Viva a liberdade!!!

0

Pequeno sim, mas burro não. Nosso meio de montanha é pequeno, ao ponto de após um ou dois anos de prática, já possuir conhecimento de nomes de pessoas que escalam a milhares de quilômetros de distância. Porém, como disse na frase acima, esse meio não é burro.

Muito pelo contrário, há anos que vemos cabeças folclóricas ditando os preceitos – e sempre querendo impor regras – nesse meio. Utilizam-se de força de manobra, normalmente iniciantes ou pessoas menos capacitadas intelectualmente para imporem tal opinião. Criam uma situação inexistente, mas que provoca a ira dos bobos, e logo afastam-se bem devagar deixando aqueles pobres tolos no limbo.

"Ora", pensam os donOs da montanha, "logo esses bobinhos não estarão mais por aqui, eu é que não vou me queimar…"

Difícil mesmo é ter opinião e meter a cara, indiferentemente do que aquela meia dúzia de "manobristas" (para não dizer "massistas") vá falar. Claro que opinião que é opinião mesmo não vai agradar a todos, ainda mais quando se tenta evitar o "politicamente correto".

É o caso da recente coluna do Julio Fiori – aliás, este nosso colunista consegue não agradar a boa parte destes seres folclóricos. Já arranjou desavença com a garota do Leblon, que o incriminou de preconceituoso por afirmar que um bêbado saía do bar (que lugar mais impróprio para se encontrar um bêbado), ainda mais o tempo em que o Estado do Paraná inicia sua larga exportação de bêbado para o Leblon… Defendeu o Herói das retiradas dos degraus que protegem a vegetação, mas também tanto facilitam o acesso aos cumes das montanhas – e o pior, essa defesa fez recair sobre suas costas o fardo da acusação, pois alguns incompetentes, ao invés de olharem para o norte explícito, preferem incriminar aquele que tem coragem de falar…

Aliás, coragem é o ponto dessa matéria. Pois expor aquilo que se pensa e confrontar com o pensamento alheio não é fácil. Ainda mais quando se tem que discutir com aquela massa de manobra de intelectualidade inferior, ILETRADOS como diria nosso mestre Vitamina, que raciocinam menos que um ratO escondido nas bordas dos campos.

Pois eu digo a todos vocês, sem exceção, àqueles que gostam da minha coluna e até mesmo àqueles que a detestam. É realmente muito difícil ter opinião num mundo cheio de clubinhos abarrotados de massa de manobra. Eu e meu colega Pedro Hauck até tentamos mudar essa tendência. Lutamos por aquilo, demos das tripas ao coração, porém, hoje, nós dois somos partidários e dividimos da mesma opinião. Aliás, opinião que ouvi muitas vezes do Julio Fiori, e não concordava, nem com ela, a opinião, e muito menos com ele.

Eu afirmava para ele: Vamos lá, o círculo está mudado. O passadO está no exílio. Mas não tinha jeito, ninguém o convenceria de que o montanhismo organizado é muito melhor que o anárquico, livre, por assim dizer.

E quem diria! Hoje eu sou adepto do "abaixo as regras"! Liberdade para o montanhista!!! Carteirinha é coisa para quem precisa se auto afirmar…

Por isso, caro leitor, gostando ou não, apresente sua opinião, tenha coragem de ditá-la, mesmo frente à todas as críticas, mesmo que tenha que carregar a culpa e a cruz de outro, mas mantenha seu julgamento próprio. Não aceite simplesmente a opinião vazia de terceiros.

Aliás, sobre as opiniões, garanto a todos vocês que, assim como muitos leitores, não concordo com muitas dos julgamentos elencados nestes seis anos pelos colunistas deste site, mas tenho muito orgulho ao verificar que mesmo após tanto tempo de opiniões, controversas ou não, o AltaMontanha.com nunca se rendeu ao POLITICAMENTE CORRETO!

Viva a democracia, viva ao direito de cada um pensar de uma forma, de criar e fomentar uma opinião, viva ao direito de escalarmos as montanhas livremente, sem necessidade de pagar guias, seguros e empresas de turismo, sem a necessidade de PERTENCER AO QUADRO ASSOCIATIVO DE UM CLUBE, viva a liberdade das montanhas!!!!!
 

Compartilhar

Sobre o autor

Hilton Benke - Equipe AM

Hilton Benke é um dos idealizadores do AltaMontanha.com. Dono de uma personalidade muito forte, é hoje praticante assíduo do voo livre, principalmente da modalidade "hike and fly", que une o voo com o montanhismo. Como montanhista e escalador, gastou seu tempo galgando montanhas brasileiras e andinas, além de ter prestado alguns serviços como instrutor de escalada junto ao CPM. Deixá-lo feliz é fácil: só marcar um bom pernoite em um cume da Serra do Mar Paranaense, com um bom menu para o jantar e uma condição de tempo boa para que possa decolar com seu parapente dia seguinte e realizar uma das muitas travessias sobre a Serra do Mar.

Comments are closed.