Davi Marski sofre complicações no Huayna Potosi - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Resgate na Face Oeste

Davi Marski sofre complicações no Huayna Potosi

Montanhista brasileiro, autor do livro Escalada e Trekking em Alta Montanha, Davi Marski sofre complicações e tem que ser resgatado da maior parede de gelo da Bolívia, a face Oeste do Huayna Potosi.

Fonte:

A face Oeste do Huayna Potosi é a maior parede de gelo da Bolívia, com cerca de 1000 metros de altura. Ela sempre foi uma obsessão na vida de montanha de Davi Marski. Ele já havia tido a intenção de escalá-la outras vezes, mas faltou companheiro para enfrentar este desafio.

Em 2010, não foi diferente, mas desta vez ele contratou um guia boliviano para acompanhá-lo na empreitada.

As informações que recebemos, em primeira mão através da andinista Isabel Suppé, que se encontra em La Paz, é que ontem Davi chegou à exaustão faltando cerca de 200 metros para o cume, e teve que ser resgatado.

O resgate levou mais de 24 horas, mas agora já conseguiram retirá-lo da parede, fazendo um esquema logístico muito arriscado, tirando tanto Davi quanto o guia boliviano, de nome ainda não identificado, por cima e descendo eles pela rota normal, a Face Leste.

As informações que recebemos é que Davi está bem e não sofre risco de vida e que está sendo trasladado agora para La Paz.

Face Oeste do Huayna Potosi

Huayna Potosí é uma montanha de 6088 metros que se localiza na Cordilheira Real, próxima à capital, La Paz, e apesar de ser bastante frequentada pela rota normal da face leste, apresenta muitos desafios tecnicamente em outras rotas.

A face Oeste desta montanha é uma das faces mais impressionantes na Bolívia com os seus 1000 metros verticais. As rotas nesta face normalmente não costumam ser muito frequentadas. É uma escalada em gelo e neve, que normalmente é realizada pela chamada “American Route” ou Via de Lyon, com inclinação de 65 graus, e que tem um nível de dificuldade D- (que significa escalada difícil pela graduação francesa), sendo a rota mais fácil desta face da montanha.

A “Via del Lyon” ou “American Route”, foi realizada pela primeira vez em 1970 por 4 americanos que precisaram de 2 dias na parede.

Neste lado da montanha, dependendo das condições de neve e gelo, bem como da cordada, a escalada pode levar algo em torno de 4 a 24 horas (quando a aclimatação da equipe é ótima e as condições de neve e gelo são excelentes), ou em até mesmo , 40 horas, quando as condições não são tão propícias.


Publicidade:


Publicidade

Publicidade