Montanhistas e IAP irão apurar causa de queimada na Serra do Mar no Paraná - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Voluntários acham que o incêndio foi criminoso

Montanhistas e IAP irão apurar causa de queimada na Serra do Mar no Paraná

Os montanhistas voluntários que trabalharam para conter as chamas no Parque Estadual do Pico Paraná ontém, acharam que o incêndio pode não ter sido natural. O IAP promete que vai apurar.

Fonte:

O incêndio que consumiu 20 hectares de vegetação do Parque Estadual do Pico Paraná, em Campina Grande do Sul, PR, pode ter sido causado pelo homem. É o que suspeitam os montanhistas que trabalharam voluntariamente na contenção das chamas.

O incêndio que começou na quinta feira (4) de manhã se alastrou até meados da tarde de sexta, quando um grupo formado por voluntários e por Bombeiros controlaram as chamas. Ele ocorreu no interior do Parque Estadual do Pico Paraná, no morro da Pedra Branca, nas próximidades da Fazenda que dá acesso à três montanhas bastante populares para a prática de montanhismo, o Tucum, Camapuã e Ciririca.

Além da suspeita de serem causadores do incêndio, o IAP ainda encontrou na propriedade uma grande quantidade de lixo depositado na margem de um córrego próximo à sede da Fazenda.

O incêndio felizmente não atingiu a proporção da queimada que houve há exatamente um ano atrás no Morro do Caratuva, no mesmo Parque Estadual. O fogo também não atingiu a floresta primária do Parque, tendo consumido em sua maior extensão, trechos recobertos por campinarama e samambaiais, que devido à grande biomassa geraram grandes labaredas e foram consumidos rápidamente.

A queimada, no entanto, só não tomou dimensões catastróficas devido à agilidade dos Bombeiros e dos voluntários que eram todos montanhistas organizados pela FEPAM, a Federação Paranaense de Montanhismo. A FEPAM criou uma brigada e realizou treinamentos, além de adquirir equipamentos para o combate à incêndios florestais para que um desastre como o ocorrido com o Caratuva no ano passado não se repetisse.

Hoje choveu consideravelmente na Grande Curitiba e é muito dificil que os focos de incêndio da Pedra Branca sejam retomados. A umidade vai dificultar também a ocorrência de novos focos na Serra do Mar. No dia da queimada, umidade do ar na região foi de apenas 15%, a mais baixa do ano.

Publicidade:


Publicidade

Publicidade