Himalaya: Nova rota no Ama Dablam

0

Uma nova rota na face Oeste do Ama Dablam. A equipe composta pelo italiano Francesco Fazzi, o esloveno Meter Tomko, e o espanhol Santi Padrós realizaram a ascensão por uma nova via de 1.500 metros

Os três montanhistas foram protagonistas da abertura da imensa via no Ama Dablam, uma montanha impressionante de linhas verticalizadas, batizada de “”Free Tibet 2065″”, (1.500m / V+ / 80º / M5+). Acompanhado por Meter Tomko, um alpinista esloveno, Santi evoluiu pela rota normal do Ama Dablam (6.812 metros) e em sete horas de atividade, a partir do segundo acampamento de altitude, “”o fantástico Ninho de Águias””, seguiram para o topo, com vista para o Everest.


Três horas de rapéis incertos fizeram o grupo mudar suas expressões, mas logo a cordada retornou ao Campo 2, e bem dispostos, apenas uma semana depois de chegar ao assustador aeroporto de Lukla, para tentar a sorte mais uma vez na mesma montanha. Os “”pensamentos impuros”” surgem durante a descida ao Campo Base. Daí pra frente, e depois de ter observado todas as faces do Ama Dablam, decidiram pela face Oeste. O italiano Francesco Fazzi, no Campo Base, se une a exploração do terreno desconhecido na montanha. “”Parece que tem um espaço vazio entre a rota Japonesa de 1985 na face Oeste e a Japonesa de 1980 da Noroeste””. A parte superior d Ama Dablam, uma das montanhas mais elegantes do Himalaya, parece intacto e a cordada traçou imaginariamente um itinerário sobre o terreno ainda por descobrir.


No dia 30 de abril sairam do Campo Base, levando barraca, sacos de dormir leves e alimento para 4 dias. E assim intalaram seu primeiro acampamento a 5.350 metros. No dia 1º de maio escalaram a parte inicial similar à rota de 85 até que sairam pela esquerda sobre um serac, com a intenção de passar a noite. Enfrentaram 11 horas de escalada por terreno variado, e não encontraram dificuldades extremas, que embora pela altitude possa aparentar. Superaram várias passagens de terreno misto de V-, V+. Nessa noite estavam acumulados uns 15 centímetros de neve fresca que refrigeraram as encostas do Ama Dablam, mantendo uma temperatura de -15º até o início da manhã, pois o sol não começa a esquentar antes das 11:00h.


Outro longo dia os aguardava. A altitude, a neve e o mal tempo passageiro não ajudavam para uma progressão rápida. Avançaram por uns 300 metros e nos 300 seguintes superaram três passagens em misto e cinco sobre pendentes moderadas de gelo e neve. Desta maneira, no dia 2 de maio de 2008, às 17:00h, com sol enfraquecido, chegaram ao cume do Ama Dablam, aonde montaram a minúscula barraca e se puseram a dormir, com a impressionante vista do seu vizinho Everest.


Não se tem informação sobre a repetição da rota Japonesa de 1985, nem de que tenha sido traçada alguma via pelo setor superior da face Oeste, assim sendo, deixaram esta proposta de via como: Free Tibet 2065 (1500m, V+, 80º, M5+).


Redação AltaMontanha com informações de Desnivel


Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário