedições, devido a uma série de problemas por eles enfrentados após a morte do sherpa. A equipe passou alguns dias tentando uma frenética aclimatação na montanha, e fixaram o acampamento 4, seu último, a 7.700 metros.

Com informações da ExWeb

Publicidade:


Publicidade

Publicidade