Especial: As montanhas do Irã, parte I - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Conheça o Damavand

Especial: As montanhas do Irã, parte I

Conheça as montanhas do pitoresco Irã, um país montanhoso e muito misterioso no Oriente Médio que revela ter uma cultura de montanhismo bastante sólida e belas paisagens. Nossa colaboradora internacional, Farnoosh Asadpoor terá o prazer de nos apresentar, do outro lado do mundo, seu belo país e as montanhas que ela tão bem conhece.

Fonte:

República Islâmica do Irã é um país asiático do Oriente Médio que limita a norte com a Armênia, o Azerbaijão, o Turcomenistão e o Mar Cáspio, a leste com o Afeganistão e o Paquistão, a oeste com o Iraque e a Turquia, a sul com o Golfo de Omã e com o Golfo Pérsico. A sua capital é Teerã, a sua língua oficial, o persa.

Conhecido no Ocidente até 1935 como Pérsia, passou desde então a ser conhecido como Irã, palavra que significa literalmente "terra dos arianos" (no sentido étnico do termo, pois o homem ariano é original desta região).

O Irã é um país montanhoso. Em todos os lugares você poderá ver montanhas grandes. No norte do país, desde o Nordeste ao Noroeste há uma grande extensão de serras que se chama Alborz. Lá você verá muitos picos com mais de 4 mil metros de altitude, muitos ainda selvagens e por isso perigosos de serem escalados. Do Oeste ao Sudeste, há também outro alongamento de enormes montanhas que se chama Dena. O pico mais alto desta cadeia montanhosa é chamado de DENA BIJAN 3 ou Ghashe Mastan.

Para além destas montanhas você pode ver alguns picos altos e técnicos no centro do país que estão situados perto da cidade de Kerman. Também há algumas montanhas difusas no sul. Ao norte, perto do Mar Cáspio, predomina uma paisagem bem distinta de planícies, mas não é este o relevo que estamos interessados, então vamos direto ao assunto: A montanha mais alta do meu país, o Damavand.

O monte Damavand

Nos montes Alborz há muita umidade proveniente do Mar Cáspio e por causa destas condições climáticas (muita umidade e precipitação), muitas montanhas são cobertas por vegetação formando serras que ficam verdes quase o ano todo. A montanha mais famosa dos Alborz é a mais alta de meu país, o Damavand que tem 5671 metros e altitude e fica apenas 70 quilômetros de Teerã.

O Damavand é uma montanha especial por que ele é na verdade um vulcão, que há 2.000 anos está em silêncio! Entretanto, você pode ver jorrar enxofre e água quente perto do cume.

Esta lendária montanha é considerada sagrada pelos iranianos. Há uma crença que, há seis mil anos atrás, um homem chamado Arash foi escolhido para resolver um litígio entre os dois líderes de terras, Irã e Turan. Arash subiu ao topo da montanha e disparou sua flecha que atingiu o chão. A partir daquele ponto ficou marcada a fronteira entre os dois reinos, selando a paz e a prosperidade entre eles. Por causa desta lenda, todos os anos no dia 30 de Junho é celebrada uma festa chamada Tirgan, que significa "A flecha que uma pessoa atira com arco".

O Damavand tem 16 rotas de escalada, sendo que as mais famosas ficam ao sul, que não podem ser escaladas no inverno devido à constantes avalanches. A montanha tem 3 grandes glaciares, Yakhar, Siuleh e Doobisel que ficam localizadas em outras faces e que são muito perigosos devido a queda constante de pedras. Muitos escaladores de gelo fizeram cume por estes glaciares e alguns dos melhores esquiadores já descenderam por lá também.

A melhor época de escalar o Damavand é de Junho a setembro, verão no Irã. O inverno é muito rigoroso e a temperatura é constantemente abaixo de zero.


Farnoosh Asadpoor começou no montanhismo com 16 anos de idade. Aos 20 escalou em rocha e em gelo pela primeira vez e hoje, aos 29 anos de idade é certamente uma das montanhistas experientes do Irã.

Ela gosta de escalar as montanhas iranianas no inverno, pois assim se dedica exclusivamente à escalada em rocha no verão. Em 13 anos de montanhismo, ela vivenciou bons e maus momentos, como a perda de dois amigos na montanha dois anos atrás.

Superado o problema, ela vive agora em Himachal Pradesh na Índia onde se prepara para no futuro encarar montanhas mais altas no Himalaia.

Publicidade:


Publicidade

Publicidade