Escalada invernal com sucesso no Cerro Torre - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Frio, muito frio.

Escalada invernal com sucesso no Cerro Torre

Em 30 de julho Stephan Siegrist, Dani Arnold, Thomas Huber e Matias Villavicencio conseguiram uma rara escalada invernal no Cerro Torre, Patagônia.

Fonte: planetmountain.com

Um time de alpinistas altamente experientes composto pelos Suiços Stephan Siegrist e Dani Arnold, o alemão Thomas Huber e o argentino Matias Villavicencio fizeram uma impressionante e extremamente rara escalada invernal no Cerro Torre, utilizaram a famosa Via Dei Ragni e chegaram no cume no dia 30 de julho com excelentes condições climáticas. Que se sabe, esta é apenas a segunda escalada invernal desta via, após a escalada do próprio Siegrist em 1999 junto de Gregory Crouch, David Fasel e Thomas Ulrich, e a terceira invernal que se tem conhecimento por qualquer via da impressionante Torre. A primeira escalada invernal no Cerro Torre foi em 1985 realizada pelos italianos Paolo Caruso, Maurizio Giarolli, Ermanno Salvaterra e Andrea Sarchi, que escalaram a conhecida Via do Compressor.
 
Com base na experiência prévia da equipe (Siegrist escalou com sucesso Cerro Stanhardt em invernal em 2012 e fez a primeira escalada invernal da Torre Egger junto de Dani Arnold e Thomas Senf em 2010), o time preparou sua escalada precisamente pro final de julho. Ajudados pelos amigos Luis e Hector Soto, partiram de El Chaltem no dia 28 de julho com todos os equipamentos e chegaram ao acampamento Niponnino. No dia seguinte continuaram até o Colo Standhardt e até o bivaque abaixo o Colo de La Esperanza, antes de continuar pela parede na manhã seguinte. Siegrist disse "estava totalmente escuro, mas tínhamos que escalar. Só abaixo do El Elmo pudemos apagar as lanternas de cabeça. Estávamos em um local de contos de fadas com inacreditáveis formações de gelo. A rota Ferrari foi um sonho!"
 
Escalaram eficientemente e chegaram ao cume no final da tarde. Em 1999 Siegrist não escalou o cogumelo de gelo de dez metros por causa de proibição aplicada na época por questões de segurança, este ano as condições estavam ideais e todos os quatro chegaram no cume verdadeiro da Torre, o topo do cogumelo. Siegrist explicou "A última vez não escalamos o cogumelo por causa de uma tempestade que se aproximava. Na época não fez diferença nenhuma pra nós. Mas as coisas foram diferentes este ano, sem ventos no cume! Escalamos os fáceis dez metros até o ponto mais alto. Outra experiência inesquecível na Patagônia! Estávamos maravilhados!"
 
As 17:30h Siegrist, Arnold, Huber e Villavicencio começaram a descida e chegaram a seu bivaque às 23:00h. Com a previsão de tempo avisando sobre fortes ventos, optaram por voltar ao Passo Marconi e depois de nove horas caminhando em neve profunda e atravessando o glaciar Marconi, chegaram a margem oeste do Lago Eletrico, onde bivacaram outra noite. Na próxima manhã continuaram até El Chalten e encontraram Hector e Luis no meio do caminho, que traziam consigo pão, cerveja e salame para celebrar.
 
Impressionante escalada!
 
 
 



Publicidade:


Serviços Especializados


GenteDeMontanha

Publicidade

Publicidade