Trecho mais perigoso da escalada do Everest está mais fácil? - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Hillary Step

Trecho mais perigoso da escalada do Everest está mais fácil?

É o que diz o montanhista britânico Tim Mosedale, guia de montanha e dono de uma agência que opera comercialmente na montanha mais alta do mundo. Fato já havia sido notado no ano passado, o que fez muita gente acreditar que o Hillary Step havia caído com o terremoto que abalou o Nepal em 2015. No entanto, outros montanhistas afirmam que o trecho, famoso por ser responsável por inúmeros engarrafamentos na montanha está apenas coberto de neve.

Fonte: Redação

O Hillary Step não existe mais”. Com estas palavras o britânico Tim Mosedale reacendeu a polêmica, manifestada no ano passado por alguns alpinistas e rapidamente difundida por outros. Tim, escalou a montanha mais alta do mundo no dia 16 de Maio deste ano pela rota normal nepalesa, que é a rota original da conquista de 1953. O trecho, localizado a 8790 metros de altitude é um escalão de 12 metros de altura com rocha e gelo em uma crista foi o local mais complicado da ascensão e recebeu o nome de um dos conquistadores da montanha, Edmundo Hillary.
 
Este escalão sempre foi um gargalo na escalada do Everest. Muitas vezes se instalava cordas fixas, mas a lentidão em se conseguir subir um obstáculo deste na altitude em que se encontra gerava enormes filas 
 
Modedale tirou fotos deste escalão e comparou com fotos antigas. É nítida a mudança na rota, tanto que neste ano os sherpas fixaram a rota pelo lado direito da crista, que era sempre superado pelo lado esquerdo. 
 
O motivo da mudança da morfologia da montanha ninguém ainda tem certeza, porém a hipótese mais comentada é que parte da crista pode ter caído com o terremoto que sacudiu o Nepal em 2015.
 
A Nepal Mountaineering Association (NMA), no entanto, emitiu uma nota dizendo que o trecho não desmoronou. Ao invés disso a rocha antes muito mais proeminente está agora mais afundada na neve. “O Hillary Step está no mesmo lugar de sempre”, afirmou Ang Tshering Sherpa, porta voz da entidade. A rocha não está bem visível por que houve mais neve na montanha nesta e na temporada passada.
 
VEJA MAIS
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade