Suplementação de Ferro para Escalada ou Trekking em Alta Montanha

0

Dicas sobre suplementação de ferro para atletas, escaladores e caminhantes que pretendem ir ou treinar em altitude.


Agora a pouco atendi a uma ligação de um amigo querendo saber sobre a necessidade ou não da suplementação de ferro para a escalada em alta montanha.

Como todos sabem, uma das
grandes alterações fisiológicas que ocorrem quando nos expomos a
altitudes superiores a 2000m é o aumento no número de hemácias (as
células que carregam o oxigênio pelo corpo), esse mecanismo é desencadeado pelo aumento de um hormônio chamado EPO ou Eritropoetina.

Dentro da hemácia existe uma molécula – a hemoglobina – que é composta por átomos de ferro.

Portanto, nada mais lógico que você ´facilite´ o trabalho do organismo
em produzir mais hemácias proporcionando uma alta biodisponibilidade de ferro…

Durante muito tempo “recomendei” a ingestão de sulfato ferroso como
suplementação de ferro junto da alimentação, até mesmo associado à
vitamina C (que facilita a absorção do ferro).  Não vou entrar nas
diferentes características entre o ferro do tipo “heme” e o do tipo
“não-heme” mas acontece que o ferro na forma de “sulfato” possui uma
absorção realmente muito baixa…

Uma alternativa muito eficaz e capaz de aumentar a absorção deste
mineral é a apresentação na forma de “quelatos”, como o ferro por si só
não é o suficiente para a produção de novas hemácias, tem no mercado um
produto chamado “Noripurum Fólico”, que nada mais é do que ferro
quelato, na forma de ferripolimaltose e ácido fólico. 

Uma caixa com 30 comprimidos mastigáveis custa uns R$ 35,00.



Tem efeitos colaterais ? Sim.. o cocô vai sair preto (e isso é normal),
e se você não tiver os rins em ordem, pode simplesmente dar uma
escangalhada nos rins.. portanto “muita calma nessa hora” !!!

Minha sugestão :  compre o Noripurum Fólico e mastigue um comprimido
junto do almoço (ou jantar, tanto faz)… apenas um comprimido, ok ? E
quando faltar uns 5 ou 7 dias antes da viagem, aumente a dose para 2
(ou 3 comprimidos se você for mulher) por dia…  Dificilmente
conseguimos ter quantidades adequadas de ferro apenas através da
alimentação – e isso não tem relação com o seu tipo de dieta, seja ela
vegetariana ou não (é o tal do ferro heme e não-heme).

Enfiom, chegando no ambiente de altitude, continuamos por mais uns 5
dias tomando (mastigando) 2 ou 3 comprimidos por dia…

Esqueci de dizer que existe a possibilidade de você ter um pouco de
constipação intestinal.. então capriche nas fibras e não economize na
água ingerida !!! (claro que a água você não vai ficar bebendo junto
das refeições, certo ?!).

Hah.. a caféina é um poderoso antagonista
tanto do cálcio como da absorção do ferro.. portanto, nada de comer
junto com coca-cola.. e se for possível, espere pelo menos 1 hora para
tomar o cafézinho depois do almoço…

Em resumo :

  • A Elevação
    na Eritropoietina (EPO) ocasiona o aumento na massa das células
    vermelhas do sangue (e essa relação não é linear).

  • O pico
    nos níveis de Eritropoietina (EPO) é alcançado depois de 2 a 3 dias
    de exposição à altitude elevada e tende a gradualmente
    retornar à linha de base em torno de 15 a 28 dias vivendo na alta
    altitude.

  • A
    porcentagem de aumento

    nos níveis de Eritropoietina (EPO) provavelmente é mais importante do a
    elevação absoluta para estimular o aumento nas células vermelhas do
    sangue.

  • Alpinistas e caminhantes que pretendem ir para alta montanha devem fazer um exame de sangue entre 6 a 8 semanas antes de ir para a alta altitude. Caso os níveis de ferritina sérica sejam
    menores de 30 ug/l para mulheres, ou menos de 40 ug/l para homens,
    aumente o consumo de
    ferro pela dieta e use suplementos alimentares para elevar
    o nível de ferritina antes da exposição à altitude. Caso
    contrário, a resposta das células vermelhas do sangue será
    diminuída.
    Caso o nível de ferritina sérica seja baixo, ainda assim pode haver um
    aumento nos reticulocitos depois da exposição à altitude, porém
    terão pouca quantidade de hemoglobina e podem não maturar em células
    vermelhas do sangue.

  • A
    prescrição de suplementos do “U.S.
    Olympic Training Centre” para elevar a ferraiina é a
    suplementação de 120 a 130 mg de ferro elementar por dia, dividida
    em 2 doses tomadas com vitamina C. Ingira suplementos de ferro 30
    minutos antes ou 60 minutos depois das refeições para elevar a
    absorção e diminuir a possibilidade de problemas gastrointestinais (que eu já falei acima…)


PS: No ano passado (2009) fiz um rápido artigo sobre o “sangue” :
http://www.blog.marski.org/?p=602
vale a pena dar uma olhada.

PS:  Vai pra ambiente de alta montanha ? Então “pela-amor-de-deus” consulte um médico, faça pelo menos um hemograma, um exame de ferritina sérica, clearance de creatinina e um eletrocardiograma sob esforço… siga o meu conselho: a última coisa que você vai querer ter é descobrir algum problema cardíaco ou hematológico quando estiver indo para a cota dos 5000m… e é claro.. prepare-se fisicamente para isso (preferencialmente com a assessoria de um bom profissional da educação física) !

Um abraço e excelentes escaladas !


Davi Augusto Marski Filho
------------------------
[email protected]
------------------------
www.marski.org
www.blog.marski.org

Compartilhar

Sobre o autor

Avatar

Davi Marski (In Memorian) Era guia de montanha e escalador em rocha e alta montanha (principalmente nos Andes) desde 1990. Além de guia de expedições comerciais, ele ministrava cursos de escalada em rocha. Segundo ele mesmo "sou apenas mais um cara que ama sentir o vento frio que desce das montanhas". Davi levava uma vida simples no interior de São Paulo e esforçava-se por poder estar e viver nas montanhas. Davi nos deixou no dia 19 de Novembro de 2014.

Comments are closed.