Turismo em Machu Picchu está suspenso por falta de segurança - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Turismo

Turismo em Machu Picchu está suspenso por falta de segurança

Por falta de segurança, está proibida a partir desta terça-feira a entrada de turistas na cidade inca de Machu Picchu por helicópteros - a única via de acesso pela qual é possível chegar à região hoje. A informação foi dada pelo Instituto Nacional de Cultura (INC) do Peru, que negou o pedido da Direção Regional de Comércio Exterior e Turismo de Cuzco (DRCETC) para criar uma ponte aérea que permitisse o transporte de visitantes.

Fonte: veja.abril.com.br

"As operações de helicópteros que foram autorizadas e seguem vigentes são exclusivamente para o abastecimento atendimento do centro povoado de Aguas Calientes, como consequência da emergência ocasionada por fenômenos naturais", disse o INC por meio de um comunicado. A decisão do INC também proíbe que os turistas façam o conhecido "caminho inca", uma rota de vários dias a pé que também serve de acesso a Machu Picchu. A proibição do acesso de turistas a Machu Picchu foi uma medida de segurança tomada pelas autoridades peruanas em consequência das fortes chuvas que atingiram o sul do Peru nas últimas semanas e inutilizaram a ferrovia que chega até a cidade. Cerca de 2.000 de turistas -entre eles 270 brasileiros - ficaram ilhados nas imediações de Machu Picchu e foram resgatados de helicóptero. Após as fortes chuvas, para que não ficasse interrompida a visitação a Machu Picchu, a DRCETC propôs manter um pequeno fluxo de turistas ao monumento inca por meio dos voos de helicópteros, mas o INC considerou que a opção não garante a retirada dos turistas por vias alternativas no caso de mau tempo. "Somos conscientes da queda no nível de receitas que estes eventos naturais originaram, mas isso não pode nos levar a esquecer que nossa principal responsabilidade é cuidar da vida e da integridade física das pessoas", acrescentou o comunicado divulgado nesta terça-feira. Segundo o Ministério de Comércio Exterior e Turismo peruano, serão necessárias pelo menos seis semanas para terminar os trabalhos de reparação da ferrovia e assim restabelecer o fluxo de visitantes a Machu Picchu. Fonte: veja.abril.com.br

Publicidade:


Publicidade

Publicidade