Foi a Leucemia que matou Parofes? - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Burocracia.

Foi a Leucemia que matou Parofes?

No sábado, dia 09 de Maio, perdemos nosso amigo Paulo Roberto Parofes que lutou arduamente por mais de dois anos contra a Leucemia. A doença que nosso amigo tinha era muito grave, mas não era incurável. Saiba por que nosso parceiro não está mais entre nós. Algo precisa ser mudado!

Fonte: Redação

Após dois dias da morte do montanhista Paulo Roberto Felipe Schmidt, o "Parofes", o mundo presta homenagem. Hoje, o maior site de montanhismo na web, o Summipost, publicou um tributo em sua homenagem.
 
A morte de Parofes ganhou repercussão mundial e isso se deveu por duas coisas: Sua enorme carisma e o papel que ele desempenhou na luta contra a Leucemia.
 
O contraste de vidas antes e depois da doença fez de Paulo um símbolo na resistência desta terrível doença. Diversos médicos especialistas afirmam que ele só não havia falecido antes por sua enorme força, herdada da experiência no montanhismo e também sua força de vontade, afinal que o conheceu sabe como ele lidou de forma positiva com a possibilidade de morte e que não se entregou.
 
Apesar de aparecer de forma anônima, para seguir a ética médica. O caso clínico de Parofes virou estudo científico e um artigo científico foi publicado com sua experiência, ou seja, sua luta não foi em vão e vai ajudar no avanço da medicina.
 
Além de colaborar na forma científica, Parofes acabou se tornando um militante em favor da causa dos doentes de Leucemia. Participou de campanhas e levou centenas de pessoas aos hemocentros para fazer seu cadastro de doadores de medula óssea. 
 
Infelizmente, ele mesmo não conseguiu se beneficiar da campanha que fez e morreu na fila de espera por uma medula. Antes de morrer, Parofes confiou um texto à sua esposa e pediu para que ele fosse publicado após sua morte. Além deste texto, o montanhista ainda pediu para que uma conversa que teve com uma amiga, Camila Reis, fosse também publicado após sua morte. O objetivo, de acordo com ele, é despertar o público para que o mesmo entenda que se ele está hoje morto, não é apenas por causa da doença, que tem cura!
 
De acordo com Parofes, o que o matou foi a burocracia e a lentidão do sistema. Leia os textos de Parofes e entenda que não foi apenas a Leucemia que matou Parofes:
 
Camila Reis: Sabe Parofes, independentemente de vc acreditar ou desacreditar em Deus, Zeus, Buda, fadas ou o caralho... Eu peço licença pra te falar de duas passagens do filme Peter Pan! Porque a mensagem subliminar embutida nele é fantástica! Vc já deve ter assistido... A primeira cena é quando a sininho ta morrendo, e o Peter Pan desacredita que ela possa viver, nesse momento o capitão gancho acha que o Peter Morreu, porque a energia dele se apaga e tudo envolta fica escuro...
 
Dai o Peter começa a falar que acredita em fadas “eu acredito em fadas, acredito, acredito”, e toda a energia dessa crença se espalha, todos do filme repetem essa frase, a sininho volta a viver e volta a ter luz e cor no filme. Claro que eu não acredito em fadas, nem vocês.. rsrs.. Mas a idéia de que a mente e as crenças tem poder, isso é muito forte, e nisso eu acredito! Então Parofes, eu digo bem alto: EU ACREDITO NO PAROFES, ACREDITO, ACREDITO!!!!
 
Acredito na sua cura, nos médicos, numa medula! Acredito no poder da mente e que a energia dos pensamentos positivos que existem pra vc (que não é pouco) que essa energia vai trazer o que falta pra vc: a tão esperada medula!!! Enquanto isso você tem que acreditar, acreditar, acreditar! Ter fé! Ainda que esta fé seja em você mesmo, nos médicos, na sorte!!!! A segunda cena é quando ta rolando a luta final entre o Peter Pan e o Capitão Gancho, e o Capitão Gancho começa a falar coisas que deixam o Peter triste, desacreditando no amor e nele mesmo, até que o Peter começa perdendo feio! É uma luta muito interessante, mais de palavras do que de espadas, apesar de usarem o tempo todo as espadas, mas quando o Peter desacredita, ele perde, quando acredita, ele da uma reviravolta e passa a controlar a situação, a ele sim controlar a mente do capitão Gancho, ao ponto do Capitão Gancho desistir e ser engolido pelo crocodilo.
 
Realmente, o pensamento positivo é essencial! Isso que te manteve até hoje vivo e tão bem apesar das circunstâncias detestáveis. E você parofes, lembre-se da sua força, de quantas pessoas te amam, acredite em você e na cura! Mantenha a mente ativa, saudável dentro do possível e com muita fé! Isso vai te salvar! Te gosto demais mesmo, de você e da Lili, sua parceira guerreira! Acredite por vc e por ela! Eu acredito, acredito!!!!! Abraços sinceros e crentes, muito crentes!
 
Paulo Roberto Felipe Schmidt:  Cami, Obrigado pela mensagem. Pensamento positivo é sempre bom, as vezes perco uma força com um acontecimento ou notícia isolado que pinta por aqui, mas logo retomo. Olha, pra você ver, ontem foi um dia desgraçado, a medula não dava nenhum sinal de subida, NADA, fiquei frustrado, puto, o Dr Sérgio veio e disse "cara, vamos colher um novo mielograma pra ver e esperar um resultado simples como *medula hipoplásica* {lenta}, mas se tiver células neoplásicas, a químio não foi bem aplicada e teremos que fazer em caráter imediato uma re-re-indução, com outros compostos químicos.
 
Meu mundo caiu, pqp, outra re-indução? Não sei se meu corpo aguenta, entende? A última já me deixou um efeito colateral de longo prazo, nevralgia do nervo trigemeo. É um nervo que ramifica pra nossa mandíbula, bochecha e olho. Quando cutucado, causa uma dor indescritível...
 
Foi isso que aconteceu, passei mais 5 dias na morfina direto até que com os medicamentos adequados (Lirica e Selebra se não me engano), está totalmente sob controle. Mas, quase fui a loucura aqui de dor, ce não faz idéia...
 
A bomba de morfina foi retirada, daí a equipe de dor veio me explicar todo o sistema que envolve o trigemeo e tal, e a duração do problema: Até 18 meses!!! Dá pra acreditar nisso? Tipo, falta mais o que? Alguém vir me dedar o rabo enquanto em durmo, só falta...
Nesses 18 meses vou ter que gastar uns 200 por mês pra tomar os medicamentos e não morrer de dor. Vai ter que ser...
 
Os possíveis dadores...desencanei total, o redome não funciona, é uma sala, cinco pessoas e três computadores. A isso se resume o tão falado REDOME. Então cara, faz 70 dias que se iniciou o teste com o primeiro possível doador, e não há resposta ainda!!! Acredita nisso? Uma puta demora escrota que causa sabe o que? Diversas ligações assim:
 
Redome: "Alô, Sr Antonio, finalizamos os testes, felizmente a doadora é compatível com o Rodrigo e podemos proceder com o transplante, quando ele pode se internar?"
 
Sr Antonio: "Menina, você está desinformada, Rodrigo não resistiu, morreu faz quatro meses."
Acredite em mim, isso é MUITO NORMAL de acontecer. Tamanha a demora que é essa porra toda...agora multiplica isso por 4. Não vou sobreviver tanto (talvez), isso é quase fato já.
 
Não tive remissão, fiz a re-indução que não foi 100% bem sucedida, se a medula recuperar vou ter pela frente ainda mais quatro consolidações. E nesse meio existe a chance de uma nova recaída e uma nova re-re-indução. Entende como funciona?
 
Leucemia não é pra quem pode, é pra quem quer.
 
Em nenhum momento desacreditei na minha chance, na minha força, continuo lutando com tudo que tenho. Se não estivesse, estaria caminhando tantos kms pelos corredores do hospital??? rsrs
 
Agora pouco fui ver meu resultado do exame, uma subida singela, mas significativa em todos os patamares, UFA, sinal de vida da medula. Dr Sérgio e eu ficamos sorridentes. Tarda, mas (as vezes) não falha.
 
Todo mundo aqui me elogia, me chamam de paciente modelo, justo por eu ser o que tem menos chances, e o que mais luta pela vida. Mas, não é fácil.
 
Preciso lidar com a morte porque pra mim, ela é uma realidade muito mais palpável pra quem fuma crack na rua 24h/dia em altas doses.
 
Tenho até um documento pronto com meus desejos finais já pro caso do evento de minha morte, com instruções, determinações, carta pública, N coisas. Não fiz isso por "medo de morrer", fiz isso por sei que é uma possibilidade e uma probabilidade, só isso, e aceito numa boa.
 
Já falei pra todo mundo, quem foi que disse que morrer é TÃO ruim assim? É parte do nosso ciclo, simples assim. Se eu morrer, a fdp morre comigo. Pronto, dei meu golpe final. E lembre-se, morrer pra mim é a parte mais fácil, inconsciente. O ruim é pra quem fica, já expliquei isso pra muita gente e todos entenderam.
 
Vai ser difícil pra todos que gostam de mim e vão sentir minha falta, das piadas, das barbas esquisitas, etc e tal...
 
Olha, pra você ver, o que aconteceu sobre a minha nevralgia do trigemeo é tão, mas tão raro (e eu não sabia), que a chefe da equipe de dor veio no meu quarto agora (tive que parar de escrever) junto de outros membros da equipe de dor me pedir autorização pra publicar um artigo sobre meu caso. Vê só? Nem sei descrever se sou sortudo ou azarado em tudo que me acontece desde a doença e as coisas que acontecem ao redor dela.
 
Enfim, relaxa...Estou aqui lutando ainda, infelizmente passo natal aqui sem chance de ir pra casa, e talvez ano novo também. Beleza hein? Foda...Foda...Já perdi 5,5 kg com a merda que é a comida...enfim...tá difícil, mas um dia após o outro é a melhor coisa. 38º dia hoje aqui dentro, meu record de internação única em duração.
 
Bjs e obrigado por escrever! Parofes
 
Camila Reis: Nossa Parofes, você me surpreende sempre! Me emocionei, me emociono com a tua história e tua maturidade e me sinto orgulhosa de ser tua amiga. Obrigada por me dar toda esta atenção e por ser essa pessoa especial. Obrigada vc por me escrever!!! Janeiro eu tiro férias e vou te visitar, certo já! Enquanto isso te desejo melhoras. Te desejar feliz natal ou ano novo acho que não tem muito a ver, já que vai ser um porre né, mas desejo que saia logooo logoo logooo dai! Pra gente comemorar com uma festa melhor do q a de natal e ano novo! Beijos e abraço meu amigo. Força!!!
 
Paulo Roberto Felipe Schmidt: Se o evento X acontecer, vc pega esse texto, o seu e o meu, e publica no seu facebook, vira uma segunda carta pública. Promete? Na íntegra, sem cortes, sem edições.
 
Camila Reis:  Prometo. Mas tenho certeza que vou publicar depois da sua cura! rsrs..
 
 
Ps: Em Janeiro, como prometido, Camila e amigos foram visitar Parofes no hospital. Foi a última vez em que eles se viram....
 
Leia mais:: 
 
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade