A Essência do Montanhismo. Edemilson Padilha comenta ética e estilos da escalada

0

O escalador Edemilson Padilha é uma pessoa que dispensa apresentações. Proprietário da marca de equipamentos Conquista, Ed, como é chamado, é um dos mais experientes escaladores brasileiros, tendo escalado, entre várias outras montanhas o Fitz Roy, Cerro Torre, a parede do Salta Angel (a maior cachoeira do mundo na Venezuela) e a Pedra Riscada.

Edemilson Padilha* não é muito de ficar dando opiniões e muito menos de fomentar polêmicas. Ele, no entanto, escreveu um interessante texto versando sobre ética e estilo nas escaladas. Confira na íntegra:
 
Existem vias expostas porque seus conquistadores são vaidosos? Esta é uma dúvida que sempre surge… Infelizmente a falta de entendimento sobre a escalada tradicional é um fator inerente ao montanhismo. 
 
Nem mesmo dentro do montanhismo é fácil de explicar, o que dizer de se tentar explicar isso a um leigo ou às pessoas que estão praticando a escalada como mero exercício físico. Um artigo da UIAA recentemente falou sobre ter áreas preservadas para a escalada de aventura, ou seja, de se preservar este estilo de escalada mais "desafiador". Isto não quer dizer que vamos chegar em um setor de escalada esportiva e arrancar as chapeletas para que as vias fiquem mais expostas. 
 
A discussão teve por objetivo encontrar uma forma dos dois estilos – esportivo e tradicional- coexistirem, para que tudo não se torne apenas uma coisa ou outra. Então, teríamos setores com estilo de conquista de vias mais "esportivo", onde o risco é reduzido e locais de estilo "tradicional" ou de "escalada de aventura", onde se pode experimentar vias mais desafiadoras, em que teremos também o fator psicológico fazendo parte do jogo. Aí os escaladores podem escolher o que desejam. 
 
Por isso temos uma graduação de risco que é o fator de exposição das vias na escalada tradicional. Quem tem pouca experiência pode escalar um E1, E2; já quem bastante experiência pode talvez provar uma rota de E3 ou E4, mas somente os mais experimentados podem escalar uma via que tenha o fator máximo de exposição que é E5. Você pode achar que é por vaidade que não se protege uma via, mas podemos também dizer que seja pelo fato de jogarmos limpo com a montanha e com a filosofia do montanhismo que é a de deixar a montanha do jeito que a encontramos. 
 
Posso dizer que frequento os dois mundos, pois escalo e abro vias esportivas e tradicionais. Se fosse definir os dois estilos diria que a esportiva visa o grau e a tradicional o desafio físico e psicológico. Os dois estilos são alucinantes, podemos ter os dois estilos convivendo, mas sempre vamos ter este tipo de discussão. Porém, uma coisa é certa, o montanhismo surgiu do conceito filosófico, de autoconhecimento e de superação que só a escalada tradicional pode proporcionar. E a discussão mostrada no referido artigo da UIAA pretende preservar esta essência, que pode parecer piegas, romântica demais, mas que é de onde tudo surgiu.
 
Boas escaladas a todos!
 
8Edemilson Padilha é escalador e empresário, dono da Conquista Montanhismo, uma das empresas mais importantes do ramo de equipamentos de montanha no Brasil e dono de um curriculum de montanha alcançado por poucos montanhistas mundo afora.
Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário