David Lama libera a via do compressor no Cerro Torre em meio a polêmicas - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Mais do Cerro Torre

David Lama libera a via do compressor no Cerro Torre em meio a polêmicas

O escalador austríaco finalmente terminou seu também polêmico projeto e finalizou ontem a ascensão do Cerro Torre sem utilizar técnicas artificiais, enfrentando dificuldades de até 8a (fr).

Fonte:

Parece que o Cerro Torre insiste em ser manchete nos principais meios de comunicação do montanhismo ao longo do mundo todo com a re- ascensão de antigas polêmicas, formação de novas e agora a solução de mais uma: A que envolve a escalada do jovem austríaco David Lama, conhecido dos campeonatos de escalada e pelo fato de ser filho de um Sherpa.

O fundo de toda polêmica ainda reside na “justiça feita pelas próprias mãos” da dupla de escaladores Hayden Kennedy e Jason Kruk, que após escalarem o Torre pela face Sudeste sem tocar nos grampos deixados em 1970 por Cesari Maestri, em uma das mais polêmicas conquistas da história do montanhismo, decidira na descida arrancar os polêmicos artifícios. Kennedy e Kruk quase foram linchados em El Chaltén e acabaram indo para na delegacia.

Em meio desta controvérsia, reaparece a figure de Lama, que em 2009 resolveu liberar os lances que são escalados em artificial na montanha (que assim foram escalados neste ano pela dupla Kennedy e Kruk, que ao invés de usarem os grampos, utilizaram móveis). Lama teve a grande infelicidade de falhar no intento e ainda deixar na montanha 60 chapeletas que seriam utilizadas pela equipe de cinema que estava filmando a tentativa.

Estes 60 grampos a mais, em uma montanha que já era conhecida pela polemica dos mais de 350 grampos deixados em sua conquista foi um fato repudiado pela comunidade de escaladores do mundo inteiro, que criticaram em massa o jovem escalador, que persistiu em sua empreitada. Em coação a mais este ato de falta de ética, o escalador argentino Rolando Garibotti retornou à montanha somente para remover estas proteções.

David Lama retornou à Patagônia em 2010 e não logrou novamente. Desmotivado e criticado até mesmo por Reinhold Messner, poucos acreditariam que ele iria persistir.

As informações sobre a conclusão do projeto ainda são desencontradas e pouco detalhadas. Sabe-se que Lama teve que escalar lances com dificuldade de até um 8a, na escala francesa de dificuldade, que no Brasil equivale a um 9c ou 10a.

Com esta ascensão, Lama consegue entrar para a história, livrando uma rota muito polêmica e provando que é possível escalar sem os grampos e que é possível sempre corrigir seus erros do passado.

 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade