Maximo Kausch e Pedro Hauck estão quase completando os 14 x 6000 bolivianos - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
DESAFIO NOS ANDES

Maximo Kausch e Pedro Hauck estão quase completando os 14 x 6000 bolivianos

“O alpinista deve ser 4x4” foi como Maximo descreveu o principal requisito para concluir o ambicioso projeto. Trata-se de uma complexa lista de 14 montanhas com mais de 6000 metros espalhadas pelo país andino. Para Pedro Hauck faltam 4 e apenas 2 para Maximo.

Fonte: Redação

Vale lembrar que a dupla de alpinistas Maximo Kausch e Pedro Hauck que escala junta há 17 anos é totalmente auto-suficiente e não contrata carregadores, guias ou cozinheiros para terminar estas 14 montanhas.
 
Maximo e Pedro estão na Bolívia e acabaram de concluir a parte mais complexa do projeto: a escalada do Chaupi Orco, Chachacomani e Chearoco. Com esta parte concluída, a dupla vai concentrar as forças no sul do país onde há uma série de vulcões de dificuldade técnica baixa, porém são montanhas remotas e secas.
 
Na última etapa que durou 8 dias, os alpinistas escalaram 3 montanhas técnicas na Cordilheira Apolobamba e Cordilheira Real. Segundo eles a maior dificuldade foi a total falta de informação necessária para aproximar e escalar estes gigantes. No isolado Chaupi Orco com 6046 metros de altitude e que faz fronteira com o Peru, Maximo e Pedro investiram 3 dias inteiros para vencer a crista leste da montanha num ataque que durou 9 horas no último dia 16 de agosto. Segundo eles o excesso de neve que chegava até a coxa em algumas partes atrapalhou muito a ascensão.
 
Na Cordilheira Real não foi diferente. Baseados apenas no conhecimento em geografia e glaciologia, a dupla planejou a ascensão aos desconhecidos Chearoco e Chacacomani com 6040m e 6078m respectivamente. Maximo Kausch e Pedro Hauck se internaram no complexo montanhoso por um total de 6 dias onde ficaram totalmente autônomos percorrendo um total de 87km através de glaciares e passos montanhosos desconhecidos.
 
Segundo a dupla o único sinal humano que encontraram nesses 6 dias foi um saco plástico abandonado há muitos anos em uma geleira a 5400m. Nesta etapa a total falta de informação foi uma dificuldade. A escalada foi previamente planificada analisando imagens e dados topográficos satelitais. No Chachacomani eles enfrentaram neve até a coxa em um trecho de 4km numa altitude média de 5700m.
 
Maximo Kausch já conta com 65 cumes com mais de 6000m só nos Andes e ganhou o record mundial no ano de 2012. Já Pedro Hauck acaba de completar seu 25º cume andino superior a 6000m tornando-o um dos alpinistas de altitude mais experientes do Brasil. 
 
Mesmo com tanta experiência, Maximo alega que “Para escalar os 14 maiores da Bolívia o alpinista deve ser 4x4. Neste país andino você encontra todo tipo de montanhas: desde vulcões completamente secos onde você chega aos 5500m de carro, até montanhas técnicas repletas de glaciares onde você começa escalar aos 2000m de altitude”
 
Como é de costume, Maximo e Pedro também mapearam todas estas montanhas e publicarão gratuitamente as rotas para GPS para quem quiser acessar estes incríveis locais. Maximo já publicou mais de 200 rotas de montanhas na tentativa de fomentar o alpinismo nacional. 
 
Na próxima etapa Pedro Hauck pretende escalar o Acontango (6071m), Capurata (6013m) e o vulcão ativo Guallatiri com 6083 metros de altitude. Enquanto isso Maximo Kausch pretende atingir o verdadeiro cume do Vulcão Parinacota com 6356 metros de altitude.
 
Ao completar esta etapa, a dupla só precisa escalar o último e mais fácil dos 6000 bolivianos: o Uturunco com 6008 metros de altitude. Eles esperam concluir o projeto até a primeira semana do mês de setembro.
 
 
Maximo Kausch é apoiado pelas marcas: Makalu, Deuter, La Sportiva, Julbo, Xtrax e Gente de Montanha

Publicidade