Escalada e base jumping na Trango Tower? - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Aventura extrema

Escalada e base jumping na Trango Tower?

O acampamento base da Grande Trango Tower (6.286 m) tem alguns inquilinos novos desde sexta-feira. Eles são a equipe Trango Air Wall, composta por escaladores e base jumpers Tim Emmet, Liv Sansoz, Manu Guy e Jerome Blanc-Gras, cujo plano ousado consiste em escalar em livre as incríveis paredes verticais da montanha que fica ao norte do glaciar Baltoro ( Paquistão) e descer em um dos base jumpings mais alto já feito.

Fonte: Desnivel.com

 

Não será nenhum record, já que de acordo com o Guinness Book o maior salto é, desde 2006, do australiano Glenn Singleman e sua companheira Heather Swan, que saltaram dos 6.604 metros no Pico Meru (Índia). Também não será a primeira vez que alguém salta da Trango, uma vez que Glenn Singleman saltou da altitude de 5.955 metros, juntamente com outro 'Aussie' Feteris Nic no verão de 1992.
 
O diferencial deste salto realizado por Emmet, Sansoz, Guy e Blanc-Gras é o estilo de escalada, que pretendem ser em livre, e o fato de que a idéia é que toda a equipe que vai escalar e pular levará todo o equipamento até lá em cima, e descerá com todo ele durante o salto, estilo Alpino puro.
 
Segundo o blog da expedição, "Nosso projeto combina escalada alpina e Base Jumping no lugar famoso e impressionante que é das Torres Trango." E definem sua forma de execução do projeto como "uma combinação entre estilo moderno e radical com uma ética minimalista".
 
Com Eternal Flame na mente
 
A expedição deste verão para o Grande Trango Tower é uma espécie de primeiro passo para Tim Emmet, Sansoz Liv Jerome Blanc-Gras e Guy Manu como uma equipe, antes de decidir tentar a primeira ascensão em livre e base jump da mítica via Eternal Flame na Nameless Trango Tower de 6.239 metros.
 
"Eternal Flame era o nosso plano original", eles escrevem em seu blog, explicando que "por uma série de razões, pensamos que seria mais sábio escalar a Grande Trango este ano e ter uma visão privilegiada do potencial do sato e aterrizagem da Nameless Tower. No entanto, há muitas incógnitas para nós. Será que vamos encontrar uma saída segura? Onde vamos pousar? E sobre a escalada e equipos? Também estamos todos preocupados em ser tão cautelosos quanto possível e não hesitaremos em descer pela rota normal se as condições não forem as melhores possíveis".
 
Uma equipe experiente
 
Os quatro protagonistas da aventura extrema têm um background substancial como caminhantes, alpinistas e jumpers, além de serem amigos ha 12 anos. Liv Sansoz foi duas vezes Campeão do Mundo de Escalada de Dificuldade (1997 e 1999), três vezes campeão da Copa do Mundo (1996, 1998 e 2000) e uma vez campeão europeu (1996). Mais recentemente mudou seu estilo pra rotas mais longas terminando em base jump.
 
Tim Emmett é um alpinista versátil, com um alto nível técnico em ambos, rocha e gelo. Em 2010, ele conseguiu a primeira ascensão de “Muy Caliente!” (E10 6c / expo 8b), uma das vias mais difíceis do País de Gales, enquanto que no inverno passado escalou a impressionante “Spray On” (WI10, M9 +) no Canadian Helmcken Falls, paraíso de cascatas congeladas.
 
O guia de montanha, paraquedista e BASE jumper Jerome Blanc-Gras é certamente o mais experiente do quarteto, que já saltou acima dos 6.000 metros ha nove anos em 2003 (Huandoy de 6.122 metros no Peru). Ele também fez diversas expedições de montanhismo, como a que lhe trouxe sucesso no Fitz Roy no inverno de 2002, escalando a Super Canaleta em invernal.
 
Finalmente, no currículo de Manu Guy brilha com luz própria o Piolet d'Or de 1994 que recebeu com seus companheiros jovens de alto nível do Clube Alpino Francês por sua expedição ao Alai Pamir, além de várias primeiras ascensões no Alaska (Monte Wake),  Himalaia (Jannu) ou no Karakoram (Spantik).
 
Boa sorte ao Quarteto Fantástico!
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade