Bolívia: Construção de rodovia afeta caminho Inca - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Na Bolívia se preserva a história

Bolívia: Construção de rodovia afeta caminho Inca

A construção da auto-estrada Potosí-Uyuni foi paralisada porque supostamente havia destruído uma parte de uma antiga via pré-colombiana. Autoridades realizarão inspeções.

Fonte:

A construção da rodovia Potosi-Uyuni, entre os quilômetro 54 à 61, foi suspensa por orientação da consultora que supervisiona as obras desenvolvidas pela empresa brasileira OAF. Davi Urca, parlamentar de Potosí, fez um pedido de suspensão das obras porque acredita que esteja se destruindo um antigo caminho Inca.

O andinista Jacobo Copa sinalizou que pela aquela região passa um caminho Inca de nome Qhapac Ñan. Esta via liga as cidades de Cusco, no Perú, à cidade de Santiago, no Chile.

O gerente do projeto, Alfredo Alarcón, afirmou que "para começar com as obras, foi contratado um arqueólogo que disse que em nenhuma parte da construção existia este caminho Inca", e ainda que a autorização para construção foi feita pela diretoria de arqueologia de La Paz.

O andinista Jacobo explicou que o caminho pré-colombiano já havia sido parcialmente destruído pelas máquinas que trabalham no local.

Segundo o gerente do projeto, caso se confirme a existência do Caminho Inca, entre estes quilômetros seria construída a ponte mais vistosa da estrada.

A construção da rodovia iniciou-se há 10 meses.

Rodovia no Brasil pode destruir Caminho Colonial na Serra do Mar

No Brasil um projeto de construção de uma rodovia vem tirando o sono dos ambientalistas e montanhistas. Trata-se da continuação da BR 101, que percorre o Brasil de norte à sul, porém é interrompida no Paraná.

Como a Serra do Mar paranaense localiza-se muito próxima dos manguezais da Baía de Antonina e Paranaguá, este trecho da rodovia não foi construído no Estado, porém um projeto pretende concluir a obra, com o intuito de facilitar o escoamento da produção de São Paulo ao porto de Paranaguá.

Tal facilidade seria de apenas alguns quilômetros a menos de viagem, porém destruiria uma das áreas mais bonitas da Serra do Mar paranaense. No local onde se pretende construir a rodovia existe a chamada Picada do Cristóvão, também conhecida como Caminho Colonial da Conceição.

O projeto desta rodovia além de destruir boa parte da região ainda repartiria ao meio uma das maiores reservas biológicas do Estado do Paraná, o que acabaria isolando as duas partes e certamente extinguindo algumas espécies ainda nem conhecidas pelo homem.

Publicidade:


Publicidade

Publicidade