Vias de escalada são depredadas no Anhangava

0

Conquistadas em 2013 por Pedro Hauck, Rafael Wojcik e Leandro Bonato “Castor”, as vias faziam parte de um setor de escalada que ainda não havia sido divulgado chamado de “Setor Escola”.

Quatro vias de escalada foram depredadas no morro do Anhangava. As vias faziam parte de um setor de escalada ainda não divulgado chamado “Setor Escola”, conquistado entre outubro e dezembro de 2013 que tinha como objetivo ser um local para aprendizado de escalada tanto para adultos, quanto para crianças, seguindo o conceito de “Escalada Familiar”.
 
Metade das vias já havia sido depredada há cerca de um ano e meio atrás. De acordo texto divulgado por um dos conquistadores, Pedro Hauck. Naquela época os conquistadores se reuniram com um grupo contrário à abertura de vias no Anhangava que pediu que os mesmos removessem os grampos. Eles não entraram em acordo e após isso as vias "Farofa" e "Vitamina", de quarto e terceiro grau foram destruídas anonimamente.
 
Ainda segundo o texto, o escalador preferiu ficar em silêncio, “pois sabia que minha revolta não mudaria a maneira das pessoas pensarem e que qualquer ação, ao invés de chegar a um acordo apenas resultaria no aumento do conflito”. Disse Pedro Hauck no texto publicado em sua Coluna no AltaMontanha.
 
No entanto, mesmo passado quase dois anos do primeiro ato de vandalismo, a história voltou a se repetir com outras duas vias do setor. Foram destruídas as vias "Canguru" e "Bito Meyer" de terceiro e quarto grau, localizadas em uma segunda parede mais a esquerda das vias que foram destruidas anteriormente. Desta vez, o vândalo e ladrão de chapeletas não conseguiu arrancar todas as proteções e deixou na parede dois grampos com o olhal destruído. 
 
 
Um fato para se lamentar.
 
Leia mais:
 
 
Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário