Bate volta de feriado em um 6 mil metros - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Marcelo Delvaux no Huayna Potosi

Bate volta de feriado em um 6 mil metros

O montanhista mineiro Marcelo Delvaux resolveu fazer uma escalada diferente neste feriado de Corpus Christi: Escalou uma montanha de 6 mil metros na Bolívia!

Fonte:

Montanhismo de altitude não é fácil. Além das dificuldades naturais das montanhas, como a inclinação das encostas, o frio, a condição do gelo e rocha etc... o montanhista tem que passar um longo tempo em altitude, entre subidas e descidas, para fazer seu corpo se acostumar com a altitude.

Este tempo gasto em aclimatação acaba por afastar muitos brasileiros das montanhas de altitude nos Andes. Hoje, com os preços de passagens aéreas mais acessíveis, é possível voar para uma cidade andina e ter acesso a montanhas em um curto espaço de tempo. O problema, no entanto, é fazer seu corpo se acostumar com a baixa pressão e ar rarefeito.

Driblando todos estes problemas, o mineiro Marcelo Delvaux fez neste último feriado um cume de 6 mil metros apostando na estratégia “quanto mais rápido, melhor”. Deu certo e Marcelo conseguiu culminar o Huayna Potosi, montanha de 6088 metros localizada próximo à La Paz na Bolívia.

O Huayna foi escolhido por Marcelo devido a facilidade de acesso. Ela fica a menos de duas horas de La Paz de carro. É uma montanha que tem dois refúgios, um na base e outro em um acampamento avançado e assim facilita a ascensão.

Marcelo chegou em La Paz na quinta feira, foi sexta para a base da montanha, subiu ao acampamento alto no sábado e no domingo, às 6 da manhã, estava no cume da montanha depois de subir em solitário, chegando de volta à La Paz às 14 horas do domingo! Está comprovado: é possível fazer um 6000 m em um feriado! E tem gente que pensava que eu havia ido para Juiz de Fora! Comentou com humor Marcelo por email sobre seu feito montanhístico.

Realizar ascensões relâmpago no Huayna não é novidade, em 2007 Marcio Carrilho e Pedro Hauck realizaram cume nesta montanha, subindo e descendo em 12 horas desde a estrada, mas eles já estavam aclimatados! Realizar uma ascensão como esta, mas sem fazer aclimatação, pode ser perigoso. Apesar do sucesso de Delvaux, não é aconselhável realizar escaladas desta maneira em montanhas de altitude, mas isso depende muito do organismo da pessoa, pois há gente que se adapta melhor à altitude e gente que nunca se adapta.

Em 2008 o paranaense Elcio Douglas Ferreira escalou o Aconcagua pela rota normal, fazendo o cume em três dias desde sua entrada em Horcones. Elcio, que tem uma resistência acima do normal, fez toda a aproximação sem mulas, levando apenas o indispensável para a ascensão. Acabou fazendo cume de camiseta!

:: Marcelo Delvaux promete: Relato da ascensão ao Huayna em breve!

Publicidade:


Publicidade

Publicidade