Foto de super nuvem em El Chalten é finalista de concurso

0

A fotografia de uma enorme nuvem lenticular estacionária sobre o Cerro Torre e o Fitz Roy na Patagônia Argentina se tornou finalista de um concurso promovido pela Royal Meteorological Society (RMS) nesse mês. O fotografo Francisco Javier Negroni Rodriguez registrou a nuvem durante um  trekking pela região de El Chaten em um dia nublado. Ele achou que estava sem sorte, todavia em um breve momento, o horizonte se abriu e ele se deparou com essa vista, que tratou de registrar o mais rápido possível antes que tudo se fechasse novamente.

Nuvem estacionada sobre as montanhas de El Chaten – Foto: Francisco Javier Rodriguez

Quem não esta acostumado a passar perrengues nas montanhas pode até achar que a super nuvem estacionada em cima do Cerro Torre, Fitz Roy e outras lendárias agulhas da Patagônia Argentina seja um disco voador admirando as belezas das montanhas. Mas na verdade ela é uma formação que ocorre quando há uma barreira topográfica como as grandes montanhas ou arranha-céus. Isso ocorre, pois os ventos que formam elas dependem de um obstáculo na terra para serem desviados para o alto e formar esse tipo de nuvem.

Essas nuvens também são mais comuns no inverno ou em regiões frias. E apesar de belíssimas e curiosas, as nuvens lenticulares pode ser um grande problema para aeronaves que precisem passar por elas devido as turbulências.

Quer aprender mais sobre o clima de montanha? Leia o artigo do montanhista Maximo Kausch sobre Climatologia de Montanhas.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário