A notícia dos quatro montanhistas mortos em suas barracas no Everest é falsa - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Mal-entendido

A notícia dos quatro montanhistas mortos em suas barracas no Everest é falsa

Uma notícia que se tornou viral esta semana e foi publicada em inúmeros meios de comunicação sobre a morte de quatro alpinistas no Everest, encontrados em suas barracas, não é verdadeira.

Fonte: Redação

O site de notícias espanhol Desnível, um dos maiores meios de comunicação do montanhismo no mundo, publicou na última sexta feira uma nota afirmando que uma notícia veiculada na imprensa mundial sobre a morte de quatro montanhistas no Everest não é verdadeira. 
 
A notícia se espalhou pelo mundo, sendo publicada por importantes agências de notícias, chegando inclusive a ser exibida na CNN e o G1 no Brasil. De acordo com a notícia, quatro pessoas haviam sido encontradas mortas dentro de suas barracas no acampamento 4 do Everest, a 7950 metros de altitude. Após diversos meios noticiarem, até mesmo a Desnível publicou a falsa notícia.
 
Quem avisou que a notícia era falsa foi o montanhismo argentino Damián Benegas. Ele e seu irmão Guillermo Benegas, que chegou a seu décimo segundo cume na montanha, estavam no colo sul, local onde fica o campo 4 e após varrerem o acampamento procurando informações, perceberam que tudo não passava de um mal-entendido.
 
A notícia falsa foi mal interpretada após Mingma Sherpa, diretor e proprietário da agencia Seven Summits deu a informação da morte de 4 montanhistas na montanha. Notícia esta verdadeira. No entanto, Rajan Pokhel, repórter do Himalayan Times, jornal de Kathmandu que é uma importante fonte de notícias sobre as montanhas do Nepal, acreditou que se tratavam de novos casos de óbitos e isso se espalhou pelo mundo.
 
Pokhel, diz que fez contato com pessoas no campo base do Everest, e eles confirmaram a notícia falsa. No entanto não se sabe se quem confirmou os fatos errados entenderam os questionamentos do jornalista. O Nepal é um país multicultural e existem muitas línguas com origens totalmente diferente. Em Kathmandu se fala Nepali, língua que descende do hindu. Nas montanhas fala-se outras línguas, dentre elas o sherpa, de origem tibetana. 
 
O blogueiro Alan Arnette, que todas as temporadas realiza uma cobertura muito completa sobre o que acontece no Everest, confirmou o erro e afirma que a notícia dos quatro mortos nas barracas é falso. Arnette tenta entender como aconteceu este mal-entendido. 
 
De acordo com o blogueiro, quatro sherpas da empresa de Mingma foram enviados para recuperar o corpo do alpinista eslovaco Vladimir Strba, morto entre a plataforma Balcony e o colo Sul quando tentava escalar a montanha sem oxigênio e sem fazer parte de nenhuma expedição. Estes sherpas também tinham como missão recuperar do colo sul o corpo do montanhista indiano Gautam Ghosh, que morreu na montanha na primavera passada. A busca e recuperação destes corpos aconteceu no mesmo tempo que outro montanhista indiano falecia, Ravi Kumar, que estava desaparecido e morreu perto da plataforma Balcony quando descia do cume e se separou de seu guia.
 
Foram quatro montanhistas que morreram no Everest no último final de semana: Além de Strba e Kumar, morreu o americano Roland Yearwood de 50 anos e o australiano Francesco Enrico Marchetti de 54.
 
VEJA MAIS:
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade