Recuperado de câncer no pulmão tentará escalar o Aconcagua - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Exemplo de superação

Recuperado de câncer no pulmão tentará escalar o Aconcagua

Peter Czanyo, que tem sua capacidade pulmonar reduzida para menos de 60% graças à um câncer no Pulmão, vai tentar escalar a mais alta montanha das Américas!

Fonte:

Treinando já ha alguns meses, ele já escalou diversas montanhas e participou de várias maratonas. Agora seu objetivo é mais claro, ainda que nada fácil: Chegar ao topo da montanha mais alta dos Andes!

A escalada, embora não seja fácil mesmo para alpinistas experientes, é ainda mais difícil para quem ainda está iniciando neste esporte e que há cinco anos estava entrando numa sala de cirurgia para retirar um tumor, fato que fez com que perdesse cerca da metade de um de seus pulmões.

O argentino Peter Czanyo tem hoje sua capacidade respiratória reduzida em cerca de 60 por cento, porém já está recuperado da enfermidade, e para demonstrar ao mundo que esta terrível doença tem cura, resolveu escalar o Aconcagua no final de janeiro.

Apesar de todo o problema que teve, ele nunca baixou seus braços e nem tão pouco deixou de crer que estaria curado. Seu lema é "Ser otimista, viver a vida com plenitude e acreditar que é capaz"!

Para o topo da montanha, levará a bandeira da Fundação de Pacientes Contra o Câncer de Pulmão e da logomarca "Uma Montanha Contra o Câncer". Esta é a primeira iniciativa da entidade que luta pelos direitos dos pacientes que lutam contra este tumor maligno.

"O que trava a pessoa com câncer é o medo, a dúvida. O que eu quero transmitir é que é possível, que cada um pode buscar o seu Aconcagua, seja escalando uma montanha, realizando outra atividade esportiva ou até reatando toda a qualidade de vida que sempre teve, antes de adoecer", sustenta o presidente da Fundação.

Câncer de Pulmão

Este tipo de câncer é um dos mais freqüentes no mundo todo e, segundo os dados da ONU, é o tipo mais letal de câncer, ceifando a vida de cerca de 1,2 milhões de pessoas por ano no mundo.

O tabagismo (cigarro) está associado a 90 por cento dos diagnósticos de câncer no pulmão e somente na América Latina, cerca de 100 milhões de pessoas possuem esta doença.

O tratamento depende do tipo do câncer, o estágio (grau de dispersão), entre outros fatores e incluem a cirurgia, quimioterapia e terapia radioativa.

Os principais sintomas que sugerem o câncer de pulmão incluem a falta de ar, tosse com sangue, tosse crônica, chiado no peito, dor no peito ou no abdômen, perda de peso, fadiga e perda de apetite e a dificuldade para engolir.

"As pessoas com câncer geralmente tem assegurado a atenção médica e psicológica, mas existe uma terceira forma de se abordar a enfermidade, que é através dos olhos e da experiência da pessoa que já viveu esta situação. Então, do lugar que eu ocupo, posso oferecer conselhos e apoio!", afirmou o alpinista, ressaltando a importância que as associações de pacientes de câncer no Pulmão possuem no mundo todo!

:: Para saber mais sobre o Aconcagua

:: Para saber mais sobre o Câncer ,

Publicidade:


Publicidade

Publicidade