Montanhistas partem para os Andes para explorar montanhas virgens - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Com patrocinio da Mountain Everest Foundation

Montanhistas partem para os Andes para explorar montanhas virgens

A expedição foi idealizada pelo montanhista Maximo Kausch e pela cientista inglesa Suzie Imber, e terá a participação do geográfo e montanhista Pedro Hauck e do geógrafo e jornalista Caio Vilela. O projeto foi premiado pela Mountain Everest Foundation (MEF), instituição britânica dedicada a dar suporte à expedições exploratórias e científicas e que irá financiar as escaladas.

Fonte: Redação

Na semana que vem começará a expedição exploratória financiada pela Mountain Everest Foundation com finalidade de ascender montanhas de 5 mil metros virgens e sem nome nos Andes. Esta expedição foi idealizada pelo montanhista Maximo Kausch e pela cientista inglesa Suzie Imber. Eles também terão apoio da Globalstar, empresa de telefones satelitais que também fabricam o rastreador pessoal Spot. 
 
Maximo é um dos maiores conhecedores dos Andes. Atualmente ele é recordista mundial em ascensões a montanhas com mais de 6 mil metros na cordilheira (altitude máxima atingida pelas montanhas da região), com 67 cumes diferentes. Quando o montanhista começou seu projeto, no ano de 2011, ele se deparou com a falta de informações sobre esta região, que na época não tinha uma lista confiável de todas as montanhas.
 
O montanhista, que nasceu na Argentina mas vive no Brasil, elaborou um método de definir as altitudes e descobrir quais eram as montanhas com esta altitude, utilizando dados SRTM (Shutter Radar Topographic Mission), um satélite da NASA lançado no começo dos anos 2000 que tem seus dados distribuídos gratuitamente.
 
Foi através deste projeto que Maximo começou a trabalhar com Suzie. Eles haviam se conhecido no Ama Dablan (localizado no Nepal) e como Suzie é doutora em física e gosta de desafios científicos, ela melhorou o método de Maximo. Utilizando um super computador da NASA ao qual teve acesso, a doutora Imber conseguiu rodar seu programa e descobriu que nos Andes havia 104 montanhas acima dos 6 mil metros. Ela também constatou que havia centenas de montanhas com mais de 5 mil metros que nem nome tinham. 
 
A origem do projeto
 
"Um montanhista que ama ciência e uma cientista que ama montanhismo". Foi com esta máxima que a dupla ganhou o patrocínio da MEF, desbancando diversos projetos do mundo inteiro. Além do ineditismo, o projeto chamou a atenção da instituição britânica por conta de seu caráter exploratório e também por seu conteúdo científico. De acordo com a instituição, o projeto não somente vai gerar conhecimento sobre regiões remotas como também poderá levantar dados arqueológicos.
 
Apesar das montanhas que a dupla pretende escalar serem desconhecidas, muitas das montanhas dos Andes já foram escaladas pelos Incas, que desenvolveram muitas atividades em montanha no auge de seu império, tendo ascendido centenas de montanhas muito tempo antes dos europeus começarem com o montanhismo nos Alpes.
 
Em seu projeto de escalar todos os 6 mil dos Andes, Maximo descobriu inúmeras ruínas incas não catalogadas, e está certo de que nestas montanhas de 5 mil metros poderá haver mais.
 
Outros participantes
 
Além de Kausch e Imber, o projeto terá a participação do geógrafo e montanhista Pedro Hauck. Pedro é mestre em geociências, faz doutorado em geologia ambiental e tem experiência com arqueologia, pois fez estágio no Museu do Homem Americano em São Raimundo Nonato no Piauí, escavando sítios pré-históricos no interior do Parque Nacional da Serra da Capivara.
Ele e Suzie partem em um veículo 4x4 especialmente preparado para enfrentar a altitude e andar fora de estrada nos Andes na semana que vem. A dupla percorrerá cerca de 4 mil quilômetros até chegar à na região do Paso San Francisco, entre o Chile e a Argentina, onde fará sua aclimatação e onde se concentra a maioria destas montanhas.
 
Maximo irá para a Rússia guiar uma das etapas do Projeto 7 Cumes, que está sendo realizado pelo Canal Off com Gustavo Ziller. De lá, ele voará até o Chile onde se encontrará com o resto da equipe.
 
Na sequencia, o jornalista Caio Vilela, que é uma das pessoas mais viajadas do Brasil, se juntará a eles para relatar a expedição e produzir material para a imprensa. A expedição, no entanto, não será divulgada somente em meios jornalísticos. Um dos objetivos é relatar os conhecimentos gerados em artigos científicos. O primeiro a ser publicado será sobre o método Imber & Kausch de descobrir montanhas e determinar sua altitude, que foi como tudo começou.
 
A expedição terá acompanhamento 24 horas por dia, através da página do rastreador pessoal SPOT no site GenteDeMontanha, que é a agência de expedições a montanhas de Maximo e Pedro.
 

Publicidade