Primeira ascensão ao Xuelian Nordeste (6.249 m) - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Eslovenos no Tien Shan

Primeira ascensão ao Xuelian Nordeste (6.249 m)

“A face Nordeste do Xuelian, apesar de ter sido tentada em 2009, continua a ser uma fortaleza invencível, um verdadeiro guardião da geleira Muzart, erguendo sua cabeça e vigiando o paso de Muzart e prados de nosso acampamento base.” Essa é a lírica descrição quem fazem o esloveno Ales Holc, Peter Juvan e Igor Kremser da montanha de 6.249 metros de altitude que neste verão (do hemisfério norte) recebeu a primeira ascensão absoluta.

Fonte: Desnivel

O maciço Xuelian, situado na cordilheira de Tien Shan , (China, perto da fronteira com o Quirguistão) é um campo aberto de montanhas de 5.000 a 6.000 metros, com enormes possibilidades para o alpinismo em letras maiúsculas. O escocês Bruce Normand foi seu descobridor principal e promotor, com visitas individuais em 2008 e 2009. Esta segunda expedição, acompanhado pelos americanos Jed Brown, Kyle Dempster e Vilhauer Jared, valeu o Piolet d´Or de 2010, por sua ascensão técnica Xuelian West (6422 m). No ano seguinte, foram Mick Fowler e Paul Ramsden os protagonistas da área, realizando a primeira ascensão da face norte da Sulam (5.380 m).

Bruce Normand e Jed Brown fizeram uma tentativa frustrada do Xuelian Nordeste, que desde então se manteve como o único pico virgem de mais de 6.000 metros no maciço. O escocês e o norte-americano só conseguiram alcançar a altitude de 5400m sobre a crista ocidental, quando decidiram se retirar da montanha.

Quatro dias para os eslovenos

 ,Ales Holc, Peter Juvan e Igor Kremser também optaram pela aresta oeste para sua tentativa no Xuelian Noroeste. "Como uma grande montanha, muitas rotas podem ser identificados, mas a única claramente visível a partir do acampamento-base oferece uma experiência de escalada tentadora e segura”, contam em seu blog, onde continuam a explicando que a linha que eles chamaram de “Arete of trust”, dedicada a Andrej Magajne, amigo falecido em montanha na Eslovênia, em março, percorre a aresta noroeste por mais de 3 km. “Os 2.400 metros verticais são seguidos por 400 metros ao longo da borda do cume, exigindo dois dias inteiros e dois meios dias de escalada alpina sobre gelo, neve e terreno misto “.

Os três alpinistas fizeram a sua ascensão durante quatro dias, entre 27 e 30 de Julho, com 36 horas de escalada real, com as dificuldades que eles estimam em ED2, AI5 e + M5. "Fizemos cume às duas da tarde, com um tempo que estava ficando ruim, com nuvens a bloquear a vista. Uma hora mais tarde, começamos a descida para o lado sudoeste, com pouca visibilidade e guiados apenas por um mapa topográfico do Google e um GPS ". Este descenso levou um dia e meio, com apenas três rapeis e uma dificuldade AI3, 80-60° para 2000 metros de descida em 14 horas de atividade efetiva.

Fonte: Desnível

Publicidade:


Publicidade

Publicidade