Temporada do Aconcágua está ameaçada?

0

:: Atualização: Secretário de Meio Ambiente de Mendoza afirma: Aconcágua não abrirá!

A montanha mais alta dos Andes e que pertence ao roteiro dos 7 cumes corre o risco de não abrir na temporada de 2020/2021 por conta da pandemia de Coronavírus. Localizada na Província de Mendoza, na Argentina, o Aconcágua é a montanha que mais atrai turistas estrangeiros na América do Sul.

Plaza de Mulas, base do Aconcágua em janeiro de 2020.

A enorme atração da montanha que tem quase 7 mil metros de altitude a transforma num pote de ouro na Argentina. Por conta disso e diferente de outras paisagens ímpares localizadas na Argentina, o Aconcágua não é um parque nacional, mas sim provincial, administrado pela Dirección de Recursos Naturales Renovables, instituição que agora tem o dilema se abre as portas de seu parque mundialmente famoso para a temporada que se dará inicio em cerca de 40 dias.

Fechada há mais de 200 dias e com restrições rigorosas de trânsito, a Argentina tem o planejamento de abrir seus aeroportos no dia 15 de outubro. No entanto, nas ultimas semanas os casos de COVID aumentaram de maneira preocupante. Com toda a incerteza, as agências creditadas a oferecer serviço na montanha mais alta dos Andes estão em dúvida se vale ou não a pena arriscar e investir na temporada. Os custos de uma temporada com poucos clientes são muito maiores que o prejuízo de não trabalhar.

Por outro lado, as pessoas que sofrerão as maiores perdas, que são os trabalhadores, guias e porteadores, lutam para a abertura. Nesta queda de braço, não se sabe o que vai acontecer.

Temporada cancelada?

Não ter o Aconcágua não significa que não haverá temporada, pois em Mendoza e na região há muitas alternativas interessantes e muito mais em conta. Conversamos com o guia de montanha Maximo Kausch, um dos sócios da agência GenteDeMontanha para saber como a empresa, que é considerada uma referência em expedições em montanhas de altitude, está se planejando.

Cerro Plata. Foto Pedro Hauck.

De acordo com o consagrado guia de montanha, outros roteiros na região estão mantidos. Um deles é o Cerro Plata, que é uma montanha de 5935 metros que tem a mesma paisagem do Aconcágua, mas com itinerários mais curtos. Ela é considerada por muitos uma escola de alta montanha e um mini Aconcágua. “Mesmo o Plata sendo um parque provincial, como é o Aconcágua, não há rumores de que ele venha a ser fechado”.

Outro roteiro que está nos planos de ser realizado é o Cruce de los Andes, que é um trekking que atravessa a cadeia de montanhas da Argentina ao Chile. Diferente do ano passado, a agência pretende não realizar o roteiro no ano Ano Novo, mas pretende manter no Carnaval e Semana Santa.

Alternativa Mercedário

Para aqueles que desejam se desafiar em uma montanha de 6 mil metros alta, o Mercedário, de 6730 metros, oitava montanha mais alta dos Andes, portanto cerca de 230 metros a menos que o Aconcágua, surge como alternativa.

Face Sul do Mercedário. Foto Pedro Hauck.

Mesmo localizada em outra província, San Juan, a cidade de acesso também é Mendoza e os pré requisitos e dificuldades são muito semelhantes, com a diferença que o Mercedário é muito menos frequentado e, portanto, oferece uma experiência mais autentica de montanhismo.  “O Mercedário é uma montanha mais bonita, mais rica em vida selvagem, com lindo visual, não deixa nada a perder com relação ao Aconcágua e ainda tem a vantagem de custar cerca de metade do que custa o Aconcágua.” Disse Kausch, que já oferecia o roteiro, mas que, por se situar muito próximo à montanha mais alta do continente, acabava ficando em sua sombra, tendo até agora pouca procura.

Montanhas chilenas

O verão não é temporada apenas da Argentina, mas também do Chile, que compartilha da mesma cadeia de montanhas. Caso a Argentina piore seu quadro de infecção do coronavírus e não abra suas fronteiras, restaria o Chile como alternativa para salvar esta temporada.

Ojos del Salado. Foto Pedro Hauck

No país vizinho é onde se realiza a aproximação mais fácil ao Ojos del Salado, que é o vulcão mais alto do mundo e a segunda montanha mais alta dos Andes, com apenas 79 metros a menos que o Aconcágua. O Ojos del Salado é um roteiro consagrado do GenteDeMontanha e ele é realizado no fim da temporada, quando as condições climáticas são mais estáveis em fevereiro e março.

Uma alternativa às pessoa que estão à procura de uma primeira experiência em altitude é o Nevado San Francisco, um vulcão de 6018 metros que é usado na aclimatação do Ojos del Salado. Ele também está mantido por enquanto.

Até agora o Chile está fechado, porém com plano de reabertura. Os casos de Coronavírus estão em tendência de queda e, portanto, até fevereiro é provável que haja condições favoráveis para realizar expedições no país.

 

Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário