Província de Catamarca na Argentina proíbe montanhismo independente

0

A província de Catamarca no norte da Argentina é um dos melhores destinos de andinismo, porém uma lei provincial impede que montanhistas pratiquem a atividade sem a presença de um guia ou de agência de turismo.

Com 80% de seu território em áreas montanhosas, a província de Catamarca é um destino emergente no cenário do montanhismo andino e não é por menos, quase metade das 13 montanhas mais altas da cordilheira estão ali, 6! Mesmo tendo montanhas em qualidade e em quantidade, os parlamentares da província não estão convencidos que seja bom deixar montanhistas transitarem livremente por estas montanhas e decretaram a polêmica lei número 5442.
 
De acordo com a normativa, a pratica de montanhismo em Catamarca só é permitida com a contratação de guias ou agências de turismo. Além disso, a lei diz: “…para el caso de que los andinistas, a los que no se hubiese autorizado el ingreso, se negasen a salir del área de montaña, la Autoridad de Aplicación podrá requerir la intervención de la fuerza pública…”. Ou seja, não apenas é proibido a prática de montanhismo como esporte, como o território catamarquenho passa a ser hostil ao montanhista.
 
Outro problema da lei é que na Provincia de Catamarca há apenas dois guias de montanha credenciados, então mesmo quem queira cumpri-la, terá problemas graves em encontrar alguém disposto a fazer o serviço.
 
A lei pegou os montanhistas de surpresa, que há anos lutam contra o autoritarismo da Gendarmeria (Polícia Militar) e da AFIP (Receita Federal) que controlam o Paso San Francisco, onde ficam as montanhas mais acessíveis da província, como o Vulcão de mesmo nome e o Incahuasi. Ali há um refúgio público administrado pela Vialidad Nacional, que é o órgão que faz manutenção nas rodovias federais do país vizinho. A Vialidad sempre acolheu os montanhistas, no entanto as autoridades policiais impedem que a estrutura seja utilizada, fazendo que os montanhistas tenham perdido o melhor local para realizar aclimatação no norte argentino.
 
Há diversos relatos de problemas com estas autoridades, que ficam estrategicamente posicionados para exercer controle da região. No ano passado, os montanhistas Maximo Kausch, Pedro Hauck e Jovani Blume denunciaram que as regras obrigavam quem pratica montanhismo a submeter-se a riscos desnecessários. 
 
 
Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário