Medição ajuda a confirmar nova montanha de 6 mil metros na fronteira Bolívia/Chile - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Nova Geografia

Medição ajuda a confirmar nova montanha de 6 mil metros na fronteira Bolívia/Chile

Montanha localizada na fronteira com o Chile e a Bolívia era tida pelos dois países como uma montanha de 5 mil metros. No entanto, ela foi medida por GPS no ano passado pelo montanhista Maximo Kausch e ganhou a mídia com a possibilidade de ser um novo 6 mil andino. Após um ano, novas medições fortalecem a hipótese de Kaush, que está escalando todos os 6 mil dos Andes.

Fonte: Redação

Estamos no ano de 2014 e mesmo no meio de um mundo informatizado, ainda existem muitas incertezas e desconhecimento sobre a geografia de alguns locais do planeta e certamente a cordilheira dos Andes é um destes locais. Com uma base cartográfica ainda precária, não se sabe com muita certeza a altitude de muitas montanhas e até mesmo os nomes delas.
 
Tentando resolver estes problemas, o famoso guia de montanha argentino que é radicado no Brasil, Maximo Kausch decidiu pesquisar a fundo os Andes e fazer uma lista de todas as montanhas de 6 mil metros na cordilheira afim de escalá-las. Em sua árdua tarefa de escalar todos estes picos, ele teve sua atenção voltada ao Capurata, localizada entre a província de Oruro na Bolívia e a região de Arica no Chile, depois que ele escalou o vizinho Acotango em 2013. “Notei que o Capurata era bastante alto e proeminente e achei que ele pudesse ser mais alto do que as cartas topográficas diziam, decidi escalar ele”. 
 
O próprio Maximo Kausch através de seu método de detecção de picos mais altos que 6 mil metros não tinha detectado que esta pouco conhecida montanha tinha toda esta altitude. Seu método é baseado nos dados SRTM que foi um projeto desenvolvido pela NASA que fez uma varredura no planeta e obteve a topografia da terra. O SRTM foi obtido com um satélite que “escaneou” a terra, emitindo ondas que refletia na superfície e voltava aos sensores do mesmo. A altitude é obtida no tempo de resposta desta onda. Apesar de serem os melhores dados gratuitos disponíveis nos meios de pesquisa, os dados SRTM tem alguns defeitos, como a interferência de nuvens e também a sua resolução, que é de apenas 90 metros. 
 
Através deste método, a altitude do Capurata era de apenas 5800 metros. No entanto, o próprio relevo da montanha atrapalhou a obtenção dos dados. Como o Capurata é na verdade um vulcão com uma cratera explodida e preenchida por gelo, ele tem vários cumes pequenos emergindo de uma área elevada. Como o cume mais elevado tem uma área inferior à 30m2, a resolução do SRTM não o identifica e por isso ele passou despercebido pelo método.
 
Foi necessário chegar ao cume do Capurata para que Maximo percebesse a real altitude da montanha. Com um GPS de uso civil, ele mediu a altitude de 6014 metros. O método de medição do alpinista é considerado no meio científico bastante impreciso, pois este tipo de GPS tem em média 10 metros de erro. Por isso, poucas pessoas acreditaram em sua afirmação que o desconhecido vulcão era uma montanha de 6 mil metros.
 
O feito de Maximo, chamou a atenção do montanhista equatoriano Santiago Quintero, que com as dicas do guia de montanha argentino fez cume no Capurata e obteve a mesma altura. Um mês mais tarde, o amigo e parceiro de montanha de Maximo, o geógrafo e montanhista paulista Pedro Hauck, ascendeu a montanha e com outro GPS, também de uso civil, obteve nova medição que coincidiu com a de seus parceiros: 6015 metros. 
 
A auferição da real altitude de uma montanha é feita com um GPS especial muito caro, porém com precisão centimétrica. Este aparelho é difícil de ser transportado num ambiente tão hostil como o do Capurata. Portanto a exatidão da altitude desta montanha é uma tarefa bem árdua e cara. Apesar ainda não termos estes dados, a tomada de mais atitudes do topo desta montanha vem mostrado que de fato esta desconhecida montanha entre o Chile e a Bolívia é uma montanha com mais de 6 mil metros.
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade