Brasil… um paraíso

0

Vocês podem acreditar, o Brasil é um dos melhores países para escalar.

Numa palestra que fiz aqui na Colômbia e outra nos EUA, mostrando fotos (slides) de vias em vários estados brasileiros, fui perceber, de fato, o paraíso que nós temos: a enorme diversidade de rochas e de vias de escalada. É impressionante!

Posso afirmar para vocês que melhor que o Brasil, em termos de escalada em rocha, apenas os EUA, Espanha, França, Itália e, talvez algum outro país que eu tenha esquecido, talvez a China. É claro, não temos montanhas alpinas. Avaliando o número total de vias de escaladas no Brasil, graças aos colegas que ajudaram, temos algo em torno de 8.000, mas a diversidade impressiona.

São vias de até 1.200 m de extensão em rochas como: granito, gnaisse, quartzito, arenito, conglomerado, mármore (metacalcário), basalto, sienito, complexo ferruginoso, rochas vulcânicas (como traquito), etc. No Sudeste, a diversidade é de fazer inveja, num raio de 500 km temos escaladas em todas essas rochas.

Entretanto, a região Sul também é riquíssima, como também é o Nordeste. Mostrando fotos dos pontões do Espírito Santo/Minas Gerais/Rio de Janeiro e imagens de satélite mostrando a gigantesca distribuição desses magníficos afloramentos magmáticos, os gringos ficam de boca aberta… “What is that!! How can you have so many mountains and we never heard about them!!”

Fato é que agora expedições internacionais estão indo para lá abrir vias, vide as vias novas na Pedra Riscada de MG e até longínquo Monte Roraima. Podem apostar que o fluxo de escaladores estrangeiros vai aumentar muito nos próximos anos por causa da exposição do Brasil internacionalmente, devido a Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. O Pão de Açúcar e o Corcovado estão sendo massivamente expostos na mídia internacional como nunca visto antes. Muitas pessoas já estão me procurando para perguntar… Vi umas montanhas do Brasil na televisão… Aquilo é verdade? Tem escaladas lá?

Eu saí do Brasil porque, entre outros motivos, já estava cansado de escalar no Rio de Janeiro e nos estados próximos, porém, vivendo aqui na Colômbia percebi o gigantismo que temos. Aqui tem alguns lugares para escalar, mas a rocha é sempre a mesma (arenito/quartzito) e as vias são curtas, no máximo duas enfiadas de corda. O que há de diferente é o estupendo Parque do Cocuy, com boas montanhas de até 5.300 m. Mas é longe e o tempo normalmente é ruim.

Enfim, é óbvio que quem está falando aqui está morrendo de saudades, mas esta também é uma análise de quem conhece meio mundo e posso afirmar que o país realmente é um paraíso. A escalada brasileira está em boas mãos, graças à organização que vem sendo implementada há décadas. Os guias de escaladas são excelentes.

Entretanto, a escalada no Brasil continua desconhecida no resto do mundo, inclusive para alguns próprios brasileiros que apenas conhecem seu quintal. Aliás, no último número do American Alpine Journal saiu algumas das novas conquistas brasileiras, onde tenho publicado nos últimos anos, juntamente com outros colegas brasileiros, o que já é um certo marketing que vem dando frutos. Mas o que falta mesmo é uma revista brasileira de qualidade, como era a Headwall… Que saudade… Mas infelizmente os colegas brasileiros não souberam dar a devida importância a ela.

Abraços e boas escaladas.

Antonio Paulo Faria

Compartilhar

Sobre o autor

Antonio Paulo Faria - Colunista

Antonio Paulo escala há tanto tempo que parece que já nasceu escalando... 30 anos. Até o presente, abriu mais de 200 vias no Brasil e em alguns outros países. Ele gosta de escalar de tudo: blocos, vias esportivas, vias longas em montanhas, vias alpinas... Mas não gosta de artificiais, segundo ele "me parecem mais engenharia que escalar propriamente". Além disso, ele também gosta de esquiar, principalmente esqui alpino no qual pratica desde 1996. A escalada influenciou tanto sua minha vida que resolveu estudar geografia e geologia. Antonio Paulo se tornou doutor em 1996 e ensina em universidades desde 1992. Ele escreveu sobre escalada para muitas revistas nacionais e internacionais, capítulos de livros e inclusive um livro. Ou seja, ele vive a escalada.

Comments are closed.