Meu treino é tomar cerveja!!

0

Conheci um sujeito que escalava em um nível elevadíssimo e não parecia forte, era até um pouco roliço, meio gordinho para dizer a verdade – lembra muito o Pita… Hehehe – Mas esse sujeito era marrento. Tirava a maior onda que não precisava malhar/treinar para escalar no nível que ele escalava e tava sempre com uma latinha de cerveja na mão.

Entretanto, a farça foi descoberta graças a uma briga entre ele e sua namorada, que o desmascarou na frente de todos. Eu estava presente e isso foi em Joshua Tree (California). O sujeito (Mark) treinava muito, mas escondido. Dizia para nós que malhar excessivamente para poder escalar melhor era uma coisa estúpida. Mas para ser o centro das atenções precisava escalar mais que os outros. A tal latinha de cerveja, a única, ficava na mão dele o dia inteiro…

Acreditamos nele porque realmente não era “musculoso” – alguns atletas realmente não apresentam músculos salientes – e quando entrava nas vias difíceis, escalava com muita facilidade. Porém, chegou a hora… “Seu cretino, desgraçado (…), fica mentido para esses idiotas (eu incluído) de que você não malha, apenas bebe somente (…) Vê se cresce e vá fazer alguma coisa produtiva de sua vida (…)”. E ela foi embora e nós não ficamos sabendo o motivo da briga. O Mark ficou com cara de babaca e também foi embora.

Moral da história, se você quer escalar bem e em alto nível, não tem jeito, vai ter que treinar muito. Lembro que o Alexandre Portela treinava muito (muito mais que os outros), mas meio que escondido. Por isso e também por suas habilidades naturais, escalava num nível mais acima que os melhores escaladores da época. Entretanto, como o Mark, entre nós há muitos escaladores que treinam apenas para escalar em um nível elevado, mas e daí. Se não tem amor pelo esporte isso passa e pára-se de escalar. Quantos escaladores vocês já viram passar por isso e desaparecer alguns anos depois? Obviamente não é esse o caso do Pita e do Alexandre, que têm verdadeira paixão pela a escalada.

Existem também os idiotas que ficam na base das falésias se queixando porque não conseguem escalar um via difícil… Mas é óbvio, não treinam, acham que ficar apenas observando alguém escalar vai transmitir essa capacidade por “osmose”.

Antonio Paulo Faria

Compartilhar

Sobre o autor

Antonio Paulo Faria - Colunista

Antonio Paulo escala há tanto tempo que parece que já nasceu escalando... 30 anos. Até o presente, abriu mais de 200 vias no Brasil e em alguns outros países. Ele gosta de escalar de tudo: blocos, vias esportivas, vias longas em montanhas, vias alpinas... Mas não gosta de artificiais, segundo ele "me parecem mais engenharia que escalar propriamente". Além disso, ele também gosta de esquiar, principalmente esqui alpino no qual pratica desde 1996. A escalada influenciou tanto sua minha vida que resolveu estudar geografia e geologia. Antonio Paulo se tornou doutor em 1996 e ensina em universidades desde 1992. Ele escreveu sobre escalada para muitas revistas nacionais e internacionais, capítulos de livros e inclusive um livro. Ou seja, ele vive a escalada.

Comments are closed.