Congestionamento no Everest aumenta em 2012 deixando mortos - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Tragédia

Congestionamento no Everest aumenta em 2012 deixando mortos

Quando um leigo pensa na montanha mais alta do mundo, acha que lá é um local selvagem e pouco frequentado. 59 anos depois de sua conquista, mais de 600 pessoas chegam a pisar no cume do Everest na mesma temporada. O problema deste número é que estas pessoas desejam fazer cume a qualquer preço e para isso precisam aproveitar curtas janelas de tempo, sobrecarregando as rotas mais fáceis até o topo.

Fonte: Redação

Na última quinta-feira o AltaMontanha.com recebeu um relato em primeira mão sobre as tragédias do dia 19 e 20 de maio no lado sul do Everest. Ao que parece a conhecida cena de alpinistas sedentos pelo cume, ignorando alpinistas moribundos, deixados ao lado na rota de ascenso se repetiu. Novamente pouco foi feito pelos que estavam perto da morte e pelo menos 2 alpinistas faleceram.

 
No dia 24 de maio, dia que antecedeu o principal ataque ao cume do Everest, pelo menos 300 pessoas se espremiam na longa fila de gente que levava ao colo sul.
 
Ao ver a imensa fila, o alemão Ralf Dujmovits (que é dono da empresa de expedições comerciais Amical) ele teve um sentimento de algumas pessoas não voltariam vivas dali. Ele tirou uma foto que mostra bem o tamanho da fila que centenas de alpinistas enfrentaram no caminho ao cume.
 
O estranho "congestionamento" no Everest começou a aparecer nos últimos anos e gera uma série de problemas para os alpinistas. Estima-se que a causa é atrelada à inexperiência e a quantidade cada vez mais crescente de pessoas que são autorizadas à escalar a
montanha. 
 
Filas como essa do Everest podem ser presenciadas em montanhas menores como o Mont Blanc de 4800 metros de altitude na França. Nesta mais de 1000 turistas chegam a visitar a montanha no mesmo dia. 
 
Segundo o montanhista Maximo Kausch, quem está agora em Kathmandu e acabou de liderar uma expedição à uma montanha vizinha ao Everest "Cada cliente paga em média 40 mil dólares para estar ali e o governo nepalês não está interessado em limitar essas pessoas de subir a montanha. Fora isso esta monção foi bem marcada e a janela do dia 25 foi bem curta, o que obrigou todo mundo a se expremer nesse dia mesmo"
 
Deixados para trás
 
No último dia 20 de maio alguns alpinistas tentaram o cume do Everest. Este foi um dia extremamente frio e com muito vento. Mas o que marcou mesmo as mentes dos que tentaram o cume no dia 20 foram as vítimas do dia 19.
 
Maximo afirma que "O dia 19 foi muito frio e a janela no vento foi de algumas horas. Os que usaram o dia 19 tinham que ser rápidos. No entando não foi isso que aconteceu e acho que 4 pessoas ainda estavam vivas tentando voltar para o acampamento 4 no colo sul quando as
pessoas do dia 20 começaram a escalada. Eles encontraram os 4 vivos ou morrendo. Sei de 4 expediçãoes que não fizeram nada. Só sei de uma pessoa que parou para ajudar todos esses quatro. Acho que era um coreano, um polonês e 2 chineses" afirma o guia.
 
Até hoje 233 pessoas perderam a vida no Everest.

Publicidade:


Publicidade

Publicidade