Informações extra oficiais apontam 18 mortos na tragédia do K2 - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Uma das maiores tragédias do montanhismo

Informações extra oficiais apontam 18 mortos na tragédia do K2

O montanhista espanhol Alfredo García, que voltou do Himalaia após liderar a expedição K2-Broad Peak, contou à Agência Efe que as últimas informações divulgadas pelas autoridades paquistanesas e chinesas já falam de 18 mortos na sucessão de acidentes que aconteceram na montanha K2 há três dias.

Fonte:

García disse à Efe que, com estas informações, as autoridades dariam como mortos vários membros de uma expedição da qual não se tem notícias desde sábado, já que, "fisicamente, é impossível que continuem vivos a mais de 8 mil metros".

Esta expedição seria composta principalmente por americanos, que no mês passado tinham se encontrado várias vezes com montanhistas mexicanos que acompanhavam García em seu retorno do Himalaia para Islamabad, declarou.

Estas informações aumentariam o número de mortos oficial da catástrofe, que ontem estava em 11, mas já se reconhecia que havia mais desaparecidos.

Além disso, García explicou à agência EFE que vários montanhistas foram resgatados com congelamentos.

O alpinista ainda destacou que, "após esta catástrofe, é preciso analisar muitas coisas para que isto não possa voltar a acontecer no futuro".

O espanhol explicou que aconteceram vários acidentes no K2 no mesmo dia, "um deles por uma avalanche que não era possível prever", mas outros montanhistas presos no topo do K2 "chegaram ao cume tarde demais, por volta das 8 horas da noite, e assim era impossível descer com segurança".

O grupo que desceu mais tarde é o que mais teve vítimas, "algumas porque tentaram descer pelo lugar onde a neve tinha arrastado as cordas" e outros "porque ficaram esperando e congelaram".

De fato, um dos casos mais dramáticos é o de dois coreanos que, "quando foram andar, estavam com as pernas congeladas e seus companheiros tiveram que deixá-los ali".

O K2, a segunda montanha mais alta do mundo, com 8.611 metros, "é uma montanha que cativa e atrai montanhistas de todo o mundo e acho que continuará sendo assim", concluiu García. (EFE)

Publicidade:


Publicidade

Publicidade