2009, um ano e tanto para Maximo Kausch - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Montanhismo top!

2009, um ano e tanto para Maximo Kausch

O ano que se passou foi um ano de grandes realizações para Maximo Kausch. Saiba um pouco mais sobre o que ele fez em 2009 que faz dele um montanhista de destaque internacional.

Fonte:

Em 2009 Max começou o ano viajando para escalar em rocha. Ele com seu amigo israelense Eyal foram para a Jordânia, escalar no deserto de Wadi Rum.

Lá tem paredes de mais de 400 metros de arenito cheios de via, todas elas sem proteções fixas, ou seja, são vias longas de escalada tradicional completamente em móvel.

Se não bastasse eles terem repetido dezenas de vias longuíssimas, eles ainda conquistaram uma nova linha em uma Torre sem Nome. A via se chama “Chupa Camel” é um 6a (fr) e tem 260 metros e nenhuma chapeleta batida, num estilo totalmente limpo.

Depois de ter passado mais de um mês na Jordânia, Israel , e quase ter pisado numa mina terrestre na fronteira com a Arábia Saudita, Maximo veio ao Brasil, onde escalou em Minas (Andradas), São Paulo (Bragança Pta) e Paraná (São Luis do Purunã e Anhangava).

Logo depois, Maximo foi para a Argentina, onde fez o curso do WFR (Wilderness First Responder) o curso de resgate em ambientes remotos mais completo do mundo. Em seguida, ele foi para Bariloche, onde fez o primeiro módulo do curso de Trekking Cordilheira, da Associação Argentina de Guias de Montanha.

De volta, ele e eu fomos à Bolívia, onde escalamos as quatro montanhas mais altas daquele país, o Sajama (6542 metros), Illimani (6438), Ancohuma (6327) e Illampu (6300). Não tivemos moleza nestas escaladas, fizemos o Sajama e o Ancohuma com mal tempo e o Illimani abrindo caminho na neve. O Illampu é um caso à parte, ela é a montanha de 6 mil metros mais técnica da Bolívia. Max também fez uma tentativa frustrada de escalar o Parinacota de 6348 metros.

Depois da Bolívia, Maximo foi à Argentina e lá escalou abriu uma nova rota na face Leste do Cerro Vallecitos (5420 metros), a “Cordobês Trucho”, , com graduação sugerida em D/D+ 800 mts IV 50/75°.

Dias depois desta conquista, ele foi para o Cerro Rincón (5280 metros), onde abriu uma nova variante na difícil Super Canaleta, uma rota já existente e que já ceifou diversas vidas devido sua periculosidade. Lá, para evitar as avalanches, ele escalou um novo trecho de rocha. O grau da rota com a variante ficou em D/D+ 1000m V 75º.

No meio de duas grandes escaladas, Maximo conheceu um fracasso, ao tentar estabelecer uma nova rota na face Sul do Cerro Plata (5950 metros). Lá ele foi castigado pelos Ventos Zonda que quebraram sua barraca e o arrastou pela montanha.

Em desistir jamais, Maximo voltou à Cordilheira dos Andes onde abriu uma nova rota, desta vez no remoto e difícil Cerro Tolosa (5403 metros). , A rota que eles abriram ficou graduada em D+ e tem 1600 metros de desnível!!!

Vocês acham que ele fez só isso em 2009? Calma, ainda estamos em novembro, mês que Max decidiu “descansar” e ficar somente escalando em rocha, nas torres de granito de Arenales, em Mendoza – Argentina.

Após este treino na rocha, Max voltou novamente para a altitude, para enfrentar outras montanhas técnicas. Pra começar, mais um seis mil metros, o Cerro Ramada (6384 metros), para aclimatar!

Lodo depois, ele foi para o Pico Polaco, de seis mil metros, onde não conseguiu fazer cume por conta das condições ruins de gelo. Esta montanha é o seis mil metros com rota normal mais dificil da Argentina e Chile, uma vez que fica na fronteira entre ambos países.

Após esta experiência e ficar um grande tempo esperando o tempo melhorar, Maximo fez cume no Cerro Mercedário, a oitava montanha mais alta dos Andes. Detalhe, ele escalou a montanha por sua temida Face Sul, a segunda maior parede dos Andes, que tem 2400 metros de altura! Max fez uma travessia total na montanha, subindo por um lado e descendo por outro, tendo que puxar todo o equipo nas costas nesta enorme e perigosa parede.

Foram 3 semanas isolado na montanha passando fome, pois ele não estava esperando um mal tempo tão prolongado, o que o fez perder 8 quilos!

Em resumo, Maximo esteve em 2009 em oito montanhas de seis mil metros, fazendo cume em seis! Ele também esteve em quatro montanhas de cinco mil metros, fazendo cume em quatro. Max abriu uma via de escalada tradicional e mais três vias mistas de gelo e rocha em montanha de altitude. Ele escalou em 4 países, Brasil, Argentina, Bolívia e Jordânia.

Foi ou não foi um ano e tanto?


Publicidade:


Publicidade

Publicidade