O diabo mora no Topo do Pão de Açúcar

0

Lendo a resenha do livro “D. Maria I, a Rainha Louca“, na revista Veja de 22/04/2009, chamou-me atenção a frase “O Diabo mora no topo do Pão de Açúcar“, dito em 1808 pela a rainha Dona Maria I, mãe de Dom João VI. Aqui a história do Brasil se entrelaça com a história do montanhismo brasileiro e novamente vem a discussão “Quem chegou primeiro ao topo do Pão de Açúcar?“.


Alguns dizem que foi a inglesa Henrietta Carsteirs em 1817, mas isto não deve ser verdade, esta montanha deve ter sido subida séculos antes. O José Augusto, associado do Centro Excursionista Brasileiro, me disse que ficou curioso sobre as dúvidas que escrevi no livro Montanhismo Brasileiro: Paixão e Aventura sobre esta história, e resolveu investigar também.

Procurou no jornal da época mas não achou nada sobre a tal inglesa, este tipo de assunto não interessava ao jornal local, que era mensal. Entretanto, em nossa análise concordamos com o seguinte…

A cidade do Rio de Janeiro foi fundada na base do Pão de Açúcar em 1565, e naquela época, pontos elevados eram muito importantes para observação e defesa. Sendo assim, é quase certo que os portugueses tenham subido esta montanha muito antes de 1817, quando se atribui a primeira subida pela a inglesa. Lembre-se que a Baia da Guanabara foi invadida algumas vezes pelos franceses, inclusive em 1555, e pelos holandeses posteriormente.

De qualquer forma, no início do século XIX imperava um machismo violento nas sociedades cristãs, o mesmo que ocorre hoje no mundo muçulmano e em outras sociedades religiosas, e isso praticamente anula a idéia de uma mulher ter sido a primeira a ter escalado esta montanha. Não estamos julgando a capacidade das mulheres, basta observar as melhores escaladoras em ação, estamos apenas analisando a condição da mulher na sociedade naquela época.

Enfim, a história da conquista do Pão de Açúcar pelo Costão por Henrietta não deve ter muita credibilidade.

Na época deve ter sido um acontecimento muito curioso o fato de uma mulher (talvez a primeira mulher) ter ido ao topo da montanha e provavelmente utilizaram a palavra “conquista”, como hoje ainda é utilizado pela mídia, como mostra o José Augusto. Certamente você já leu em jornais ou ouviu nos telejornais o seguinte… o brasileiro (…) “conquistou” o Everest!!! Para a mídia conquistar não necessariamente quer dizer subir pela primeira vez, mas para nós, é. Talvez venha daí esta confusão toda, entretanto, é muito difícil conhecer o fato real. A rainha Dona Maria I costumava dizer para seus escravos que o Diabo morava no topo do Pão de Açúcar. Loucura ou não, isto mostra o fascínio que esta montanha despertava (ainda desperta) nas pessoas.

Podemos dizer que é quase certo que o Pão de Açúcar foi a primeira montanha subida pelos europeus ou portugueses da colônia (brasileiros), mas nada sabemos e nunca saberemos sobre possíveis ascensões dos índios. Entretanto, é muito provável que as primeiras manifestações montanhísticas no Brasil aconteceu no Pão de Açúcar em função das disputas nacionalistas entre portugueses (brasileiros) e ingleses, que chamo no livro de “montanhismo político”.

Também é certo que a via Costão era muito mais fácil, com a presença de raízes de vegetação no crux, hoje ausentes.
Coincidentemente, a avó de um colega de escalada costumava dizer, quando eu o encontrava em sua casa antes de ir escalar o Pão de Açúcar… “Pare com esta coisa de subir pedras garotos, vocês ainda vão encontrar o Diabo por lá!!” Subi o Pão de Açúcar centenas de vezes e nunca encontrei o Capeta no topo, mas sempre vejo o Gomes lá embaixo…

Antonio Paulo Faria

Compartilhar

Sobre o autor

Antonio Paulo Faria - Colunista

Antonio Paulo escala há tanto tempo que parece que já nasceu escalando... 30 anos. Até o presente, abriu mais de 200 vias no Brasil e em alguns outros países. Ele gosta de escalar de tudo: blocos, vias esportivas, vias longas em montanhas, vias alpinas... Mas não gosta de artificiais, segundo ele "me parecem mais engenharia que escalar propriamente". Além disso, ele também gosta de esquiar, principalmente esqui alpino no qual pratica desde 1996. A escalada influenciou tanto sua minha vida que resolveu estudar geografia e geologia. Antonio Paulo se tornou doutor em 1996 e ensina em universidades desde 1992. Ele escreveu sobre escalada para muitas revistas nacionais e internacionais, capítulos de livros e inclusive um livro. Ou seja, ele vive a escalada.

Comments are closed.