Moradores entram com material de construção no Parque Nacional de Itatiaia - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
PNI

Moradores entram com material de construção no Parque Nacional de Itatiaia

No meio da tarde de ontem, moradores do Parque Nacional do Itatiaia (PNI) convidaram a imprensa para acompanhar a entrada de material de construção para reformas de suas casas. A expectativa do grupo, que compõe a Associação dos Amigos do Itatiaia (AAI), era de que a entrada fosse proibida, mas a passagem dos três caminhões foi autorizada pelos vigias que trabalham na portaria do PNI.

Fonte: A voz da cidade - Volta Redonda

A assessoria de imprensa da AAI enviou material aos jornalistas ressaltando um possível embate entre os moradores e a direção do PNI, mas os caminhões entraram sem problemas, após os vigias verificaram a nota fiscal. “Viva a liberdade! Nosso direito de ir e vir foi garantido”, comemorou Maria Carlota Almeida, moradora do PNI há 40 anos e proprietária do material de construção.

Vinte e cinco pessoas, entre moradores e autoridades municipais, como a vice-prefeita, Gilda Molica, e ainda a primeira-dama, Maria Luiza Bastos, que possui um hotel no Parque Nacional, acompanharam a subida dos caminhões. A expectativa da AAI era de que os guardas criassem algum empecilho para a entrada do material, como teria acontecido em algumas tentativas realizadas no passado. “Há aproximadamente dois anos, pedi ao meu empreiteiro, Fernando de Oliveira Pedroso, para realizar uma reforma na minha casa, e por duas vezes o material foi impedido de subir. Tive que cancelar a obra toda”, contou a moradora Tereza Baptista Galvão.

Um dos vigias que trabalham na portaria do Parque Nacional disse que os moradores, para entrarem com o material de construção na unidade de conservação, devem fazer um pedido de autorização à chefia do parque, e, com ele aceito, a entrada do material é liberada. “Esse não foi o caso de hoje (ontem), pois eles disseram que não tinham a autorização, mas falaram que tinham um documento que garantia isso, que seria encaminhado à chefia do parque. Mas tenho aqui, por exemplo, o pedido de autorização de entrada de material de um hotel, feito semana passada, e tudo vai subir normalmente, como sempre aconteceu”, comentou um vigia.

A principal reclamação dos moradores é exatamente de ter que fazer esse pedido de autorização para a chefia do PNI para subirem com material para as suas propriedades. “Isso é uma arbitrariedade do chefe do PNI, Walter Behr, que quer definir o que podemos ou não fazer dentro da nossa própria casa, isso é um absurdo”, disse Maria Teresa de Mehr, secretária geral da AAI.

Pela resolução feita pelo Parque Nacional, encaminhada para todos os moradores e proprietários de hotéis, para realizar qualquer reforma em suas propriedades devem, além de especificar a quantidade e que material de construção será necessário, e encaminhar ainda cópia do título de propriedade e respectivo RGI, nome do proprietário do imóvel, localização do imóvel, serviço de reforma a ser realizado, tempo previsto de duração, e motivos da reforma.

Outro lado

O chefe do PNI, Walter Behr, afirmou que nenhum pedido de entrada de material de construção para reforma de propriedades foi negado pela administração, sendo que, inclusive, por conta das últimas chuvas e quedas de árvores algumas chegaram a ser feitas imediatamente. “Não entendi o motivo de tal manifestação feita. Vamos agora conferir se os proprietários dos imóveis que lutam tanto pelos seus direitos respeitaram as regras estabelecidas e possuem a autorização para a entrada do material, como os outros fazem”, disse Walter, destacando que não pode responder no momento o que acontecerá caso os proprietários não tenham essa autorização.

Segundo Behr, a legislação impede que sejam realizadas ampliações e construções dentro de um parque nacional, sem que tenham sido anteriormente autorizadas pela sua administração. “Faz parte do nosso dia a dia a autorização desses pedidos dos proprietários, e, como disse, em alguns casos a resposta é imediata”, conclui o chefe do parque.

Fonte: A voz da cidade - Volta Redonda

Publicidade:


Publicidade

Publicidade