IcmBio divulga estatísticas de visitação dos Parques Nacionais brasileiros - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Houve recorde de visitação nos parques, mas a realidade não mudou.

IcmBio divulga estatísticas de visitação dos Parques Nacionais brasileiros

São 7,1 milhões de visitantes, um aumento de 8,4% em relação a 2014. Mesmo assim números pequenos comparados com o potencial turístico. Baixos investimentos e política de restrição impede que o Ecoturismo deslanche, gere renda e ajude que as paisagens brasileiras sejam de fato protegidas.

Fonte: G1

O Instituto Chico Mendes (ICMBio), órgão ambiental que administra os Parques Nacionais brasileiros divulgou nesta semana as estatísticas de visitação das unidades por eles administrados. De acordo com a instituição, o Brasil recebeu no ano passado 7,1 milhões de visitantes em suas Unidades de Conservação (UC’s), um aumento de 8,4% em relação a 2014. Trata-se do maior número desde a criação dos parques.
 
Apesar do novo recorde, o que sinalizam uma mudança, a realidade dos Parques brasileiros não é das melhores, pois eles ainda recebem pouco investimento, há ainda pouca infraestrutura turística e são poucos os que geram receita. Apenas a título de comparação, um único Parque Nacional americano, o de Yosemite, na Califórnia, recebeu em 2014 um pouco mais de 4 milhões de visitantes, mais da metade que a soma de todos os parques do Brasil neste ano recorde.
 
Outro problema dos parques brasileiros são as políticas restritivas. Enquanto parques na Europa, nos Estados Unidos e até mesmo nos países vizinhos do Brasil, como Chile e Argentina, são locais destinados ao turismo e ao lazer, os gestores dos parques brasileiros defendem a visão de que os parques se destinam unicamente à preservação da natureza, criando empecilhos à visitação. 
 
Estradas de acesso em mau estado, inexistência de hotéis, pousadas e campings, proibições sobre a prática de esportes são realidades comuns nos parques do Brasil, que tem como modelo o Parque Nacional do Iguaçu, uma unidade de Conservação de 185 hectares que preserva os últimos remanescentes de mata atlântica do interior do Paraná, mas que praticamente limita o turismo à contemplação das Cataratas do Iguaçu.
 
Rico em paisagens e com grande potencial de desenvolvimento de turismo onde as pessoas interagem com a natureza, o Brasil não somente desperdiça suas belezas, como dinheiro. São poucas as Unidades de Conservação sustentáveis, ou seja, que suas receitas dão conta dos gastos de manutenção. A maioria dos 71 parques nacionais brasileiros precisa de verbas do Ministério do Meio Ambiente, uma das pastas que menos recebem recursos do governo Federal.
 
Sem dinheiro, os parques amarguram. Não há pessoal para auxiliar na visitação e tão pouco para promover a conservação e a fiscalização, muito menos para resolver as questões fundiárias dos mesmos, já que os parques estão em terras particulares.
 
Os números totais escondem outra realidade. Das 71 UC’s, apenas uma responde por quase metade das visitações, o Parque da Tijuca, no Rio, que ainda lidera a lista, com 2,9 milhões de visitas. A unidade que fica dentro da área urbana da segunda maior cidade do país é conhecida por abrigar o Mirante do Corcovado e o Cristo Redentor. Apesar do número expressivo de visitas, houve uma queda em relação a 2014 – ano de Copa do Mundo –, quando 3,1 milhões de pessoas frequentaram a unidade. A expectativa em 2016 é que as visitam voltem a subir, já que a cidade é sede das Olimpíadas.
 
Já o Parque Nacional do Iguaçu, o segundo mais visitado, é tido como parque modelo. Ele teve o maior número de frequentadores de sua história no ano passado: 1,6 milhão. Nele ficam as cataratas do rio Iguaçu, patrimônio da humanidade e principal atração na tríplice fronteira, é um local de passagem de turistas entre Brasil e Argentina. 
 
É bastante admirável que figura entre os 10 parques mais visitados no Brasil o Parque de São Joaquim em Santa Catarina com quase 100 mil visitas. Este parque em 2015 foi fechado por seu gestor por não ter um plano de manejo, limitando sua visitação ao mirante da Pedra Furada. Tal decisão gerou protestos em Urubici, cidade que depende do turismo que teve sua economia afetada com a decisão.
 
Dentro do grupo de proteção integral, os parques nacionais são, segundo o ICMBio, a mais popular e antiga categoria de unidades de conservação. O objetivo, segundo a legislação brasileira, é preservar ecossistemas de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas, realização de atividades educacionais e de interpretação ambiental, recreação e turismo ecológico, por meio do contato com a natureza. 
 
Conheça abaixo os dez Parques brasileiros que mais receberam visitantes em 2015:
 
1º - Tijuca – 2.945.355 visitas
ONDE FICA A SEDE: Rio de Janeiro (RJ)
COMO CHEGAR: A pé, de bicicleta, motocicleta, carro e ônibus no centro. Para conhecer a estátua e o mirante, de trem, na Rua Cosme Velho
ATRATIVOS: Corcovado, Cristo Redentor, a primeira floresta replantada do mundo, trilhas e cachoeiras e ruínas das fazendas de café
 
2º - Iguaçu – 1.642.093 visitas
ONDE FICA A SEDE: Foz do Iguaçu (PR)
COMO CHEGAR: pela BR-469, no km 22,5
ATRATIVOS: Cataratas do Iguaçu.
 
3º - Jericoacoara– 780.000 visitas
ONDE FICA A SEDE:  Jijoca de Jericoacoara (CE)
COMO CHEGAR: pela rodovia CE-085, também conhecida como Rodovia do Sol Poente
ATRATIVOS:  Praia e monumentos como a Pedra Furada
 
4º - Brasília – 294.682 visitas
ONDE FICA A SEDE: Brasília (DF)
COMO CHEGAR: acesso pelo portão 1 na BR-450, Via EPIA – Estrada Parque Indústria e Abastecimento, Setor Militar Urbano
ATRATIVOS: Conhecido como “água mineral” é um parque praticamente urbano. Tem Piscinas formadas a partir dos poços de água, que surgiram às margens do Córrego Acampamento, e trilhas
 
5º - Serra dos Órgãos – 217.372 visitas
ONDE FICA A SEDE: Teresópolis (RJ)
COMO CHEGAR: na área urbana, na Avenida Rotariana s/nº (que interliga a BR-116 Rio-Bahia, na altura do km 89,5, à cidade)
ATRATIVOS: Piscinas de águas naturais, área para piquenique, trilhas e cachoeiras. Trekkings e montanhismo. 
 
6º - Chapada dos Guimarães – 174.855 visitas
ONDE FICA A SEDE: Chapada dos Guimarães (MT)
COMO CHEGAR: A rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), que dá acesso à entrada do parque, margeia-o a partir do km 26, até o Complexo Turístico da Salgadeira
ATRATIVOS: Distrito de Água Fria, Igreja de Nossa Senhora de Santana, Trilha do Matão, Mirante do Centro Geodésico da América do Sul, Cachoeira da Martinha, Caverna Aroe Jari e Lagoa Azul
 
7º - Itatiaia – 133.801 visitas
ONDE FICA A SEDE: Itatiaia (RJ)
COMO CHEGAR: pela Dutra (BR-116) até a cidade de Itatiaia, na altura do km 318
ATRATIVOS: Pico das Agulhas Negras, trilhas e cachoeiras. 
 
8º - Aparados da Serra – 106.899 visitas
ONDE FICA A SEDE: Cambará do Sul (RS)
COMO CHEGAR: pela BR 101, entrada do acesso para São João do Sul - Praia Grande e 23 km de estrada de terra até a entrada do parque
ATRATIVOS: Cânion Itaimbezinho; com profundidade de até 700m, paredões verticais e fenda estreita, é um dos maiores das Américas
 
9º - Ubajara – 104.924 visitas
ONDE FICA A SEDE: Ubajara (CE)
COMO CHEGAR: saindo de Fortaleza, o acesso é pela BR-222 até o município de Tianguá e depois pela Rodovia da Confiança (CE-187)
ATRATIVOS: Gruta de Ubajara, situada em uma depressão de 535 metros com relação à Plataforma Superior do Teleférico
 
10º - São Joaquim – 94.412 visitas
ONDE FICA A SEDE: Urubici (SC)
COMO CHEGAR: pela SC-438 até Bom Jardim da Serra ou Urubici
ATRATIVOS: Caminhadas; os cartões-postais são a Pedra Furada e o Morro da Igreja
 

Publicidade