Paraná realizou o seu primeiro Festival de Escalada Tradicional - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Setor 3 de São Luiz do Purunã

Paraná realizou o seu primeiro Festival de Escalada Tradicional

De acordo com os organizadores do evento, Andrey Romaniuk, Alessandro Haiduke e Elcio Muliki, o festival foi excelente e superou as expectativas.

Fonte: Andrey Romaniuk

Foi realizado no último final de Semana em Curitiba e no setor 3 de São Luiz do Purunã, o primeiro festival de escalada tradicional do Paraná.

A abertura do evento foi realizada na sexta-feira, na sede curitibana do Clube Paranaense de Montanhismo (CPM). Alessandro Haiduke iniciou apresentando uma palestra sobre o tema 'Ética em conquista'. Em seguida houve uma discussão bem produtiva sobre o assunto. O ponto negativo foi que neste dia poucos estavam presentes para debater um tema tão importante, ainda mais sabendo do grande número de escaladores que existem em Curitiba e região.

Na seqüência Andrey Romaniuk falou um pouco sobre algumas escaladas que seu grupo, o Trad Friends, realizou no interior do Paraná, citando Prudentópolis, e depois com mais ênfase no Pico Agudo, em Sapopema - PR. Apresentaram um vídeo da abertura da via 'Porta para o Infinito', na face sudoeste do Pico Agudo.

Como última apresentação, o escalador Edmilson Padilha, proprietário da Conquista Montanhismo e um dos escaladores de maior destaque no Brasil, falou um pouco sobre o setor do Morro Corpo Seco, em Piraí do sul, e fechou com um vídeo da abertura da via 'Orange Crush', na Serra Pelada em Ortigueira - PR.

Durante o sábado e domingo, houveram em torno de 60 a 70 participantes, de acordo com os cálculos dos organizadores. Foram 53 pessoas inscritas, dentre elas 41 foram premiadas com algum brinde.

A avaliação está sendo super positiva por parte de todos, com ótimos feedbacks. De acordo com Andrey Romaniuk, todos aplicaram as regras de mínimo impacto de maneira satisfatória, prezando sempre pelo tema do encontro, que é a ética e escalada limpa. Romaniuk afirma que nenhum lixo foi abandonado no setor de escalada, e ele pôde constatar que o trabalho nas trilhas foi suficiente para minimizar o impacto de um número maior de pessoas no local.

'O tempo ensolarado também contribuiu de maneira positiva. A vibe estava super legal, com muita escalada, bate papo, amizade e descontração', afirma Romaniuk. 'Além do trabalho nas trilhas, deixamos no Setor 3 alguns croquis plastificados em cada sub-setor, para facilitar a identificação das vias'. Finaliza o idealizador do evento.


 

Publicidade