Do sertão cearense ao topo do mundo, a história de Rosier Alexandre - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Um vencedor

Do sertão cearense ao topo do mundo, a história de Rosier Alexandre

No dia 21 de Maio de 2016, o montanhista Rosier Alexandre se tornou o primeiro nordestino a fazer cume no Everest e de cara finalizou o circuito dos 7 cumes. Ainda que chegar no topo do mundo tenha se tornado comum, dado o grande número de gente e inclusive de congestionamento na montanha, a história de Rosier engrandece o feito. Nascido numa casa de taipa no sertão do Ceará, Rosier foi lavrador até os 15 anos, engraxate e vendedor de frutas. Conheça um pouco da história deste grande vencedor.

Fonte: Redação

Rosier Alexandre nasceu no sertão nordestino, região geralmente assolada por secas e sob o clima semiárido na área rural do município de Monsenhor Tabosa no Ceará.  Como muitas crianças pobres, Rosier teve que ajudar os pais na lavoura, onde ele trabalhou até os 15 anos de idade. 
 
Casa onde Rosier Alexandre nasceu em Monsenhor Tabosa - Ceará.
 
Inquieto e sonhador, Rosier lutou contra a pobreza trabalhando muito. Foi engraxate e vendedor de frutas. Entrou na faculdade, onde cursou Marketing e venceu na vida.
 
Já adulto, se interessou pelo montanhismo, algo impensável para alguém com origens tão humildes e se tornou o primeiro brasileiro do Norte/Nordeste a escalar o Aconcágua (6.962m), a maior montanha da terra fora da Ásia, provando que qualquer pessoa pode realizar coisas extraordinárias. 
 
Ingressando no circuito dos 7 cumes, Rosier escalou as montanhas mais altas de cada continente: Denali (América do Norte), Kilimanjaro (África), Elbrus (Europa), Carstenz (Oceania) e Vinson (Antártida). Restando somente a montanha mais alta da Ásia, que é simplesmente o Everest.
 
O filho de agricultores foi à montanha mais alta do mundo duas vezes, para presenciar duas tragédias, a primeira em 2014 quando uma avalanche matou 16 sherpas na cascata de gelo e outra um ano depois quando uma avalanche ainda maior, ocasionada por um dos piores terremotos da história vitimou ainda mais gente.
 
Pelo terceiro ano seguido Rosier voltou ao Everest, mas desta vez pelo lado tibetano da montanha, no Norte e com muita insistência venceu mais este desafio em sua difícil vida, marcada por superações.
 

Publicidade