Brasiliense com perna amputada se destaca na escalada esportiva - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Luciano Frazão

Brasiliense com perna amputada se destaca na escalada esportiva

Muitas pessoas pensam que as limitações físicas restringem a vida dos portadores de necessidades especiais, porém, dependendo da determinação desses indivíduos, este pensamento pode estar muito equivocado. Conheça a história de Luciano Frazão, brasiliense que teve a perna amputada e que agora se destaca na escalada.

Fonte: GPS Brasilia

A escalada esportiva ser um esporte de risco e de rendimento, exige muito esforço físico, equilíbrio, técnica, resistência, força e atenção do atleta, a escalada seria, para algumas pessoas, um dos últimos esportes pensados para indivíduos com deficiências físicas. Mas não para o brasiliense Luciano Frazão. Ele é a prova de que o esporte é para todos, é só querer. 
 
Há quase 19 anos, Luciano sofreu um acidente que lhe custou a perna direita. Ele nadava próximo ao cais de um clube no Lago Paranoá, em Brasília, quando foi puxado pela hélice de uma lancha conduzida por um homem inabilitado e teve a perna praticamente amputada na hora do acidente.
 
Mesmo com dificuldades após o acidente, Luciano não se limitou. Depois de experimentar vários exercícios, encontrou o que mais se identificou: a escalada. “Eu sempre pratiquei esporte, mas a escalada tem sido o que eu mais gostei. Não pretendo parar”, afirma. Pai de uma criança de seis anos, Luciano torce para que o filho siga os seus passos "Daqui a pouco, meu filho vai estar escalando junto comigo", deseja.
 
Luciano treina a modalidade na escola de escalada IBITI, na 311 Norte, onde recebe grande apoio dos funcionários. Quem o ajudou a encontrar no esporte foi o professor do local, o top climber Pedro Rafael, escalador há 15 anos e que recentemente ficou em segundo lugar na etapa brasiliense do campeonato brasileiro de boulder. “Eu encontrei o Luciano por acaso na rua e vi nele um potencial real pra o esporte, porque ele é um cara forte e estava no perfil de um atleta que seria muito fácil de ser treinado", conta Pedro. 
 
Reconhecendo a evolução de Luciano, o professor afirma que já tem planos para o atleta. "Ele é muito dedicado. Meus planos futuros são levá-lo para participar de campeonato panamericano e campeonatos mundiais", assegura. O proprietário da IBITI, Rodrigo Branco Lopes, diz que a presença de Luciano na academia é uma oportunidade para as pessoas verem que o esporte realmente é para todos e que, independentemente de qualquer problema, a superação faz as pessoas desenvolverem outras perspectivas da vida", afirma. "Vê que ele se supera a cada dia  faz parte de uma evolução não só dele como nossa também", finaliza.
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade