Parque Estadual Pico Paraná terá base de apoio ao visitante

0

O Parque Estadual Pico Paraná, Unidade de Conservação que abriga as maiores montanhas da Serra do Mar paranaense, terá uma base do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), órgão ambiental que administra os parques no estado. O projeto é que a base sirva para apoio e controle dos visitantes.

Após anos sem nenhuma infraestrutura, políticos retomam a promessa de enfim construir uma base de apoio e controle aos visitantes na Unidade de Conservação onde ficam as montanhas mais altas do Estado do Paraná.  O secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Ricardo Soavinski, reuniu-se quinta-feira (03) com o prefeito de Campina Grande do Sul Luiz Carlos Assunção para acertar a parceria e outras medidas de apoio ao parque. “Certamente as melhorias que o município fizer na unidade de conservação trarão benefícios diretos, como aumento do ICMS Ecológico, além de ajudar a impulsionar negócios relacionados ao turismo sustentável”, disse Soavinski. 
 
No Parque Pico Paraná fica o ponto mais alto do Sul do Brasil, com 1.877 metros acima do nível do mar. A unidade está dentro da Serra Ibitiraquiri, uma cadeia de montanhas encrava no trecho de floresta atlântica mais bem conservado do País, com muitas opções de trilhas, acampamentos e escaladas.
 
Os quatro mil hectares do Pico Paraná ficam entre os municípios de Antonina e Campina Grande do Sul. “Faremos a cessão da área para que o IAP possa investir nas instalações necessárias”, disse o prefeito. A área cedida ao Estado é uma faixa de cerca de 3 quilômetros. 
 
Em 2013 a Prefeitura desapropriou uma faixa de terra que pertencia à um sitiante que dava acesso ao parque. O proprietário, que cobrava pelo serviço, entrou na justiça contra a desapropriação, num processo que dividiu opiniões dos frequentadores. De um lado as pessoas que tinham desavenças pessoais com o dono da propriedade e de outro pessoas que ficaram com medo da restrição de liberdade na região, tendo em vista que em todas as Unidades de Conservação gerenciadas pelo IAP há proibições e restrições à visitação.
 
Em entrevista à Agencia de Noticias do Paraná, o diretor de Unidades de Conservação do IAP, Guilherme Vasconcellos afirmou que o caminho livre dará condições para que o Estado possa investir no Parque. 
 
ICMS Ecológico
 
Há diversos Parques Estaduais na Serra do Mar paranaense, sendo que o Pico Paraná é um dos mais famosos. Sem nenhuma estrutura, este parque não conta com um plano de manejo, que é o principal documento que rege as regras internas das UC’s. Assim como ele, também não conta com estrutura e nem plano o Parque Estadual Roberto Ribas Lange, Parque Estadual da Graciosa, Parque Estadual da Serra da Baitaca e o Parque Estadual do Marumbi, que está com seu plano de manejo desatualizado desde 2001.
 
No entanto, de acordo com a Agência de Notícia do Paraná, a parte destes parques que estão dentro do município de Campina Grande do Sul, onde está o Pico Paraná, rende por ano 1.3 milhão de ICMS Ecológico para o município.
 
 
Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário