Cumes latinoamericanos na Ásia em 2013 - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Himalaia por Rodrigo Grazotto Peron

Cumes latinoamericanos na Ásia em 2013

Finalizadas as quatro temporadas de escalada na Ásia em 2013 – inverno, primavera, verão e outono (esta, praticamente no fim) – já é possível fazer compilação preliminar sobre as atividades latinas no maior dos continentes.

Fonte: Rodrigo Granzotto Peron

por Rodrigo Granzotto Peron
 
Lista de Cumes Latinos em 2013
 
01 – 30.04 – Shishapangma – Santiago Quintero (Equador)
02 – 11.05 – Everest – David Liaño Gonzalez (México)
03 – 17.05 – Everest – Karina Oliani (Brasil)
04 – 18.05 – Everest – Bernardo Gonzalez (México)
05 – 19.05 – Everest – David Liaño Gonzalez (México) [2 cumes em 2013]
06 – 19.05 – Everest – Horacio Luis Cunieti (Argentina)
07 – 21.05 – Everest – Rodrigo Raineri (Brasil) [3x EV]
08 – 23.05 – Everest – Damian Benegas (Argentina) [4x EV]
09 – 23.05 – Everest – Jefferson dos Reis (Brasil)
10 – 23.05 – Everest – Javier Perez (México)
11 – 26.05 – Everest – Estaban Mena (Equador) [sem oxigênio engarrafado]
12 – 26.05 – Everest – Oswaldo Freire (Equador) [sem oxigênio engarrafado]
13 – 26.05 – Everest – Rafael Cáceres (Equador) [sem oxigênio engarrafado]
14 – 16.07 – Gasherbrum II – Mariano Galván (Argentina)
15 – 19.07 – Gasherbrum II – Jose Rivadeneira (Equador)
16 – 21.07 – Gasherbrum I – Mariano Galván (Argentina) [double-header]
17 – 29.07 – Gasherbrum I – Aníbal Piñeda Gonzalez (Colômbia)
18 – 01.10 – Cho Oyu – Lisete Florenzano (Brasil)
19 – 01.10 – Cho Oyu – Agnaldo Gomes (Brasil)
 
Nota sobre Tatsuo Matsumoto: Além da lista acima, Mr. Matsumoto, japonês radicado no Rio de Janeiro, atingiu o cume central do Shishapangma (8015m), um oitomil subsidiário, no final de setembro, aos 73 anos de idade. Em seu currículo na Ásia, possui também o Everest, Cho Oyu, Manaslu e Ama Dablam. Matsumoto é um dos alpinistas que mais montanhas de oitomil metros culminou após completar 70 anos, um feito incrível.
 
Análise das Principais Atividades Latinas em 2013
 
a) Na Primavera:
 
I – Trio de brasileiros fez cume no Everest: Karina Oliani (terceira mulher brasileira), Rodrigo Raineri (um dos raros latinos com três cumes no EV) e Jefferson dos Reis. Os demais que lá estiveram – Carlos Eduardo Santalena, Carlos Eduardo Canellas, Joel Kriger, Eliezer Júnior e Ana Lúcia Berndt da Luz – não chegaram ao cume. A expedição Grade VI tentava, ainda, uma subida sem oxigênio engarrafado e um salto de parapente, feitos que acabaram não se concretizando, por motivos diversos.
 
II – Cleo Weidlich tentaria um double-header (dobradinha): Shishapangma e Lhotse. Por motivos ainda não divulgados pela escaladora em seu blog, não foi possível chegar a nenhum dos cumes.
 
III – A lenda-viva equatoriana Ivan Vallejo, primeiro sulamericano a conquistar os catorze 8000, retornou ao Everest para liderar a expedição “Somos Ecuador nos Topos do Mundo”, que visa despontar novos talentos de seu país natal: "Não quero que haja um vazio geracional após minha aposentadoria". A expedição foi primorosa, com três cumes – Estaban Mena, Oswaldo Freire e Rafael Cáceres – sem oxigênio engarrafado. Tendo em vista que menos de 3% dos alpinistas conseguem a conquista do Big E sem oxigênio suplementar, o fato de presenciarmos três sulamericanos culminando NOOX juntos foi muito empolgante.
 
IV – Ramiro Tisalema tentou quebrar o recorde de velocidade na subida do Everest (speed ascent), mas não conseguiu completar a tarefa.
 
V – Outros sulamericanos que não conseguiram cume na primavera foram Joshua Jarrin (Equador), que foi para o Everest + Lhotse como guia de expedição comercial; Juan Fernando Carlos (Colômbia) tentou o Dhaulagiri; Fernando-Gonzalez Rubio (Colômbia), após vários anos afastado, voltou à ativa e tentou o Makalu.
 
VI – David Liãno Gonzalez (México) conseguiu uma cobiçadíssima jóia. Culminou o Everest duas vezes na mesma temporada, uma vindo do Nepal (rota normal nepali), outra vindo do Tibete (rota normal chinesa). Assim, realizou duas travessias completas (dupla travessia), feito tentado inúmeras vezes antes, sempre sem sucesso. Entrou para a história.
 
b) No Verão:
 
VII – O argentino Mariano Galván realizou um dos – inúmeros – double-headers (dobradinhas) deste verão paquistanês. Ascendeu o Gasherbrum II e o Gasherbrum I num espaço de quinze dias. Em nosso continente, antes dele, somente o mexicano Carlos Carsolio e o equatoriano Ivan Vallejo haviam feito a dobradinha.
 
VIII – Outros latinos que não conseguiram cume no verão: Ruben Ignacio Contreras (Argentina), Maurício Lopez Ahumada (México) e Badia Bonilla de Luna (México). O primeiro tentou G1 + G2, sem sucesso; os dois mexicanos, que formam a famigerada "Una Pareja En Ascenso", tentaram o Broad Peak.
 
c) No Outono:
 
IX – Tríade brasileira composta por Agnaldo Gomes, Lisete Florenzano e Luiz Fernando (Lui) da Silva Jr., habituais parceiros de escalada de Manoel Morgado, foi ao Tibete em busca do Cho Oyu como integrantes da expedição comercial da IMG (International Mountain Guides, empresa radicada nos Estados Unidos). No dia 1º de outubro, os dois primeiros culminaram a montanha, ao passo que Lui teve que desistir no final de setembro, após ter escalado até 6200 metros.
 
X – Escalando pela Asian Trekking, os venezuelanos Edgar Alfonso Guariguata Herrera e Alejandro José Lamus Varela tentaram o Manaslu, mas desistiram a 7500 metros.
 
e) Análise Final:
 
Foi um ano monumental para a América Latina nos cimos da Ásia.
 
Como acima visto, David Liãno González fez a primeira dupla travessia do Everest, fato jamais concluído anteriormente, apesar de inúmeras tentativas. Igualmente destacada, a expedição do top climber Ivan Vallejo foi coroada de êxito com três sucessos no Everest, e sem oxigênio suplementar (nunca antes uma expedição latina teve tantos alpinistas noox no ponto mais alto do planeta).
 
Prosseguindo os pontos mais destacados do ano, no verão Mariano Galván realizou um raro double-header latino no Karakoram (G1 + G2), em questão de uma semana, juntando seu nome aos dos lendários Carlos Carsolio e Ivan Vallejo.
 
Quanto aos brasileiros, tirando Rodrigo Raineri (figurinha carimbada que se tornou o primeiro a culminar o EV três vezes) todos os demais êxitos foram de escaladores que não tinham ainda oitomil em seu currículo: Karina, Jefferson, Lisete e Agnaldo.
 
Para facilitar a visualização do panorama geral, eis listagem dos brasileiros (critério constitucional/jurídico) que já culminaram algum 8000, com a data do primeiro de seus cumes e, entre parênteses, as montanhas já angariadas:
 
01) 11.07.1985 - Michel Vincent (EV, CO, NP, G2)
02) 22.04.1991 - Sérgio Beck (CO)
03) 14.05.1995 - Mozart Catão (EV)
04) 14.05.1995 - Waldemar Niclevicz (EV, K2, LH, MK, CO, G2, SH)
05) 05.10.2002 - Irivan Gustavo Burda (EV, LH, MK)
06) 27.09.2003 - Paulo Coelho (CO)
07) 02.06.2005 - Vitor Negrete (EV)
08) 25.09.2005 - Ana Elisa Boscarioli (EV, CO)
09) 27.05.2008 - Rodrigo Raineri (EV)
10) 27.05.2008 - Eduardo Keppke (EV)
11) 24.09.2009 - Manoel Morgado (EV, CO)
12) 24.09.2009 - Luis Antonio Felber (CO)
13) 24.09.2009 - Lucas De Zorzi (CO)
14) 24.09.2009 - Cleonice Weidlich (EV, KG, MK, CO, DH, MN, AN, G1)
15) 07.05.2011 - Carlos Eduardo Canellas (EV)
16) 07.05.2011 - Carlos Eduardo Santalena (EV)
17) 17.05.2013 - Karina Oliani (EV)
18) 23.05.2013 - Jefferson dos Reis (EV)
19) 01.10.2013 - Lisete Florenzano (CO)
20) 01.10.2013 - Agnaldo Gomes (CO)
 
 
Autor: Rodrigo Granzotto Peron
Finalização do texto: 8-10-2013
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade