40 anos do Jantar da Montanha - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Sexta feira, 11 de Maio.

40 anos do Jantar da Montanha

Nesta sexta feira, dia 11 de Maio de 2012, será realizada a 40ª edição do tradicional jantar da Montanha de Curitiba, junto com o aniversário de 10 anos da FEPAM. O evento foi idealizado pelo montanhista Henrique “Vitamina” Schmidlin que estava um preocupado com o andamento do montanhismo do Paraná nos idos de 1972. Fizemos uma entrevista com o Vita para saber um pouco mais sobre as motivações dele em organizar o evento no passado e saber o que ele acha do Jantar hoje em dia.

Fonte: Redação

 

AltaMontanha: Vitamina, como foi que aconteceu a primeira edição do Jantar da montanha? Qual foi sua motivação em organizar o evento?
 
Vitamina: O primeiro aconteceu em 8 de maio 1972.Ainda não havíamos desenvolvido uma data fixa.É que em primeiro de maio era a Abertura de Montanha e por isso facilitaria as comunicações. Naquela época, maior clube de então, partiu exclusivamente para o turismo e ao interpelarmos foram positivos na resposta: Vita, montanhismo já acabou!!  Realmente o montanhismo "de montanha” estava morto, daí organizamos o Jantar da montanha.
 
AM: Mas fazer um jantar não é algo contraditório? Como você acha que o Jantar motivou os montanhistas a deixar de fazer excursionismo e voltar a fazer montanhismo de verdade?
 
Vita: Para retornar o apego, apelo e conscientização pelas atividades  montanheiras, idealizamos reunir os aficionados, apaixonados, ex- praticantes e a nova geração  que começou a aflorar muito incipiente. Precisávamos um catalisador. Nada melhor que em ambiente de confraternização. 
 
AM: Quem te ajudou no começo a fazer o jantar. Como eram realizadas as primeiras edições?
 
Vita:No inicio tínhamos que contar com o chamamento pelos marumbinistas históricos e do Clube de Montanha: Gavião, Pugsley, Pizzato, Ronaldo Cruz, Farofa,etc. Aproveitamos fazer uma enquete solicitando endereços de cada participante e o nome ou nomes de outros montanhistas para contatarmos e até como encontrá-lo? 
 
AM: Como foi que vocês foram parar no restaurante Cascatinha e por que escolheram a data fixa de realizar o jantar todas as segundas sextas feiras do mês de maio?
 
Vita:O primeiro jantar foi realizado na Colônia Pinheirão. Cada ano tentávamos encontrar um local adequado. Adequado no sentido seguinte: todos restaurantes exigiam uma previsão mínima e máxima. 
Aí surgiram os problemas. Você teria que contatar, convencer etc. e na hora "h"por qualquer chuvisco o gajo não ia. Simplesmente sobrava para quem organizava. Por isso no inicio sempre tivemos prejuízos. Até que surgiu a versão Santa Felicidade e o Cascatinha com sua estrutura permitia vir com quantas pessoas que quiséssemos sem prévio aviso. O próprio Madalosso (onde também estivemos) também seguia este critério mas, como seu espaço naquele tempo consistia em uma único e amplo salão, eles colocavam biombos separando os espaços.Dai deu caca. Fase de uma juventude bastante agitada aproveitava para escapulir por entre biombos e além de furtarem muitos talheres  que levavam para os ranchos no Marumbi. Novos prejuízos, até que o Cascatinha priorizou espaço exclusivo e facilitou sobremaneira as coisas.Por isso o controle na entrada, para checar com o levantamento feito pela casa. Por isso atrapalha a contagem quando aparece aquele pessoal na justificativa de só vir bater papo. Depois com as mudanças de praticantes, novos escaladores, outros se aposentando enfim aquela roda viva bem natural e que dificultava localizá-los, idealizamos pela data fixa: toda segunda sexta feira do mês de maio!
Facilitou sobremaneiramente, pois doravante todos áqueles que mudaram para outros lugares ou até para o exterior, comparecem, pois sabem que nesse dia encontrarão seus velhos companheiros. 
 
AM: Qual é sua expectativa para o 40º Jantar da Montanha?
 
Vita: O plano do Jantar prevê a adesão dos outros estados e, em um espaço de poucos anos, queremos transformá-lo num evento da cidade de Curitiba e integrá-lo no  seu calendário turístico Lembrar finalmente que o jantar é um espaço livre e sem dono. Felizmente a FEPAM  e alguns clubes locais estão participando e ajudando neste plano.
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade