Deslize na ética - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Enzo Oddo e Gabriele Moroni no Brasil

Deslize na ética

Escaladores estrangeiros visitam o Brasil, realizam uma série de escaladas esportivas de grande dificuldade, mas fazem lambança alterando proteções fixas de uma via localizada em Itatiaia.

Fonte: Eliseu Frechou, Revista Montanhas e Blog de Escalada

A passagem do francês Enzo Oddo e do italiano Gabriele Moroni pelo Brasil será inesquecível. A dupla realizou um “climb trip” pelo Rio e Minas, onde realizaram a cadena da via Vaca Louca (10b) na Barrinha à vista e de dois First Ascents de 10c na Gruta de Passa Vinte.
 
Tudo seria perfeito se a dupla não resolvesse fazer uma lambança por sua passada pelo Parque de Itatiaia, onde decidiram remover as proteções fixas da via Tiro no Sol, conquistada em 2007 por Eliseu Frechou, Wagner Pahl, Mariana Candeia e Felipe Guimarães.
 
Realizando isso, os escaladores estrangeiros acabaram por transgredir o código de ética de escalada do Brasil, onde é respeitado o direito autoral. Assim sendo eles não teriam o direito de alterar uma via de escalada sem a autorização dos conquistadores.
 
A intenção dos escaladores seria de "limpar" a via de escalada, uma vez que ela é uma fenda de meio corpo. Um dos conquistadores, Eliseu Frechou, contra argumenta que a fenda é muito larga para proteções móveis sendo que a primeira boa colocação ficaria a 18 metros do chão.
 
No blog de Frechou, na ESPN, ele conta que entrou em contato com a dupla que argumentou que na Europa é “normal” este tipo de atitude. Frechou condenou a atitude da dupla. No código de ética da UIAA, é recomendado que escaladores que visitam países estrangeiros procurem conhecer os códigos de ética locais e os costumes, afim de respeitá-los.
 
A transgressão de ética de Moroni e Oddo acabou por repercutir mundo afora, sendo inclusive publicada em sites como no espanhol Desnível. 
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade