Marumbinistas no Dedo de Deus Paulista

0

Os montanhistas paranaenses realizaram a 3º escalada do ponto culminante do Itatins, o maior contraforte da Serra do Mar no litoral sul de São Paulo – Contaram com o apoio de Orézio Ramalho, um dos primeiros escaladores – Vencida em seis horas a montanha.

O Dedo de Deus Paulista, com altitude de 1.330 metros, está situado entre os municípios de Pedro de Toledo e Iguape. Foi conquistado pela primeira vez por Orézio Ramalho, residente em Pedro de Toledo e os irmãos Roberto Pettená e o tenente Rodolfo Pettená, residentes em Santos, no dia 29 de julho de 1953, em memorável feito. Ao Centro de Excursionistas do Rio de Janeiro (1) coube a efetivação da segunda escalada, em 1955. E agora no dia 5 de julho último, os marumbinistas, num grupo de seis escaladores, lograram atingir o tope dos Itatins, após uma escalada de seis horas desde a base da montanha.

Auxílio precioso lhes foi prestado pelo prefeito municipal de Pedro de Toledo, Sr. José Pimentel, que não poupou esforços em proporcionar aos excursionistas todas as facilidades, a fim de que mais uma vez fosse atingido o pícaro do dedo de Deus Paulista. Os paranaenses ficaram deveras cativados ante a amável acolhida dos habitantes desta fértil região do litoral sul de São Paulo, em particular dos amantes do montanhismo, primeiros escaladores do citado Pico, cujo companheirismo vai além das expectativas.

Colhe assim, o Circulo de Marumbinismo de Curitiba mais uma conquista para a sua existência, e mais um círculo de amizades no próspero município de Pedro de Toledo.

A escalada do dedo de Deus Paulista é algo de notável e grandioso, não somente pela exuberante floresta que o rodeia, mas também por alguns abruptos paredões que o incluem entre as grandes montanhas brasileiras.

* * * * *

Publicado em 11 de julho de 1957
Protagonistas: Álvaro Junqueira, Arlindo Renato Toso, Augusto Riciardela Correia, Eduardo Motter, Fernando (Bondinho) Ribeiro, Omar Motter e Waldemar (Gavião) Bucken.
Locais visitados: São Paulo, Santos, Juquiá, Pedro de Toledo, Dedo de Deus Paulista, Cananéia, Canal do Varadouro, Guapicú, Tibicanga, Ilha do Mel e Paranaguá.
Data da aventura: 5 de julho de 1957
Referencias explicativas:
             (1) Instalaram a placa de bronze

Leia mais sobre o Dedo de Deus Paulista

:: Julio Fiori

:: Jorge Soto

:: Arlindo Toso

Compartilhar

Sobre o autor

Vitamina - Colunista

VITAMINA – Henrique Paulo Schmidlin Como outros jovens da geração alemã de Curitiba dos anos de 1940, Henrique Paulo foi conhecer o Marumbi, escalou, e voltou uma, duas, muitas vezes. Tornou-se um dos mais completos escaladores das montanhas paranaenses. Alinhou-se entre os melhores escaladores de rocha de sua época e participou da abertura de vias que se tornaram clássicas, como a Passagem Oeste do Abrolhos e a Fenda Y, a primeira grande parede da face norte da Esfinge, cuja dificuldade técnica é respeitada ainda hoje, mesmo com emprego de modernos equipamentos. É dono de imenso currículo de primeiras chegadas em montanhas de nossas serras. De espírito inventivo, desenvolveu ferramentas, mochilas, sacos de dormir. Confeccionou suas próprias roupas para varar mata fechada, em lona grossa e forte, cheia de bolsos estratégicos para bússola, cadernetas, etc. Criou e incentivou várias modalidades esportivas serranas, destacando-se as provas Corrida Marumbi Morretes, Marumbi Orienteering, Corridas de Caiaques e Botes no Nhundiaquara, entre outras. Pratica vôo livre, paraglider. É uma fonte de referências. Aventureiro inveterado, viaja sempre com um caderninho na mão, onde anota e faz croquis detalhados. Documenta suas viagens e depois as encaderna meticulosamente. Dentro da tradição marumbinista foi batizado por Vitamina, por estar sempre roendo cenoura e outros energéticos naturais. É dono de grande resistência física e grande companheiro de aventuras serranas. Henrique Paulo Schmidlin nasceu em 7 de outubro de 1930, é advogado e por mais de uma década foi Curador do Patrimônio Natural do Paraná. Pela soma de sua biografia e personalidade, fundiu-se ao cargo, tornando-se ele próprio patrimônio do Estado, que lhe concedeu o título de Cidadão Benemérito do Paraná.

Comments are closed.